terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Corcunda porque carregas assim essa tua corcova na cacunda; BH, 01101102012.

Corcunda porque carregas assim essa tua corcova
Na cacunda ? és um camelo, ou um 
Dromedário? és um mamute, um 
Mastodonte, ou um elefante? que tipo 
De animal és, corcunda, com esse 
Cupim, esse monturo, essa elevação
Escavada nas costas? nem Quasímodo
Era tão corcunda assim como tu e nem
Tão disforme e monstruoso; é por isto
Que esquivo-me nas folhagens, camuflo-me
Nas ramagens e refugio-me nas mais
Densas cavernas; todos que me veem, assustam-se
E assombrados, procuram as sombras, devido
Ao meu aspecto sombrio; porém, percebo que,
Não és um animal feroz, sanguinário, 
Predatório; metes medo mas, não atacas
E covarde só foges, medroso; falarei aqui
Das trevas onde estou, para não impressionar-te
Mais, não sou predador, meu alimento é o 
Vento e bebo chuva, como raízes e frutas e
Frutos, a abelha oferece-me mel e por cama
Tenho a relva; e só sais à noite? de dia,
Só quando o tempo está bem fechado e 
Posso mover-me livremente, de noite, só
Em lua nova e com poucas estrelas no 
Céu e muitas nuvens; posso conhecer tua
Caverna? tenho uma lanterna aqui comigo;
Seja bem-vindo á minha humilde morada
E aquele orifício no alto, lá no teto, o que é?
Dali observo o universo, quando sinto-me
Muito solitário e é justamente, nessa hora,
Que estou mais próximo de entrar no santuário. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário