quinta-feira, 30 de julho de 2015

MIKIO, 179; BH, 020602013.

Domingo de noite e de dor de cabeça,
Deitado no sofá e esferográfica de cabeça para baixo,
Caderno em bico no osso do esterno;
Tédio absoluto e em compensação,
Televisão desligada e fundo musical,
John Lennon no Álbum Rock and Roll;
Peço a filha para aumentar um pouco o volume,
Fecho os olhos e encosto o braço na testa
E concentro-me em alguma coisa;
Suspiro e respiro e soluço e bocejo
E pensar que é bom,
Nada e ideia que presta,
Nem pensar;
Passo para a mesa da cozinha,
A janela está aberta
E faz um pouco de frio,
Por isso não tomei banho hoje,
O chuveiro não é elétrico
E não esquento água para não gastar gás;
Como a mulher trabalha de noite fora hoje
E vou dormir sozinho,
Ficar sem tomar banho não será problema;
Tomo amanhã e se por acaso fizer um calorzinho,
Aí tomo dois banhos;
Mas não espalhais,
Para não haver encarnação na outra encarnação;
E por falar em encarnação,
Na outra encarnação,
Escolherei ser um ser aquático,
Para viver só dentro d'água;
Um pouquinho de ironia e cinismo,
Mas o cara tem que ser muito de um vagabundo,
Ficar em casa num domingo à noite,
A escrever o que não deve,
Enquanto a mulher trabalha,
Tem que ser mesmo muito de um sem-vergonha.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

É inacreditável; BH, 0290702015.

É inacreditável, o PSDB, o Partido da Social
Democracia Brasileira fazer piada pronta nos
Programas do TRE, Tribunal Regional
Eleitoral, na televisão; os caras são cínicos
Em demasia: massacram, trucidam
Professores em São Paulo, Minas Gerais,
Paraná e dizem que são os do PT, Partido
Dos Trabalhadores, que não sabem governar;
Desviam bilhões de verbas do metrô, saúde,
Educação e dizem que são os outros que
Não sabem governar; lavam a égua por
Serem protegidos dos MPF, Ministério
Público Federal, MPE, Ministério Público
Estadual, PF, Polícia Federal, TCE,
Tribunal de Contas Estadual, TJ, Tribunal
De Justiça, STF, Supremo Tribunal Federal,
STE, Superior Tribunal Eleitoral, TRE,
Tribunal Regional Eleitoral e não são
Investigados, não são denunciados, não
Viram réus e todos os crimes cometidos
Foram engavetados e prescreveram com a
Cumplicidade da Justiça e do PIG,
Partido da Imprensa Golpista; e enchem as
Bocas podres, com suas línguas sujas de
Hipócritas a pregarem golpe, a pedirem
Impeachment da presidenta legitimamente
Eleita pelo povo trabalhador brasileiro,
Dilma Vana Rousseff; e pensam que os
Eleitores acreditam que são honestos:
Cássio Cunha Lima, José Serra, Aécio
Neves, FHC, vulgo Fernando Henrique
Cardoso, verdadeiros bandidos lesa-pátria,
Entreguistas, vilões, com caras de pureza
De santos, mas, são os demônios da
Demotucanalhada, protagonistas da
Comédia política nacional.

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO INSTITUTO LULA:


Companheiro e Companheira,
Vamos divulgar amplamente este material nas redes sociais. O Instituto Lula lançou um relatório com as atividades das suas diversas frentes de atuação nos últimos quatro anos. Desde a preservação do acervo histórico do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, até o trabalho de cooperação e intercâmbio com a África e a América Latina.
O relatório também conta a história de 25 anos do atual Instituto Lula desde que era conhecido como IPET, na década de 90, e depois como Instituto Cidadania. O ex-presidente, depois de dois mandatos, retornou para a mesma residência que tinha antes de ser eleito e para o mesmo escritório onde trabalhava antes de ser presidente.
Em um momento onde certos setores atacam a liderança do ex-presidente Lula e lançam mentiras sobre suas atividades, vale conhecer o amplo trabalho no Brasil e no mundo, e divulgar contra as mentiras espalhadas por certos setores da imprensa.
Para resgatar num único documento o registro desse trabalho e possibilitar que pessoas de boa fé conheçam esse histórico, divulgamos a retrospectiva que você pode acessar e consultar através do link: http://goo.gl/R4RWSO

terça-feira, 28 de julho de 2015

Dilma, manda a S&P à m…! O Putin deixava prender o Othon?


O Putin deixava um juizeco de província prender um almirante, um engenheiro nuclear, responsável pelo programa russo de enriquecimento de urânio, pela bomba atomica ?

A Índia deixava o engenheiro construtor da sua bomba atômica ir em cana por ordem de um juizeco de província ?

O Paquistão deixava o construtor de sua bomba atômica ir em cana por ordem de um juizeco de província ?

E Israel, deixava um juizeco de província prender o construtor de seus cem artefatos ?

E os Estados Unidos, a França, a Inglaterra ?

Príncipe da Privataria , entre outros atos de lesa-pátria, assinou o Tratado de Não-Proliferação das Armas Nucleares e o Brasil se fez impedido de produzir a a bomba atômica !

Crime de Estado !

A Alemanha, a Noruega, a Suécia, a Argentina deixariam seu almirante Othon ir em cana, já que seus programas nucleares, como o brasileiro, estão submetidos à AIEA, a agencia da ONU para energia nuclear ?

Pergunta à Cristina K !

Não !

Sabe por que o Brasil se submete a tanta humilhação ?

Porque isso aqui é uma esculhambação.

Porque o Golpe é isso aí!

Ninguém tem peito de enfrentar esse juizeco de província, esse juiz sobrenatural.

Nem o Supremo, nem o Executivo !

Ajoelham-se todos diante da Vara de Guantánamo, do PiG e de seus superiores interesses: a Chevron  do Cerra !

É por isso que o Moro é valente !

(Até o Daniel Valente Dantas entrar na parada !)

O Moro é valente, como foram os Golpistas de 64, porque a Quarta Esquadra americana está e esteve a caminho, na Operaçao Brother Sam! (Veja o documentário “o dia que durou 21 anos”)

O Moro tem a Quarta Esquadra no litoral do Rio ! 

E também porque o Estado brasileiro não tem amor próprio !

Não se dá ao respeito !

O almirante se deixou corromper ?

Vamos submete-lo à Lei sem comprometer a segurança nacional !

Habeas Corpus para ele e um julgamento que não o exponha a um grampo de mictório, à tortura de uma delação premiada (premiada para o embaixador americano !).

O almirante tem 76 anos !

Isso só acontece porque o Governo Dilma só Governa para o ajuste !

Trocou o FMI por esses tamboretes de bancos americanos, as “agências de risco”, que  submetem o Brasil a periódicas chantagens: não mudo agora, mas quando a Urubologaquiser, a gente te rebaixa.

Manda elas todas  à m… !

O que aconteceu com a Rússia depois que as agencias “rebaixaram” o Putin ?

O Putin cuspiu nelas e reforçou os gastos em armamentos.

Porque é assim que se defende o interesse nacional: à bala, dizia o Floriano Peixoto !

No dia seguinte à entrega dos tesouros gregos aos bancos alemães, as agencias de risco elevaram a nota da Grécia !

Tem presidente de agencia de risco que foi preso nos Estados Unidos, por corrupção ativa e passiva !

Em conluio com os banqueiros que lesaram os incautos na crise de 2008 !

(Veja documentário “Inside Job”)

E aqui, os neolibeles instalados no Estado se borram de medo desses economistas de meia pataca, que arrumaram um empreguinho nas agencias de risco, porque não tem qualificação para trabalhar no FMI ou no Banco Mundial.

Melhor quando o Brasil era governado pelo FMI, nos bons tempos do FHC !

Pelo menos os economistas do FMI são de melhor nível.

Agora são esses que não passam num exame do ENEM.

Quem são eles ?

Como se chamam ?

Que livros escreveram ?

Que teses ?

Em que revistas de Economia ?

E o Governo Dilma se deixou cercar por eles.

O Delfim morria de dar risada do FMI.

Não cumpria nada do que prometia !

O Lula pagou o que devia ao FMI e emprestou dinheiro ao FMI.

E o Levy trata a S&P’s como se fossem oficiantes  da Catedral de Chartres.

E agora dizem que o Levy quer renegociar os juros dos caças suecos !

Só faltava essa !

O Levy trocar os caças suecos pelos da Boeing !

O Brasil se deixou sufocar.

Não resiste ao cerco.

Aceita a lógica do cerco.

E o Moro governa.

