domingo, 27 de março de 2016

Se uma flâmula de ânimo ARDESSE; BH, 0701202012.

Se uma flâmula de ânimo ardesse
No âmbito do espírito, que fizesse
Vontade na alma e transcendesse em
Potência de atitude, poderia mudar
De postura, de hábito, conduta e o 
Equilíbrio, a sobriedade fincariam 
Raízes para sólidos troncos em 
Madeira de lei; e dissipariam as 
Dúvidas, aumentariam a fé e aonde
Andará essa chama de paixão? 
Ou como encontrar o fôlego salvador?
O ser se debate, se debate, sufoca-se no
Ar e morre asfixiado por não saber 
Respirar; o chão não dá mais pé e 
Quando o socorro vem, encontra um
Pedaço de carvão, nem fumegante
Está mais, nem flamejante e nada
Resta a ser feito; não teve na vida
Um bom proveito, não deixará
Motivo para derramamento de choro
Dos assemelhados; dos poucos que
Dirão algo, dirão apenas foi um
Apagado; não se destacou no 
Que de mais simples poderia se 
Destacar no viver; errou em todos
Os sentidos e direções, dormiu o 
Tempo todo, frustrou sonho e ilusão;
Demonstrava não acreditar e queria 
Que acreditassem, incoerente em 
Qualquer composição do destino;
E quando consultava a cabeça no 
Travesseiro, meus deuses, como 
Pode haver pessoa assim, tão sem
Harmonia com as coisas da vida.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário