sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Se hoje estou tão bem e tão bom; BH, 02201202003; Publicado: BH, 0280302013.

Se hoje estou tão bem e tão bom
É claro que amanhã estarei assim e melhor e
Não precisarei de enxugador para o meu pranto e
Só o aparelho ou a estufa para enxugar as
Roupas e toalhas de banho e não sei se continuarei
A chorar mas enxugadouro não procuro mais e
Em qualquer lugar onde se põe alguma coisa a
Enxugar como um enxugadoiro não usarei e 
Deixais que mesmo enxugarei o pranto que
Derramarei e isto é se vier a chorar e já
Se foi o tempo em que era de
Enxurdar-me e revolver-me na lama ou ainda
Atolar-me no lodo e graças a Deus não vou
Atolar-me no lodo e graças  a Deus não vou
Chafurdar-me mais em enxurdeiro e já saí do
Lamaçal e já abandonei o chiqueiro e gosto só
De beber umas cervejas mas quem não gosta?
É enzímico e pede mais do que a enzima e sei
Que não sei parar e entro em depressão no
Dia seguinte porém quando estou a beber
Tudo é ilusão e a realidade é outra
Coisa bem diferente e se fosse uma
Enzinha e uma enzinheira ou uma azinha
Ou uma azinheira e uma espécie de carvalho e
Talvez não beberia mas não o sou e
Nem sofro de enzootia ou epizootia restrita 
De pequena amplitude numa determinada
Localidade a poder atacar uma ou várias
Espécies animais e bebo pois tudo em mim
Designa qualidade e relação e sou próprio
Do aracnoídeo gigânteo argênteo férreo e
Cortíceo e atual e se ainda fosse eocênio a
Subdivisão mais antiga do sistema geogênico
Da era cenozoica não beberia e não sou
Eólico natural da Eólia na Grécia e não sou
Eolio indivíduo dos Eólios tribo helênica
Que expulsa do Peloponeso pelos Dórios foi
Estabelecer-se na Eólia e estou mais para o
Vento na venta e a corrente aérea ou para Éolo o
Deus dos ventos e acredito em milagres e sou
Muito é brasileiro mineiro teófilo-otonense
E dou muito graças a Deus e o que corre em
Minhas veias é sangue de Maria da Conceição
Santos Medina e de Nestor Antônio Medina
Indivíduos que só aparecem de séculos em séculos
E não é eosina não a substância corante
Avermelhada o que corre nas minhas veias
É sangue da dignidade e não do eosino e
O designativo da eosinofilia e aumento dos
Leucócitos eosinófilos do sangue a denunciar
Geralmente infestação parasitária e igual
A que vejo na televisão quando mostra
Os nossos valorosos deputados e senadores
Em "trabalho" na câmara e no senado
E fico então eosinófilo de vergonha coisa
Que nenhum deles tem e epa e upa e o
Que é isso? era só o que faltava a
ABL a Academia Brasileira de Letras eleger
Marco Maciel imortal e é o fim da picada e 
Seria melhor eleger uma epacridácea
Espécime das Epacridáceas arbustos da Oceania;
Isto é que é ser epagógico ou rápido e eficiente e
Não tenho a destreza do epagogo e magistrado
Grego que resolvia sumariamente as questões
De direito comercial marítimo e
Nem sou mestre na epanadiplose a repetição
Da mesma palavra no princípio e no fim de
Um verso ou de uma frase e não conheço a
Epanáfora a repetição da mesma palavra
No princípio de versos ou de cada membro
De um período e desconheço a epanalepse a
Repetição da mesma palavra no meio de
Várias frases seguidas e não percebo a eparrástrofe a
Repetição no princípio de um verso ou frase
Da última palavra do verso ou frase antecedente e
Pausa e já me masturbei três vezes hoje e ejaculei
Nas três vezes em que me masturbei e por
Quê será que na masturbação o prazer e
A ejaculação são melhores do que no coito?
Espero respostas dos entendidos e ao voltar
Ao epânodo a repetição em separado de palavras
Que primeiro se disseram ou escreveram juntas
E à epanortese a correção que o orador finge
Dar à palavra ou frase proferida e como
Disse que acredito em milagre e o que
Espero é justamente encontrar a chave
Do mistério de todas as palavras e desde da
Época da eparquia a diocese de um bispo
Ou arcebispado no império bizantino aos tempos
Modernos que hoje os tempos são modernos
E o século é o XXI e é transformar a vida num
Epinício e num poema e num hino triunfal e cântico
Em que se celebra uma vitória fantástica e
O futuro será melhor e Deus nos proverá de
Pão e fenderá a rocha e jorrará leite dela e
Deus nos proverá de maná e a pobreza
Será erradicada e a miséria será
Banida do seio da humanidade e a
Fome não será mais conhecida pela
Raça humana e a desgraça e a tragédia
Serão clássicos de literatura e Deus então
Cuidará de nós como o bom pastor
Cuida das suas ovelhas e os atentados
Terroristas não acontecerão mais pois
Os povos se humanizarão numa benção só.

quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Não sou; RJ/SD; Publicado: BH, 02501102020.

Não sou
Carlos Drummond de Andrade
E nem sou
Vinícius de Morais
E não sou
Guimarães Rosa
Nem tampouco sou
Olavo Bilac
Não sou
Poeta algum
Nacional ou internacional
Não sou
Trovador nenhum
E não sou
Manoel Bandeira
E nem sou
Castro Alves
Não sou
Chico Buarque de Holanda
E nem sou
Gilberto Gil
Não sou
Caetano Veloso
Nem sou
Gal Costa
Não sou
Noel Rosa
Nem sou
Maria Bethânia
Não sou ninguém
Não sou alguém
Não sou nada
Não sou
Pessoa alguma
Não sou
Personalidade nenhuma
Não sou
Compositor algum
Não sou ninguém
Eu sou apenas eu
Um dorminhoco
Que viveu a dormir
Sem saber das coisas
Sem saber de nada
Eu sou apenas eu
Um analfabeto
Um atrasado
Um retardado
Que vive a vida
Mais morto
Do que vivo
Eu sou isso aí
Este pobre de espírito
Que pede uma esmola
Uma esmola de amor
Não sou
O que pensas
Tudo que
Pensares de mim
Eu sou
O contrário daquilo
Que pensaste.

Para mim já chega; RJ/SD; Publicado: BH, 02501102020.

Para mim já chega
Cortei de vez
Fim de papo contigo
Fim de papo comigo
Já não estava mais afim
E ainda arrumas uma dessa
Agora é para valer
Agora é para acabar mesmo
Vá para aonde quiseres
Vá com quem quiseres
Comigo é que não vais mais
Nem vais mais me ver
Agora chega mesmo
Agora chega de vez
Agora chega para valer
Não vou mais te impedir
De chegar cedo em casa
Podes chegar à hora
Que bem entenderes
E se quiseres ainda
Não precisas nem sair de casa
Vou bancar o ignorante
Bancar o bruto e o grosso
Vou bancar o machão incompreensível
Mas não quero saber nem de explicação
E nem de nada
Não quero mais
Nem te ver
Não quero mais
Nem falar contigo
Para mim já chega
Ponto final
The end mesmo
E nada de happy end
Nada de all rught
Nada de ok
Nada de very good
Nada de very well
Nads de don't forget me
Para mim já chega
Good bye.

Seu Coló; RJ/SD; Publicado: BH, 0250802020.

Seu Coló
Quebrou a perna
Também quebrei a minha
Seu Coló
Colou com cola
Colei foi com farinha

Seu Coló
Ficou maluco
Maluco fiquei também
Seu Coló
Pedia esmola
Eu pedia um vintém

Seu Coló
Amou mulher
Também mulher amei
Seu Coló
Deu vida a dele
A minha matei

Seu Coló
Bebia cachaça
Também bebia a minha
Seu Coló
Bebia era pura
Eu comia com farinha

Seu Coló
Tomou um tombo
Também tomei o meu
Seu Coló
Morreu no dele
Dormi e sonhei no meu

Não sei quem foi melhor
Se foi ele
Ou se fui eu
Que ainda estou vivo
Seu Coló
Até já morreu.