Tem Ministro da Justiça para peitar o Moro ?

Não tem ?

Cade o Supremo ?

Tem Conselho Nacional de Justiça ?

Não tem !

É isso o que faz a minoridade política do Brasil.


Isso é o que envergonha o Brasil diante do mundo.

É assim que o Brasil perde “o bonde da História” !

Porque o Brasil é irremediavelmente um vira-latas !

É por isso que o Brasil não tem peso nem nos BRICs.

Porque o Brasil não se dá ao respeito.

Não se leva a sério.

E vai enjaular o homem que desenvolveu o sistema próprio de enriquecimento de urânio numa cela contigua à de estuprador !

E vai obrigá-lo a cuspir os feijões para a Quarta Esquadra americana que está em cima do pré-sal, à espera de o Moro fechar Belo Monte !

Ou delata ou morre lá dentro !

Triste destino.

É a sina do 7 a 1.

A vocação para o pelourinho !

E o chicote nas mãos do Moro !

Chicote made in USA !

Paulo Henrique Amorim

MIKIO, 180; BH, 020602013.

Gentes, morre-se e não pensa-se e
É fatal, o pensamento é essencial e
Quem vive em pensamento, não
Envelhece a pele não enruga-se;
Gentes, não é terminal, é difícil, não
É impossível, é testamento, é
Inventário e até espólio,
O pensamento é imortal; luta-se
Com ele e contra ele e abate-se
Com ele, esmorece-se e perde-se
O ânimo, a vontade, a potência e o
Poder; mas, o pensamento é vida,
Os pensamentos são gentes sem
Carnes e sem ossos; gentes, os
Pensamentos são corpos sem
Esqueletos, sem caveiras, não têm
Dna, genomas, heranças genéticas; e
Os pensamentos são os únicos que
Visitam os planetas que estão a
Milhões de anos-luz de distância; os
Pensamentos entram nos núcleos de
Todos os sóis e passeiam em todas
As luas; os pensamentos são jogos,
São guerras, batalhas e não podem
Adoecer; se um único pensamento
Adoecer, pode complicar toda a
Segurança do universo; se um
Pensamento ficar doente, contamina
O infinito e não há cura, não há
Milagre; se um pensamento não é
Sadio, não há salvação para as
Espécies e as espécimes entram
Em estado de extinção, o tempo
Envelhece-se e morre e quando o tempo 
Morre, morre-se e não há razão.

PSDB, "Partido da Social Democracia Brasileira"; BH, 0260702015.

PSDB, "Partido da Social Democracia Brasileira" e DEM,
"Democratas", são partidos das anulações e dos políticos
Nulos; PSDB e DEM, são ninhos dos piores homens
"Públicos" da história do país; e adoram posar de caras
Sérias, de competentes, modernos, mas, são todos umas
Almas velhas: FHC, vulgo Fernando Henrique Cardoso,
Só o PIG, Partido da Imprensa Golpista, que lhe dá
Alguma credibilidade, já que não tem nenhuma e até
Pediu para esquecer o que escreveu e o que escreve e
Fala nas folhas do PIG, Partido da Imprensa Golpista,
Ninguém dá ouvidos, a não ser os privateiros; os outros,
José Serra, é uma anulação quase octogenária, não se
Conhece nada que tenha feito; Geraldo Alckmin, é um
Provinciano atrasado, que consegue emperrar um estado
Outrora promissor igual a São Paulo; Beto Richa segue
A linha dos notáveis carniceiros e destrói o Paraná,
Mata a educação e a cultura e propaga a violência;
Aécio Neves e Antonio Anastazia conseguem ser os
Mais insignificantes políticos que Minas Gerais,
Conhecido celeiro de raposas, já produziu; verdadeiras
Anulações, foderam literalmente o estado e só foram
Eleitos por manterem currais de eleitores apolíticos; são
Senadores sem trabalhos, sem projetos, sem ideias, sem
Ideais, só apresentam despesas aos cofres públicos e
Enriquecimentos pessoais às custas da nação; o DEM,
Não merece nada, o apagado Agripino Maia, senador
Vitalício pelo Rio Grande do Norte, aposentado como
Ex-governador, num estado que não tem nem carteiras
Nas escolas, ou leitos em hospitais; Ronaldo Caiado,
Ruralista poderoso, cheio de ódio ao povo trabalhador
Brasileiro, inclusive escraviza trabalhadores em suas
Fazendas; e o Mendoça da reeleição de FHC, que tem
Espaço na velha mídia bovina, por falar mal do PT,
Partido dos Trabalhadores; são essas coisas que os
Eleitores apolíticos deixam de heranças malditas ao
Brasil, entulhos, resquícios da ditadura, membros da
Pior direita vira-lata complexada, pária, parasita,
Entreguista, sonegadora, sanguessuga, golpista, verminada.

domingo, 26 de julho de 2015

MIKIO, 181; BH, 020602013.

