terça-feira, 3 de setembro de 2019

Vivo de fingir e de assumir importância sem ter; BH, 0310702000; Publicado: BH, 030902019.

Vivo de fingir e de assumir importância sem ter
E a fazer o jogo sem poder bancar e sem poder
Encarregar-me das apostas numa banca de jogo
E fujo da bancada e da mesa de trabalho e fujo
Do grupo de parlamentares que representa um
Partido ou um estado ou uma facção numa das
Casas do congresso e de qualquer grupo
Homogêneo que integra uma assembleia e faço
Uma fileira de bancos para deitar-me e uma
Mesa ordinária e a especial usada por artesãos
Ou operários ou escrivães camonológicos e eu
Respeito demais e não tanto quanto os escritórios
De advogacia e não tenho a quantia que o
Banqueiro de certos jogos de azar arrisca a botar
Comissão examinadora em provas escolares e
Concursos e não fazer questão cerrada e não
Bancar o valente para não levar porrada na cara
De pau pois a pior porrada é a bananosa e é a
Miséria que não conseguimos sair dela e a
Enrascada na qual nos metemos no cotidiano e
Que a elite não conhece e nem a burguesia sente
E não alivia nem para o bananeiro povo plantador
E vendedor de bananas e que era o nosso símbolo
E que também sumiu e ficou ruim e desapareceu no
Bananal e a plantação de bananeiras e plantas das
Famílias das musáceas e de folhas largas e compridas
E cujos frutos as bananas representam gestos
Agressivos feitos com as mãos fechadas e os braços
Em flexões e representam o homem fraco que é a
Maioria do homem brasileiro e o moleirão que tudo 
Aceita passivamente e a limpar a nossa história só a 
Dinamite do Lampião o nosso primeiro guerrilheiro e 
Que arrasava mais do que cartucho explosivo
Empregado em pedreiras e obras de grandes portes e
Que a sociedade tentou banalizar ou tornar banal ou 
Vulgarizar sem conseguir e Lampião passou por cima 
De tudo isso e com a mesma banalidade e com a mesma
Vulgaridade na qual tentaram jogá-lo e morreu sem ser
Banal e sem ser vulgar ou comum e sem interesse a não 
Ser o de exterminar a burguesia e derrotar o sistema e 
Abater a elite e matar os macacos da polícia etc e todos 
Já sabem que gostaria mais seria ver a cúpula
Representativa toda empalada por bambuzinhos e planta
Ornamental ou por todo um bambuzal e um bambual ou 
Por grosso bambu e é só o que merece por zombar dum 
Povo sem bambúrrio e sem sorte inesperada e acaso feliz
E só mesmo empalação por touceira de planta da família
Das gramíneas e de caule oco e nodoso e não é a parte
Do cenário do teatro que representa o céu ou o teto e a 
Bambolina e sim o inferno astral do povo que se instalou
Na capital do país e para de lá não mais sair e se instalaram
Por cima do poder como uns baldaquins duma espécie de
Toldo acima de certas camas antigas e como cúpula acima
De troncos e altares e assim é o político baldaquino e o 
Ministro balela e o espalhador de mentiras e de boatos e 
Que não tem o balido e o grito próprio da ovelha e de 
Outros animais e o balado que não mete medo mas que tem
O ladrar dos cães e o uivar dos lobos e o grito do morcego
E o gargalhar das hienas e o que precisamos é retirá-los 
Desse baldrame de tipo de alicerce e acabar com o balé e o 
Bailado com o dinheiro público e balear se preciso for e 
Ferir com bala todos aqueles inimigos do povo e que sempre
Impediram a vitória social maior da maioria do povo trabalhador
Brasileiro e enquanto a minoria privilegiada vai para arquipélago            
Balneário e para as Ilhas Baleares no Mediterrâneo para o verão
Balearino e ai que me dera meu Deus entrar com uma boa
Baleeira em Brasília ou entrar com um barco para pesca de 
Grandes baleias e sem o bote nos navios para impedir o 
Salvamento e o desembarque e a baldeação na hora em que 
O baleeiro e o bom pescador de baleias arpoar não o imenso
Mamífero marinho da ordem dos cetáceos é que sou 
Totalmente contra e sim arpoar a pessoa gorda e representante
Da classe nojenta que tanto asco nos causa e o barco tem que
Ser bastante grande e o estoque de arpões maior ainda pois 
Brasília está super lotada e é preciso fazer uma limpeza antes 
Que seja tarde ou desinfetar e tirar os restos de putrefatos 
Que por lá perpetuam e balsamar ou destilar bálsamo ou 
Exalar perfume e um cheiro balsâmico de natureza bem
Aromática como resina de certos vegetais ou instalar o aroma
E o conforto lenitivo e as almas apodrecidas entregar ao 
Balseiro Caronte o que governa a balsa do Rio Estige que 
Banha o Hades e para onde espero sejam todos eles levados
E instalar uma baluarte ou uma fortaleza defendida pelo povo
Ou um lugar bem provido e um sustentáculo popular onde 
Não tenham vez os maléficos fúnebres e sinistros que tanto
 Mal já nos causaram e ao glorioso povo trabalhador brasileiro. 

E não posso perder a minha bandeira ou o meu pedaço de tecido; BH, 0310702000; Publicado: BH, 030902019.

E não posso perder a minha bandeira ou o meu pedaço de tecido
E geralmente retangular e pode ser em uma ou em várias cores e
Que pode simbolizar uma nação ou entidade e pode até ser usada
Em sinalizações ao povo a evitar os percalços dos caminhos e
Quanto ao caixeiro geralmente envidraçado e que arremata
Superiormente janelas ou portas e não poderei viver sem ele e a
Placa móvel dos taxímetros a pequena e que comanda os preços
Das corridas e das expedições armadas e que a partir do território
Do atual Estado de São Paulo e explorava o interior do Brasil e com
Arrojo e audácia e coragem e determinação e como certas
Brincadeiras de crianças e a quem só sabemos dar um fora e
Admoestar e desrespeitar e é mentir quando é para reunir em bando
E inclinar para uma banda ou lado e passar para o lado oposto quando
Se está do lado de cá e para o lado de cá quando se está do lado de
Lá e a bandear e virar a caraca é o mais que normal nos dias de hoje e
Os covardes então são os que vivem em bandeamentos para a
Violência dos bandalhos e a maioria é de indivíduo imoral e sem
Dignidade e que merece ser ferida pela bandalha e pequeno dardo
Ornado de fitas que se crava no cachaço dos touros nas touradas e
Depois traspassado pela espada do toureiro e bem como bandalheira
Do governo e os negócios escusos dos políticos e a imoralidade do
Congresso sejam enfim banidas do nosso meio político e que toda
Bandalha seja punida e que todas ação irregular seja investigada e que
Nós aprendamos a colocar uma bandagem em nossas feridas e uma
Atadura nas nossas lesões e fraturas para que toda banda podre seja
Afastada da parte lateral e do lado da faixa e de toda composição ou
Musical ou lugar indeterminado e passe a não comer e a passar a mesmas
Privações que a maioria do povo trabalhador brasileiro e que aprenda a
Pôr de lado e a abandonar e a impedir a sair de fininho e sorrateiramente
E todo homem público que sujar as mãos na lama da corrupção e como
O banco e a empresa financeira de crédito e moeda que até hoje aprendi
A entender pois se deixo numa agência e por motivos quaisquer de viagem
Ou mudança e não movimento o crédito e ele desaparece e some e é
Usado em despesas e se deixo um débito e pelos mesmos motivos e o
Valor vai para a estratosfera e a camada mais alta da atmosfera e nunca
Mais conseguimos pagá-lo e no Banco do Brasil por exemplo comprei
Umas ações e logo depois fiz um débito na conta ouro e com o passar do
Tempo o débito da conta e sem eu movimentá-la e fugiu de minha 
Administração e tornou-se impossível saldá-la e já as ações e que eram 
Os meus créditos anos e anos depois continuaram as mesmas coisas e 
Viraram pós e nunca proporcionaram-me um único benefício positivo e 
Até deixei de acompanhar e depois de tantas vezes ir à agência e ouvir a 
Negativa que não renderam nada e não deram nada e estão do mesmo 
Jeito e nos mesmos lugares e bancos meus amigos só os de assentos e das
Mais variadas formas e bancos geralmente toscos e sem conforto e sem 
Luxo e para uma ou várias pessoas e sem a falsa ostentação e sem o ar
Condicionado e o caixa eletrônico e sem as recepcionistas bonitas e os 
Gerentes bonachões e fuja deles e arrume uma banca ou uma mesa de 
Trabalho mas não seja feito de otário pois será a tua bancarrota e a tua
Falência como foi a minha e a quebra e o estado insolubilidade de todos 
Aqueles que acreditaram e fizeram negócios com banqueiros inescrupulosos
E só eles ganham e até os eficientes bancários servidores deles perdem.
      

