segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Nunca me curarei dos meus males; BH, 03001002016.

Nunca me curarei dos meus males, e os 
Meus males não são nem tão males assim: 
Não são cravos nas palmas das minhas
Mãos, nos peitos dos meus pés, não são 
Coroas de espinhos na minha cabeça, 
Marcas de ralados nos joelhos e cotovelos,
Por quedas devido ao peso das cruzes e 
Não são feridas de lanças ou de relhos e
Açoites nas costas; meus males não são
Males de santos, são males de humanos e 
Qualquer um outro suportaria meus males, 
Curaria-se deles rápido, e os superariam,
Só eu que não posso superá-los? não 
Posso suportá-los e nem curá-los? nem 
Quero acreditar em mim; precisaria de 
Um médium para psicografar-me, para 
Ver quais são as causas destes males tão
Bobos, tão tolos, e eu a fazer-me de 
Sofredor; será que precisaria de um 
Pajé, um vodu, um xamã? para acordar
Um outro ente amanhã? passa boi, passa
Boiada, montes detrás dos montes, águas
Debaixo das pontes, ventos nos moinhos,
Birutas e cataventos, zurros de jumentos
E digo ao mundo que não aguento, carregar
O mundo nas costas, quando não carrego,
Nem um saco de cimento; uma raiz, uma
Semente, se tudo pesa-me neste chão de 
Vidente; e teimo curar loucura com 
Aguardente, teimo curar coração com 
Religião, curar dor com oração, e são só
Males de antão, que não enchem um vão,
E quero encher as mãos e faço questão
De dizer que não são males de são, e que 
Na verdade, nem tão males são, são males
Vãos e eu a chorá-los em cachoeiras e 
Cascatas, a derramar baldes no quintal
E os vizinhos a perguntarem: qual mal? és 
Mesmo um cara de pau, de vidinha surreal.  

Os Maiores Sambas de Enredo de Todos os Tempos

MELHORES SAMBAS ENREDO DE TODOS OS TEMPOS RJ

Escreva uma obra-prima; BH, 02901002016.

Escreva uma obra-prima, antes de
Ficar cego, escreva uma obra de arte,
Antes de ficar surdo, escreva uma
Obra clássica, antes de ficar mudo; o
O que salva o homem, são as obras, o
O que engrandece o homem, são os
Atos; fora disso é lama, barro de péssima
Qualidade, nada de fama; quem é
Artista pinta um óleo sobre tela, escultor
Esculpe no bronze, madeira, qualquer outro
Tipo de matéria, de preferência, antes de
Chegar a deficiência; e à velocidade
Da luz, aproxima-se de todo tipo de
Decadência, por isso, por mais vivência
Que se tenha, nunca será o suficiente,
Para se fazer o eficiente; e o que mais
Precisa-se fazer, é o que ainda não foi
Feito, corrigir o defeito, curar a dor do peito,
Amar direito; costurar o tempo aqui, é
Costurar letra por letra, palavra por palavra
E tecer a eternidade e depois, pode 
Morrer, que, não fará falta à natureza; as flores
Não chorarão, os passarinhos não pararão
De cantar, o firmamento não deixará 
De ser azul; e aquele que consegue 
Inverter essa ordem natural, é o que 
Faz uma obra-prima, uma obra de arte,
Uma obra clássica, que mata de inveja até 
Os moradores dos montes sagrados; e dos 
Morros aonde pisa-se com o lado de dentro
Das solas dos pés e pega-se a terra com 
O coração, rega com o sangue e planta a 
Semente consagrada; e na corrente das 
Águas abençoadas, as que os fenícios conheceram
Antes, eleva os navios correnteza acima, 
Amarra as naus aos ventos nobres, as quilhas
Torpedeiam a linha do horizonte, o cais é uma fonte. 

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Mocidade 1992 2/15- Sonhar Não Custa Nada! Ou Quase Nada

Sonhar Não Custa Nada!

Sonhar não custa nada
O meu sonho é tão real
Mergulhei nessa magia
Era tudo que eu queria
Para ese carnaval
Deixe a sua mente vagar
Não custa nada sonhar
Viajar nos braços do infinito
Onde tudo é mais bonito
Nesse mundo de ilusão
Transformar o sonho em realidade
E sonhar com a mocidade
E sonhar com o pé no chão

Estrela de luz
Que me conduz
Estrela que me faz sonhar

Amor, sonhe com os anjos (não se paga)
Não se paga pra sonhar
Eu sou a noite mais bela
Que encanta o teu sonho
Te alucina por te amar (amar, amar)
Vem nas estrelas do Céu
Vem na lua de mel
Vem me querer

Delírio sensual
Arco-íris de prazer
Amor, eu vou te anoitecer

Eu vejo a lua no céu
A mocidade a sorrir
De verde-e-branco na sapucaí

Portela 1975 5/12 - Macunaíma, Herói de Nossa Gente

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Mestre Marçal - 1986 Senti Firmeza (completo)

Mestre Marçal - Sambas Enredo De Todos Os Tempos(1993) (Completo)

Sônia Santos - Crioula (1977) Álbum Completo - Full Album

Povo apolítico de Belo Horizonte, Minas Gerais; BH, 0901002016.