As letras não qualificam ninguém,
As palavras destroem e quanto
Mais letras, mais comprometimento
Com a desqualificação e quanto
Mais palavras, mais descrédito, mais
Desonra; tentei pegar uma letra
E elevá-la à potência do infinito,
Com a suposição de que, tudo
Elevado ao infinito, torna-se
Infinito; tentei pegar uma palavra,
E fazer o mesmo e os resultados
Foram desastrosos; não adquiri
Moral, diminui-me inda mais 
E não cresci para cima de ninguém,
Vivi na expectativa dum sonho,
Morri num pesadelo; e fingia ter
Qualidade, fingia ter valor e
Descobriam os fingimentos; e
Enxotavam-me e saia porta à fora,
A correr com o rabo entre as
Pernas; como tu fazes um negócio
Desse? apresenta uma letras
Surradas, já batidas em todos os
Universos; e apresenta umas
Palavras extintas, palavras que
Línguas não falam mais, não
Percebes que somos todos mudos?
Um sinal basta, um aceno, um
Grunhido, um gesto; não se fala
Mais com palavras de letras, deixa
De impertinência; só tu que teimas
Nessas reminiscências antigas, com
Ares de cemitérios, sem critérios;
A sociedade não te comporta mais,
Estás fora do contexto, deslocado, o
Mundo é muito moderno para te abençoar.

MIKIO, 183; BH, 030602013.

Há no meu país, uma Academia Brasileira de
Letras, que, não sei para que que serve; se 
Perguntais a mim, o nome dalgum imortal, 
Até posso citar: são nomes oriundos da 
Ditadura, corrupção, mídia conservadora
De direita e bovina, burguesia, elite; há 
Inclusive nome de imortal que, escreveu, e 
Pediu para esquecer o que escreveu e
Escreve nas folhas ensebadas do PIG, o 
Partido da Imprensa Golpista, mas 
Ninguém lê; e dos quais que já li livros, 
Penso que, Machado de Assis, José 
Montello, Paulo Coelho, os demais
Procuro desconhecer os nomes; compro os
Jornais quase todos os dias, assisto os 
Noticiários das televisões e não há uma 
Única nota relevante a respeito da Academia
Brasileira de Letras, que há no meu país; e
Alguma coisa que por curiosidade queira 
Saber, tenho que acessar a internet, mas,
Nunca podemos confiar, as informações
São sempre suspeitas; um país continental, 
Da dimensão do meu, era para ter uma 
Academia de letras atuante, em contato 
Com o povo, a levar cultura aos rincões,
Leitura, a estar em todos os jornais, rádios, 
Redes, televisões, revistas; o Brasil, pela 
Importância adquirida recentemente, junto
À comunidade internacional, merece ter 
Um nome indicado ao Prêmio Nobel de 
Literatura, mas qual? Machado de Assis,
Jorge Amado, Érico Veríssimo, Fernando
Sabino, Rubem Braga, Rubem Fonseca,
Cecília Meireles, Lígia Fagundes Teles,
Cora Coralina, Lia Luft, Clarice Lispecto,
Carlos Drummond de Andrade, Francisco
Buarque de Holanda? o Brasil precisa de
Um nome de peso para ser indicado ao 
Prêmio Nobel de Literatura, acorda 
Academia Brasileira de Letras.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

MIKIO, 184; BH, 030602013.