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Sofro pela falta de ética e por não conhecer a ciência da moral; BH, 080602001; Publicado: BH, 0200802019.

Sofro pela falta de ética e por não conhecer a ciência da moral
E por não ser ético e nem trazer em mim o que quer que seja 
De concernente à moral e estou mais para eterômano e para 
Aquele que tem o vício de tomar éter e eteromaníaco e do que
Para etéreo de puro ou de elevado ou de celeste e só quando
Encontro-me em estado etílico e como as substâncias que
Contêm etilo e não sou um estilista elitista e muito pelo
Contrário e o meu alcoolismo é que é da alta e sou um
Alcoolista cuja falta de elitismo não tem mais cura e o meu 
Cérebro é que perde o radical formado de carbônio e 
Hidrogênio e que entra na formação do éter e do álcool e desde
O étimo e da origem filológica e da etimologia duma palavra e 
Da gramática que trata da origem das palavras e do primeiro
Som que foi considerado etimológico e pelo primeiro
Etimologista e pessoa e etimólogo respeitado e desconheço 
Quem nunca ouviu dizer ser um bêbado feliz e o porre uma 
Eternidade e a ressaca dura a vida eterna e a dor de cabeça uma
Imortalidade e de duração infinita a náusea acompanhada da
Inhaca e beber é eternizar-se e é tornar-se eterno e prolongar-se
Indefinidamente num bar de esquina e é o que não tem princípio
E nem fim e todo bêbedo pensa-se um imortal e inalterável e um 
Deus da eteromania e do vício do hipotético fluido cósmico 
Imponderável e extremamente sutil e que enche os espaços vazios
Do universo e é pelos físicos considerado o agente transmissor da 
Eletricidade e da luz e do calor e do líquido extremamente volátil
E inflamável e ainda aromático e utilizado como anestésico e da
Denominação dos espaços cósmicos e beber não é doença e 
Nem entra na etiologia e estudo a cerca da origem das doenças
E até na Etiópia tem o bêbedo etíope natural e no idioma falado 
Lá e quebra qualquer etiqueta e conjunto das cerimônias usadas
Na corte e em sociedade e quebra qualquer regra e estilo e 
Rótulo e a única etiquetagem é a de bêbedo e etiquetar só o que 
Beber para não esquecer e é por isso que a etnia existe e é 
Evidente a mistura de raças caracterizada pela mesma cultura e
Cada étnico e tudo que se refere a uma raça ou a um povo 
Deveria ser partido dum bêbedo conhecedor da etnografia e 
Estudo descritivo dos povos na raça língua costumes e com 
Descrição da cultura material e valor etnográfico e o saber do 
Etnógrafo e do indivíduo especializado a abranger ainda mais a 
Etnografia e a ciência que trata da cultura material e espiritual dos
Chamados povos naturais e estudo e conhecimento das populações 
Primitivas e o tio etnológico exposto pelo relativo enologista que 
Com a ajuda do etnólogo chega à etologia e ao tratado dos 
Costumes e usos e caracteres humanos e estudo dos hábitos dos 
Animais e da acomodação dos seres vivos à condição do ambiente
Do eu etológico e da primeira pessoa e da personalidade de quem 
Fala e a individualidade metafísica do eucalipto e árvore originária 
Da Austrália e de folhas aromáticas e medicinais e ai que saudades 
De quando passava no eucaliptol de minha cidade e nem sabia do 
Óleo essencial extraído das folhas do eucalipto e era tal uma 
Eucaristia e um dos sete sacramentos da Igreja Católica e no qual
Jesus Cristo e segundo a crença está presente sob a aparência do 
Pão e do vinho e o eucarístico euclidiano e mais relativo a Euclides
Da Cunha escritor brasileiro e do que a Euclides geômetra da Grécia
Antiga e aos conceitos que expendem e se eu fosse um escritor não
Seria um escritor eufêmico ou um autor eufemístico e sabedor de 
Que há eufemismo no que escreve e no ato de atenuar a expressão 
Duma ideia e a substituir a palavra própria por outra mais agradável 
E polida e que ao ser falada emite eufonia e som agradável ao ouvido
E com suavidade na pronúncia e eufônico até na euforia e na sensação
De bem-estar e de prazer eufórico que produz e que sente ao fazer a
Eugenia e a ciência que tem por objeto o aperfeiçoamento da
Reprodução da raça humana pelo eunuco onanista e homem castrado
Que servia de guarda das mulheres dos haréns e hoje é o homem 
Impotente e em todo o continente eurásico e referente à Eurásia e a
Denominação dada ao conjunto de terras da Europa à Ásia e aos 
Demais continentes mas é no eurásio e no início da europeização da
Cultura e no europeizar dos clássicos e no que valeu a pena dar 
Modos e costumes e adquirir hábitos europeus e o europeu não é 
De evacuar a cultura e não é de sair de cena a deixar vazio o espaço 
E não é de desocupar uma praça de guerra por ter capitulado e nem
De expelir matérias fecais e dizer que é arte e não chama evacuativo
De obra-prima se o evacuatório é só fezes dadas ao nada de nada.
           