Povo apolítico de Belo Horizonte, Minas Gerais, votar no João
Leite, é votar no PSDB, Partido da Social Democracia Brasileia
E é ser cúmplice do Aécio Neves e suas vergonhosas 
Falcatruas, é ser comparsa de Antônio Anastazia e suas vis 
Inconfidências e traições, pois, o que se pode esperar do PSDB,
A não ser traições? traem o Brasil, os estados onde governam,
Ao povo trabalhador brasileiro; o PSDB não é uma agremiação
Partidária, é uma quadrilha de malfeitores, vendidos e vendilhões
E é ilusão pensar que, o João Leite será diferente, terá que, 
Dançar a música que, o partido tocar: corrupção; e com João 
Leite na prefeitura, não muda nada, será o prefeito dos amigos,
Dos indicados, da cúpula, do aparelhamento, dos desvios das
Verbas, dos baixos salários e do sofrimento dos servidores e 
Da população; tucano é bicho enganador, voraz, predador e 
Aonde passa, devasta tudo; a sorte deles é que controlam a 
Justiça em todos os níveis, controlam o PIG,  o Partido da 
Imprensa Golpista e os dois outros poderes e podem roubar
À vontade, que nada acontecerá com eles e seus amigos; de 
Merenda à cocaína e todo tipos de roubos, tudo é acobertado
E podem posar com cara de santo em todos os lugares; dos 
Mais emplumados, como o FHC, o vulgo Fernando Henrique
Cardoso, aos do baixo clero, todos saem isentos dos seus
Crimes; e o cúmulo, é que, às vezes, nada é cobrado, nem
Pelo povo, que, ainda os alimenta e depois recebe em troco
As bordunadas no lombo, votar em João Leite, é isso aí, pau.      

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Gilmar Ferreira Mendes renomado apátrida e herança maldita; BH, 01701002016.

Gilmar Ferreira Mendes renomado apátrida e herança maldita 
( De FHC, vulgo Fernando Henrique Cardoso, responsável 
Pela Privataria Tucana e com a honrosa alcunha de Príncipe 
Da Privataria, ) ao STF, Supremo Tribunal Federal, domina,
Também, o STE, Superior Tribunal Eleitoral; lobotomizado,
Ostomizado, com sangue de barata nas veias, vive raivoso,
Inconstitucionalissimamente, a abominar o povo trabalhador 
Brasileiro, a quem desrespeita a cada manifestação; protege 
Caninamente ao PSDB, Partido da Social Democracia 
Brasileira, bajula bovinamente ao PIG, Partido da Imprensa 
Golpista, serve servilmente à camarilha dos deputados, ao 
Senado cleptocrata e ao executivo plutocrata; defende 
Veneráveis bandidos, notórios corruptos, notáveis corruptores
E famosos corrompidos; de qualquer forma, jeito, maneira,
Trejeito, quer acabar com o PT, o Partido dos Trabalhadores e 
Persegue, incansavelmente, ao Lula, Luiz Inácio Lula da Silva;
Venerado na burguesia, endeusado na elite, é a única esperança
Da cleptocracia de livrar-se da justiça e o bastião de impunidade
Da plutocracia e dos seus apátridas do PSDB; qual aos demais 
Membros do STF que, já foram legados ao ostracismo, ao 
Esquecimento da nação brasileira, um dia, para muita felicidade e 
Total alegria de todos nós, terá, também, o seu dia de 
Banimento do cenário nacional, quem viver, verá; um dos 
Intocáveis dos podres poderes, com muita podridão debaixo da 
Toga preta, abafadora de peidos, o que é a utilidade máxima 
Daquele acessório de vampiros; e virá, enfim, o castigo, desse 
Danado inimigo, que tem o triste destino, de trabalhar para o mau e 
Para o mal e não deixará um vestígio saudoso na memória de ninguém.

domingo, 16 de outubro de 2016

Mesmo com o Prêmio Nobel; BH, 01501002016.