Presumo, que, posso desistir, como
Se diz por aí, quando o jogador de
Futebol, para, posso pendurar as chuteiras,
Tirar o time de campo; a esta altura
Da vida, não constituirei mais
Profissão; é que deixei o tempo
Passar, não poderei fazer um curso,
Mesmo de informática, ou de
Computação, nada; e vou esperar
Para aposentar por idade, quando
Terei direito a um salário mínimo
Por mês, mesmo sem merecer; é a saída
Que me resta neste fim de vida:
Sem estatura, sem honra, não
Funciono nem domesticamente e a
Família pena que que faça
Alguma coisa; não sou funcionário,
Não sou funcional e quando trabalhava,
Ou estava empregado, era sempre nas
Funções menos relevantes, ou que não
Requer nenhuma qualidade profissional,
Ou experiência comprovada ; presumo,
Neste resumo, que, não fico mais nem
No banco de reservas; não jogo mais
Nem na terceira divisão, no futebol de
Várzea, ou em times pedaleiros de ruas,
Ou de bairros; se tivesse estato de
Artista, poderia enganar alguns trouxas
E levantar uns cobres, mas, qual o
Que; presumido, vou é ficar escondido,
Sem arranjo, dependente, encostado
Num, escorado noutro, como se deve
Fazer um bom cara de pau sem talento.

MIKIO, 185; BH, 030602013.

Camarada, a vida é assim, companheiro,
Amigo, a vida não nos apresenta
Surpresas, somos tão antigos, arcaicos,
Ultrapassados, conservadores, provincianos,
Pré-históricos, com currículos da didade da
Pedra lascada, que, não podemos mais nos
Surpreender com a vida; estamos tão distantes
Dos nossos objetivos, que, nos contentamos com
As migalhas nos atiradas pelo destino; o 
Que somos, é tão pouco, tão raso, vazio
E superficial, que, a superfluidade
É o nosso complemento; e inda 
Vamos com tanta sofregidão ao pote
De mel, que, nos lambuzamos; e com
Tanta ansiedade ao pote de ouro
No fim do arco-íris, que, perdemos 
Todo o ouro encontrado, antes 
De voltarmos ao início; camarada,
A vida para nós, companheiros amigos é
Um vale da sombra e da morte; e
Se andarmos um ao lado odo outro,
Poderemos sobrevier neste mar de
Incertezas, desesperanças e faltas de 
Perspectivas; somos os animais protagonistas
Desta fábula chamada vida; os primatas
Personagens desta saga triste,
Repleta de reminiscências cheias 
De incongruências e crueldades;
E o que sabemos ser sem pestanejar, é 
Ser cruel e o que carregamos dentro
Do ser sem desalojar, é a maldade;
E o que temos na mente e que não 
Nos deixa pensar em nada, nem nos
Nossos semelhantes, é a ruindade. 

MIKIO, 186; BH, 040602113.

Todo o meu tempo é de vadio,
Tempo de vagabundo e de passar
A vida na vadiagem; é por isto
Que, tenho tempo, pois, todo o
Meu tempo, é de desocupado, de
Preguiçoso e de ocioso; aí, pego
Uma caneta e vou fazer a coisa
Mais abominável do mundo: vou
Escrever e o que é pior, escrever
Poesia e o mais terrível de tudo
Ainda, escrever poema; tenho todo
O tempo do mundo e passo as horas
À toa, um inútil párias das letras a
Escrever inutilidades; um simplório
Parasita das palavras e suas
Futilidades e que sem-vergonha,
Poderia fazer alguma coisa, construir
Algo, trabalhar no mercado neoliberal,
Não, só a tecer loas ao nada em
Linhas de folhas de papel, que nem
Infinitas são e que mortal nenhum se
Preocupará em lê-las; todo o meu
Tempo é assim, infelizmente e se
Morrer hoje, terei de ser enterrado
Como indigente, junto aos do
Cemitério Perus, por não ter para o
Caixão e sepultura;  todo o meu
Tempo é de defunto, como o passo
A maior parte, a dormir; e dizem
Que, o sono, é o prenúncio da morte,
O meu tempo é tempo de finado;
Se inda sonhasse a voar, a visitar
Palácios, a conhecer castelos,
Cordilheiras de montanhas silenciosas
E um dia em que tivesse acordado, teria 
Coisas para contar: ao menos uma história.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

MIKIO, 187; BH, 050602013.