domingo, 18 de agosto de 2019

Há de desvanecer-se da humanidade a maldade e tudo que for ruindade; BH, 080602001;Publicado: BH, 018080201'9.

Há de desvanecer-se da humanidade a maldade e tudo que for ruindade
E há de desfazer-se da raça humana toda a perversidade e guardo a
Esperança de ver exalar do ser humano só o que for bom e é hora de
Desaparecer no espaço a tristeza e agora quero evolar o evoé e lançar o
Grito festivo e que servia para evocar Baco durante as orgias e ser feliz e
Hoje Baco não pode ser evocado e o evocável no momento é a internet e
O telefone celular e a mídia e a moda e o apelo evocativo do consumismo e
O distúrbio evocatório do ter antes do ser e quando puder quero trazer à tona
A imaginação e se deixareis trarei também a lembrança e fazer aparecer e 
Chamar de certo modo as almas do outro mundo e os espíritos inteligentes 
Do além e os gênios já mortos e esquecidos e esquecer só de evocar os 
Demônios e demônios não merecem evocações e não existem demônios
Bons e o mau feito por um demônio é como o que não há de ter fim e o 
Fenômeno eviterno e que pode ser evitável pois o mau não faz falta nenhuma 
Ao mundo e toda eviternidade será a ruína do homem e poupar quem 
Está perdido não é tarefa fácil e impedir a morte prematura e densa do ser  
Não é apenas um esquivar-se ao encontro e ao trato ou conveniência e é o 
Desviar-se dum veneno e o fugir do que pode ser nocivo e evitar na raiz para
Não ter que usar de desculpas mais tarde e usar e a abusar de evitação e temer
A satisfação cobrada e alguém hoje deixa-se eviscerar em nome da sociedade?
E quem é de tirar as vísceras das entranhas para salvar uma façanha?e o estripar
Atual da realidade é através do lucro e do dinheiro e de tudo que faz crescer a
Eventração putrefata e a evisceração podre e é evidente que tudo só nos
Oferece dúvidas e foi-se o tempo daquilo que se compreendia imediatamente a
Dispensar demonstração e cada invento a patentear é o de como lucrar mais do
Que todo mundo e cada evento que se provar é o de como fazer aparecer com a
Evidência de que ter é mais importante do que ser e quem seria capaz de
 Manifestar e comprovar a certeza manifesta ao evidenciar um fato sem sombra
De boato? e para enriquecer-se alguém e tem que destruir-se outro no aquém
E virar de pernas para o ar e verter para assim comprar mais barato e a arruinar o
Próximo e vender mais caro a explorar o semelhante e cada um aprende a só
Como ser o eversor do próprio irmão e todo mundo só sabe aprender a ser 