Mesmo com o Prêmio Nobel de Ódio e Perseguição, dado ao 
Juiz Sérgio Moro, merecidamente, ele não conseguirá, matar a 
Imagem de Lula, Luiz Inácio Lula da Silva; sem academia, 
Liceu, ginásio, ateneu, o cara já é mais do que imortalizado;
Engendrado nas veias do povo trabalhador brasileiro, nas 
Entranhas da nação brasileira, nas reminiscências do país 
Obreiro, Luiz Inácio, nunca estará no ostracismo da história;
Haverá sempre algum menino, nalgum lugar, tal a um Neruda, 
Brecht, Maiakovski, poetas, cantores, bardos, aedos, a 
Tecerem cantos, poesias, poemas, odes ao operário; já os 
Serventuários da cleptocracia vão prendê-lo, os plenipotenciários
Da plutocracia vão humilhá-lo, os servis da burguesia vão 
Difamá-lo, os capachos da elite, escarnecê-lo, não importa, 
Um líder real não tem pés de barro, não é feito de pau oco, 
É moldado de nobreza e grandeza que, faltam aos áulicos que,
Recheiam o PIG, o Partido da Imprensa Golpista; um nome 
Que, desbanca todos os nomes do futebol, do carnaval, da 
Política, nem todos os nomes do judiciário paquidérmico 
Letárgico oneroso, da camarilha do legislativo, e dos corruptos
Do executivo conseguirão abafá-lo; vão prendê-lo, num ato
Vil, pequeno, de rés do chão, de baixio de ralo de esgoto; 
Vão prendê-lo, numa operação de detrito de maré baixa, 
Numa ação de retrete de baixo clero; mas, o nome é maior
Do que o homem, é do tamanho da Pátria, o homem estará 
Atrás das grades, para delírio dos apátridas do PSDB, Partido 
Da Social Democracia Brasileira, o nome, não; o nome estará nas 
Mentes e nos corações dos livres pensadores, dos libertadores 
Que, derramam o próprio sangue em nome da Democracia.

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

DCM: 10 PESSOAS DETESTADAS PELOS BRASILEIROS

Tivemos uma novidade ontem: Moro demonstrou não ser saber quanto é rejeitado por vastas porções de brasileiros que não se limitam a petistas.
Inspirado nisso, decidi montar uma lista de 10 pessoas especialmente detestadas entre progressistas de variadas procedências. Algumas sabem. Outras, como Moro, não. Se isso conforta Moro, uma coisa é certa: ele não está só.
1) Moro.
O primeiro é ele mesmo, pelo seu papel de justiceiro no comando da Lava Jato. Alguns, iludidos, imaginaram que Moro estivesse mesmo à frente de uma cruzada anticorrupção. Os fatos, porém, logo mostraram que a cruzada era mesmo contra o PT, em geral, e Lula, em particular.
2) Temer.
Conspirou, traiu, deu um golpe. No poder, notabilizou-se por carregar uma taxa baixíssima de popularidade, plenamente merecida. E por fugir, acoelhado, de todo contato com o povo, por medo de vaias. Não bastasse, tentou reintroduzir as mesóclises da linguagem dos brasileiros.
3) Cunha.
Bem, este dispensa explicações. Está condenado a ser xingado de ladrão até o último de seus dias.
4) FHC.
É outro caso parecido com o de Moro. Parece não se dar conta de quanto é abominado. Mas seu papel infame no golpe alçou-o à lista dos detestados.
5) Aécio
Consagrou-se como o pior perdedor da história da República ao jamais admitir a vitória de Dilma. Amigo dos donos da mídia, sempre foi preservado de noticiário embaraçoso. Citado amplamente nas delações, ainda consegue fazer discursos moralistas como se fosse uma referência ética nacional.
6) Serra.
Como Cunha, dispensa explicações.
7) Gilmar Mendes.
O jornalista americano Glenn Grenwald resumiu tudo: “Nunca vi um juiz como ele no mundo.” Gilmar subverteu o conceito de que um magistrado não se mete nas coisas da política.
8) Marta ex-Suplicy.
Nunca foi exatamente uma campeã de simpatia e de popularidade. Mas sua atuação no golpe elevou ao máximo a antipatia que as pessoas sentem de Marta. Foi uma golpista impenitente e convicta. Recebeu a justa recompensa nas eleições para a prefeitura de São Paulo.
9) Cristovam Buarque.
É outro que, como Moro, parece não ter noção de quanto é rejeitado. Ilude-se com a ideia de que apenas os petistas lhe fazem restrições por ter contribuído para o golpe.
10) Janaína Paschoal.
Quem esquece seus espetáculos delirantes em “defesa” da Constituição? E os 45 000 reais que o PSDB lhe pagou pelo parecer que deu origem ao golpe?