O que reges tu, meu coração, ou
Pelo que és regido? és uma orquestra
Sem regente, maestro, condutor;
Tuas sinfonias não são filarmônicas,
Teus concertos não são clássicos,
Cada instrumento toca um acorde,
A mostrar a desarmonia que és; o
Que por acaso entendes por sentido?
Tens algum sentimento reconhecido?
Ou escondido na alma? ou inda
Desconhecido até de si próprio? o que
Tens tu, meu coração forasteiro,
Estranho para mim? quais as respostas
Poderias apresentar-me, estou quase
A abandoná-lo por aqui, em outro
Peito e tu, nem sequer emociona-te,
Não demonstras contentamento,
Ou por minha partida, ou por tua
Sorte de ficares por aqui, a bater em
Outro corpo; meu coração não é meu,
Não o conquistei, não demonstrei
Simpatia, acessibilidade e ele
Simplesmente gelou; apagou qualquer
Chama de resistência e exilou-se
Nas cavernas mais tenebrosas e de lá,
Renega-me, não cadencia-me, não
Reconhece-me e falha-me na
Hora em que mais preciso de força;
E deixa-me a tremer sem fôlego,
A arfar e quando faço uma ausculta,
Tenho a impressão que parou de
Bater; todo dia este meu coração
Diverte-se, brinca de fazer-me morrer.

MIKIO, 188; BH, 0180602013.

Costurei nuvens, teci mosaicos dos
Montes, onde encontrei a minha
Inspiração, o melhor momento de
Minha vida; usei luz das estrelas,
Fios de brisa, tapetes persas de
Orvalho e sereno, mantos reais feitos dos
Mantos da terra, cetros de varas de
Carvão de lavas de vulcões de planetas
Onde o universo inda vai começar;
Do caos a noção não foi formada
E já a poesia pairava aos pedaços,
Rasgada aqui, um retalho ali, à
Espera dalgum costureiro, dalgum
Alfaiate a cozer, a cerzir, a
Alinhavar, o que, antes dalgum
Poeta existir, reverberava, pulsava,
Fremia, engatinhava, bem antes da
Definição, de que, o caos geraria o
Universo; costurei o ar, para que,
Não fugisse para o vácuo; cosi a
Água, para que, não derramasse
No abismo; de retalho em retalho,
De remendo em remendo, forcei
A força de gravidade para debaixo
Dos meus pés, a achatei, a pisei e
Fiz dela a minha raiz aqui;
E um dia paro e a poesia
Continua a pairar e talvez, só
Em estado fantasmagórico, a
Encontrarei de novo, eterna como
Sempre, em estado bruto de antimatéria,
Em energia de sol, nunca dantes
Imaginado, como a nascer de
Mares cósmicos, nunca dantes navegados.

Cool Eyes - Horace Silver Quintet 1958

terça-feira, 21 de julho de 2015

MIKIO, 189; BH, 0140602013.

Direis que a poesia há de ser o que
Não é e que, quem a olhar, não a
Vê e quem a vê, não a enxerga;
Direis que a poesia não há de
Ser explícita, como um ato sexual
E há de ser oculta, pudenda, como
Um súbito vulto, que pensamos perceber 
E não percebemos; ora, direis tantas
Coisas, que, nos confundiremos e
Nos tornaremos mais confusos; e nos
Tornaremos mais doentes, densos, casmurros,
Ao contrário de nos clarificarmos;
E direis que a poesia é treva, opaca,
E que, deveria ficar onde está,
Impossível de ser desvendada, adaptada
Entre as paredes, nas molduras, nos
Umbrais, nos vitrais; não é para ser
Vista a olho nu, ou analisada a olho
Clínico e secada com olho grande,
Ambicionada por olho gordo; quereis
A poesia, sem querer a poesia e o tal
Dificultar o parto dela, cometer o aborto
Para matá-la e inculcá-la em outras
Cabeças? permitireis? quereis ferir a
Rocha e a água jorrar e o leite
Ordenhado da pedra, o mel a
Brotar da areia; o que quereis da
Poesia? calejar as mãos, esfolar os dedos,
Encurvar as costas, perder as vistas? de
Manhã no mar é manhã, com a mesma
Manhã secular, as ondas vêm do horizonte
A quebrar nas praias, a pulverizar rochas
Milenares, a preparar areia para os
Seguimentos da dunas nômades.

MIKIO, 190; BH, 0140602013.