Destruidor de todo mundo e do mundo e só aparece o que destrói e só serve o 
Que arruína e se não for eversivo não recebe praticidade no mercado e a 
Cultura é igual a um reviramento para fora e antigamente adquiríamos cultura
Para tornarmos diferentes e hoje aprendemos a ser indiferentes e aprendemos 
A ruína e a destruição e a eversão do passado e a manutenção de tudo que tem
A qualidade daquilo que é eventual e um acontecimento incerto e um acaso sem
Ocaso e uma eventualidade de tom fortuito e um caso casual do qual quando nos 
Lembramos nos dá ânsia de vômito e vontade de eventrar todas as entranhas dos
Organismos e de pôr para fora as vísceras dos ventres nuns vômitos latentes e 
Por onde saia até as medulas e igual a eventração dentro da gente e a hérnia nas 
Paredes do abdome e produzida por uma cicatriz do vento num evento evasivo 
E que serve de subterfúgio e que dá facilidade à evasão da realidade e fuga 
Evasiva da verdade e o que a mentira mais nos ajuda é a desaparecer e o que a 
Falsidade mais quer é nos passar ao estado de vapor e nos deixar consumir em
Demagogia sem dissipar a enganação ou evaporar o fisiologismo e ainda converter
O doidivanas e chamar a si o leviano e o hipócrita e crescer o reduzido e materializar
O evaporado e todos veremos a transformação do nosso líquido em vapores realizados
Em qualquer temperatura e todos nos converteremos numa evaporação de gases
Podres e a doutrina a preconizar não nos salvará e missionar hoje só salva o
Missionário ao livra-lo da desgraça da pobreza e da miséria e pregar o evangelho
Hoje é que para todo mundo tudo é pecado e menos para o evangelizar e se 
Distanciou do evangelho de Jesus Cristo e o evangelizador que conheço só gosta 
De gordas contas bancárias e carros blindados importados e mansões e nada tem de
Evangelizante dentro de si e a não ser o argumento do dízimo antes da salvação e o 
Evangelista hoje é um profissional liberal globalizado e neoliberal e só evangeliza o  
Valor e as cifras e os cifrões e o menosprezo a tudo e a evangelização do enriquecimento
Em poucos cultos de louvores e a pessoa que preconiza e prega uma doutrina e faz 
Apologia igual a que é feita a Jesus Cristo e tem que ser o primeiro a dar o exemplo 
E não demonstrar amor às riquezas e às fortunas e fazer pelo menos igual a qualquer
Um dos componentes dos quatro livros mais sagrados do Evangelho de Jesus Cristo.

sábado, 17 de agosto de 2019

Fugir da prisão e desaparecer às ocultas e é o que preciso fazer; BH, 080602001; publicado: BH, 0170802019.