Mulher da zona; RJ/SD; Publicado: BH, 02501102020.

Mulher da zona
Depois da primeira vez
Que fui conhecer
Uma mulher da zona
Nunca mais parei
De tomar antibióticos
Para doenças venéreas
Nunca mais parei
De adquirir infeções
Entrou ano e saiu ano
E eu aí e médico aqui
E exame ali e dá-me
Injeções de benzetacil
E de nada adiantou
Continuo um garoto podre
Continuo um menino impotente
E sem coragem de procurar
Uma mulher da zona
Continuo sem poder
Chega de terramicina
Chega de injeções
Chega de comprimidos
De exames de sangue
De exames de urina
De exames de espermas
Chega de todos os exames
Estou cansado de tudo isso
De todos esses exames
De todas essas doenças venéreas
Não saem de mim
E nem me matam
Se me matassem duma vez
Talvez seria até melhor
Mas que nada
Fico aí
Cheio de gonorréia
Cheio de sífilis
Cheio de cancro
Cheio de tudo
Até o pescoço
Fico aí
Apodrecido na zona
Na zona boêmia
Do mundo de hoje
A primeira vez
Que fui fazer amor
Foi com uma rapariga
Foi com uma prostituta
Foi com uma meretriz
Que me ensinou
A fazer amor
Foi uma mulher da zona
Podre igual ao esgoto
Que me amou
Pela primeira vez
E o resultado
Não foi satisfatório
Bem
Já que comecei na zona
Na zona vou terminar
Na zona vou morrer.

Carne podre; RJ/SD; Publicado: BH, 02501102020.

Estou cansado de tomar remédios
Estou cansado de me envenenar e
Se a doença não quer sarar
Nada posso fazer
Mas remédio veneno
Não vou mais tomar
Estou enjoado de comprimidos
Estou enjoado de médicos
São todas uns porcos
Estou enjoado de tudo
Estou a sentir nojo de tudo
De mim todo
Só me faço ter nojo das coisas
Estou cansado de tudo
Tudo é supérfluo
Estou cansado mesmo
Se a doença quiser
Que me mate logo
Se não quiser me matar
Que fique aí então
Não vou mais me incomodar
Estou cheio de pomadas
Estou cheio de tubos
Estou cheio de cápsulas
Estou cheio de drágeas
De receitas e de bulas
De venenos e venenos e venenos
Estou todo intoxicado
De tantos venenos venosos
Estou cheio sim senhor
Não quero mais saber de médicos
Quero que todos vão
Para as profundezas dos infernos
Que não me farão faltas
Se sarar das doenças
Um dia vou morrer
Se não sarar
Um dia vou morrer do mesmo jeito
Então para que preocupação?
Se a doença quiser me curar
Que me cure
Se não quiser
Que não me cure
Com ela ou sem ela
Vou para debaixo do chão
Vou poluir a terra
Com o meu corpo podre e sujo
Com meus germes e bichos
Com os meus vermes e porcarias
Com os meus micróbios
E minhas doenças
Vou poluir a terra
Com a minha carne podre.


Borboleta azul; RJ/SD; Publicado: BH, 02501102020.

Vem a voar ali
Uma borboleta azul
Vem a bater as asas
Tropegas e frágeis
Mas vem a voar
Vem sobreviver
A fazer alguma coisa
Neste mundo sem nada
Vem a voar ali
Uma borboleta azul
A mostrar a sua arte
É uma artista
É uma deusa
É uma santa
É um anjo
É uma borboleta
Voa com amor
Seu voo angelical
Vem a voar ali
Uma borboleta azul
Uma borboleta pura
É uma raridade
Da beleza da natureza
Vem a voar alí
O seu voo de vida
O seu voo de paz
Uma borboleta azul
Pousou em meus olhos
E passou suas asas
Em meus lábios
Asas suaves e carinhosas
E parecia que
Estava a me beijar
Pois vem a voar ali
Uma borboleta azul
É uma borboleta doce
Uma borboleta de vida
Deixa voar.