terça-feira, 11 de outubro de 2016

BELÍSSIMO: L'hymne à l'amour - Edith Piaf (Cover Saïna Manotte & Maxime Manot')






Le ciel bleu sur nous peut s'effondrer
Et la terre peut bien s'écrouler
Peu m'importe, si tu m'aimes
Je me fous du monde entier

Tant qu'l'amour inond'ra mes matins
Tant que mon corps frémira sous tes mains
Peu m'importent les problèmes
Mon amour puisque tu m'aimes

J'irais jusqu'au bout du monde
Je me ferais teindre en blonde
Si tu me le demandais
J'irais décrocher la lune
J'irais voler la fortune
Si tu me le demandais

Je renierais ma patrie
Je renierais mes amis
Si tu me le demandais
On peut bien rire de moi
Je ferais n'importe quoi
Si tu me le demandais

Si un jour la vie t'arrache à moi
Si tu meurs que tu sois loin de moi
Peu m'importe si tu m'aimes
Car moi je mourrai aussi

Nous aurons pour nous l'éternité
Dans le bleu de toute l'immensité
Dans le ciel plus de problèmes
Mon amour crois-tu qu'on s'aime
Dieu réunit ceux qui s'aiment

Hino ao amor
O céu azul sobre nós pode desabar
E a terra bem pode desmoronar
Pouco me importa, se tu me amas
Pouco me importa o mundo inteiro

Desde que o amor inunde minhas manhãs
Desde que meu corpo esteja fremindo sob tuas mãos
Pouco me importam os problemas
Meu amor, desde que tu me ames

Eu iria até o fim do mundo
Mandaria pintar meu cabelo de louro
Se tu me pedisses
Eu dependuraria a lua
Eu roubaria a sorte
Se tu me pedisses

Eu renegaria minha pátria
Eu Renegaria meus amigos
Se tu me pedisses
Bem podem rir de mim
Faria não importa o que
Se tu me pedisses

Se um dia a vida te arrancar de mim
Se tu morreres, que estejas longe de mim
Pouco me importa se tu me amas
Porque eu morrerei também

Teremos para nós a eternidade
No azul de toda a imensidão
No céu não haverá mais problemas
Meu amor, acredite que nos amamos
Deus reúne os que se amam

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

GOD, JOHN LENNON.



God is a Concept by which we measure our pain
I'll say it again
God is a Concept by which we measure our pain
I don't believe in magic
I don't believe in I-ching
I don't believe in Bible
I don't believe in Tarot
I don't believe in Hitler
I don't believe in Jesus
I don't believe in Kennedy
I don't believe in Buddha
I don't believe in Mantra
I don't believe in Gita
I don't believe in Yoga
I don't believe in Kings
I don't believe in Elvis
I don't believe in Zimmerman
I don't believe in Beatles
I just believe in me, Yoko and me, and that's reality
The dream is over
What can I say?
The dream is over
Yesterday
I was the dreamweaver
But now I'm reborn
I was the walrus
But now I'm John
And so, dear friends,
You'll just have to carry on
The dream is over

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Esqueça o meu nome de cor e salteado; BH, 0180902016.

Esqueça o meu nome de cor e salteado na ponta da língua
Um nome só não faz a diferença nem a mais e nem a menos
Esqueça o meu corpo em alguma encruzilhada assombrada
Um corpo sem alma não faz diferença nem a mais nem a menos
Não passa também de uma assombração inanimada
O vento rola as águas fura as rochas descarna os cadáveres
Pulveriza os ossos mais ressequidos e resistentes dos 
Esqueletos das caveiras sorridentes de outrora gentes gentis
Do limbo gentis gentes cósmicas moradoras das matérias
Das moléculas dos átomos dos vestígios donde não há vestígios
Depois de morrerem as lembranças as memórias as recordações
As saudades os esquecidos morrerem nos esquecimentos 
O vento não será mais chamado de vento nem o céu será
Chamado de céu e nem o sol de sol ou a lua de lua 
O universo de universo o que será chamado de o que será 
Chamado será o que será chamado  de o que será chamado
E quantos nomes padeceram para que um nome fosse chamado
De nome ao bendito todos os nomes que não sejam o meu
Meu nome não terá nome meu nome não derramou sangue
Meu nome não derramou lágrima por nenhum nome meu 
Nome não é um nome próprio é um nome impróprio e esqueça
O meu nome de cor e salteado na ponta da serpente que foi 
Engolida e o rabo ficou de fora e passou a ser chamado de língua