Fugir da prisão e desaparecer às ocultas e é o que preciso fazer
E não sei sofismar e nem iludir e não pretendo desviar do caminho
Da lei nem como os trechos desses livros santos que se leem nas
Celebrações das missas e são considerados coisas que se têm por
Verdadeiras e são a tal fé do evangélico no evangelismo de doutrina
Política e religiosa e evanescente devido à busca do dinheiro que
Esvaece e faz iludir os fieis e ao deixar escapar o real intento e evadir
O membro do templo e o etário mais avançado e de idade mais 
Idosa é o que ainda teima em sustentar uma busca que venha 
Apaziguar as dores e eta-pau e é uma etapa dura vencer a distância 
Sem interrupção do ignorante para a ignorância e vice-versa e não é
Uma situação transitória e uma fase ou paragem para a ração diária
Das provisões que se distribuem aos exércitos em campanha e a 
Ignorância ainda expressa surpresa e admiração e não deixa o 
Ignorante adejar ou voejar pelo azul do céu e nem bater as asas com
Força igual a um poeta e quando quer esvoaçar para concorrer os 
Pássaros  e se esviscerar um ignorante nada será encontrado dentro e
Nem estranhas entranhas e nem organismo orgânico ou inorgânico e é 
De esverdinhar-se de vergonha e é de tornar-se esverdeado de limo
Ou esverdeada a ignorância e não é o esverdear da esperança e já o 
Esverdeado da terra e o tirante a verde da natureza é para esgotar-se
Ou é para transformar-se em vazio pelo homem a esvaziar-se antes do
Tempo e com o esvaziamento de ideias ou o desfalecer de ideal e tudo
A passar com rapidez de pensamento no desfazer-se da imaginação e
No escoar-se da inspiração e no desvanecer-se do sentimento e no 
Dissipar do último urro da onça ferida e com fome e tal o esvair da 
Torrefação como o cérebro que está quase a queimar e um esturro em
Brasa a estorricar de carvão ou a esturricar de cinzas a exaltar-se em
Vão e a tostar-se para secar a ponto de parecer queimado e urrar ao 
Queimar e esturrar de aflição e na ansiedade de quem quer pegar 
Peixe de cujas ovas se faz o caviar e o esturjão estúrdio é o luxo 
Extravagante e a estroina degradante e leviana a fazer estúrdia e a 
Esturdiar na extravagância e não a travessura de criança e estuque de
Pelota de menino ou massa preparada com gesso e água e cola no 
Revestimento ou ornamentos feitos com essa massa e ajudeis-me a 
Entender uma coisa e penso um estupro tal a conjunção carnal forçada
E obtida por meio de violência e a ideia de que jogadores da seleção
Brasileira têm a obrigação e o dever e a honra de defenderem bem o 
Nome do Brasil e é de estuporar e de cometer crime hediondo e contra
Qualquer ideal de menina virgem sustentar tal ânimo e se quem é chamado
De doutor e de meritíssimo e de vossa excelência e de presidente ou de 
Vice-presidente e de ministro ou secretário de estado e de senador e 
Deputado federal e deputado estadual e governador e prefeito e vereador 
E demais secretários não honram e nem respeitam a camisa que vestem e 
Não engrandecem o nome do Brasil e não preservam a imagem e nem as
Riquezas e muitas vezes a delapidar e a roubar o erário público da nação
Do povo trabalhador brasileiro e porque que os pobres jogadores e de 
Maioria às vezes analfabeta de pai e mãe e são levados e cobrados a 
Fazerem mais bonito do que quem realmente tinha de fazer e de ser 
Cobrado e de exigido ética e virtude e comportamento com decoro? e
Temos que perseguir os estupradores do país e os que fazem estuporar a
Opinião pública e que levam a fazer cair em estupor o povo e assombrar 
A nação e assustar o país e só sabem é estragarem-se na corrupção e 
Tornarem-se desprezíveis iguais a uns corruptores e corruptos que são 
Umas pessoas de qualidades muito feias e sofrem entorpecimentos 
Físicos e mentais e agem como estúpidos e indivíduos faltos de 
Inteligências e brutos e grosseiros onde tudo é o embrutecer e o 
Estupidificar-se cada vez mais com o passar do tempo onde teriam as 
Obrigações de barrarem as estupidezes e pararem de falar asneiras e de
Só comportarem-se com grosserias e nada temos que cobrar do nosso
Jogador estupendo e de dribles admiráveis e de espírito espantoso e 
De passes extraordinários e já do político nefasto e que não passa dum
Estupidarrão e que só sabe causar grande pasmo e que põe em estado 
De inércia física ou moral no auto entorpecer-se e penso que para tentar
Enxergar o que é realmente um estupefazer-se e temos que cobrar de 
Um tudo nas vias e nas praças e nas ruas e deixar o dito estupefato e 
Entorpecido e assombrado e atônito para que possa deixar de ser o pior
Estupefaciente e a droga que nos causa a estupefação e o espanto e o 
      Pasmo maiores do que o entorpecente no qual se transforma o se nefasto.