Os homens semelhantes primatas partem
Cedo e geralmente, não sabem para aonde;
E deixam aqui, seus monumentos
Monumentais, que, podem reverenciar
Suas memórias, por várias eternidades,
Inúmeras posteridades e incontáveis
Infinitos; e os homens semelhantes
Primatas são curtos e grossos, perecíveis,
Com datas de vencimentos e sonham
Em perpetuar carnes e ossos e criam
Colossos, que, não poderão apreciar;
Muito implícitos em si, suas obras
Explícitas, não explicam as causas
Que, os levam à destruição e a acabar
Com a civilização; e a obra maior
Desses homens, o que os representam no
Tempo, com presença no espaço, nos
Mais inimagináveis terrenos, é o
Esqueleto, é a caveira que é o
Homem, registros, vestígios, códigos,
Fósseis secretos, poeiras de mistérios;
O esqueleto sim, a caveira idem,
O homem não; o homem perdeu o
Vínculo com o homem, quer construir
Uma nova Torre de Babel e não quer
Construir um novo homem e
Conforma-se em ser feito de papel;
Um papel secundário, duma
Personagem que, não conta a
História, ilude, constrói pontes,
Cordas entre abismos, mas de si,
O que fica, o que edifica por dentro,
É o esqueleto, é a caveira a sorrir
Viva, do morto que o homem foi.

domingo, 19 de julho de 2015

MIKIO, 192; BH, 0170602013.

Numa era em que até o sexo é
Explícito, bradais que a poesia
Tem que ser implícita; nesta
Época tão moderna, onde o corpo
Nu dita a moda, uivais que o
Poema não pode ser tão nu; ora,
Minhas bolas doloridas, implodimos,
Explodimos, demolimos o conservadorismo
Cultural, político, religioso, sexual,
Comportamental, já vides alguma
Aurora implícita? acaso o ocaso que não
Seja explícito? a poesia é tão boa,
O poema é tão bom, que, se
Soubesse, teria perdido a virgindade,
No útero de minha mãe; deixai
Em paz as letras adormecidas nos
Bosques; deixai esquecidas as
Palavras perdidas nos pântanos; não
Façais barulho de assembleias universais,
Por um útero ser laico, ou um
Estado ser mínimo; quando a
Terra se arruma, não deixa nada
Por cima e outras atlântidas irão
Para o fundo domar; os oceanos
Engolirão muitos continentes, a
Deus querer, ou não; e vós sereis o
Pré-sal da terra, quando daqui
Há milhões de anos, as brocas de
Diamantes atingirem as reservas
De óleos no fundo do fundo do
Mar e em forma de petróleo,
Voltareis no juízo final, como
Principal combustível da matéria-prima
Que virou vossa matéria.

MIKIO, 193; BH, 080602013.

O povo trabalhador brasileiro segue
Em busca do próprio rumo e o mote
Reivindicador, é o mais elementar
Do que falta ao povo trabalhador
Brasileiro: saúde adequada ao século
XXI,  de bom nível e gratuita; educação
Ampla, geral e irrestrita e também de
Graça; transporte público de qualidade
E mais mobilidade urbana; salário mínimo
Digno; e quem não acompanha a marcha
Do povo trabalhador brasileiro, será
Engolido pela história; congresso
Nacional com suas mordomias, que,
Tanto envergonham a nação, terá que
Mudar o comportamento; a história
Provou, que, o país nunca foi trabalhista,
O trabalhismo sempre foi combatido,
Perseguido pelos patrões, pela burguesia
E pela elite; até o Partido dos Trabalhadores
Precisou abrir mão dos princípios
Trabalhistas e abraçar causas que os outros
Partidos abraçaram, para poder chegar ao
Poder; combatido ferozmente pela mídia,
Justiça e com péssima comunicação com
Com o povo, o PT, corre o risco de
Entrar para a história como vilão; pena
Que, saga tão bonita, igual a do Partido
Dos Trabalhadores, ter que ser jogada
Assim no lixo; mas, em parte, é culpa
Do próprio partido, que, se deixou
Enfraquecer diante dos seus adversários
E se descaracteriza, perante o povo
Trabalhador brasileiro; a direita agradece,
Especialista e mais oportunista, pegará
Carona nesta Primavera Brasileira.

MIKIO, 194, BH, 0200602013.

Se a humanidade saísse à procura
Dum mote, que, fosse dar sentido à
Vida, ou corresse atrás dum
Tema, onde as respostas poriam fim
Ao desprezo pelas coisas do conhecimento
E com esse lema acabar com a
Estupidez; todo ser humano pensa em
Tudo e não pensa nada, nas
Coisas superiores do pensamento; e
Estaciona-se nas coisas inferiores,
Nos subterrâneos, das valas, locas, dos
Ralos; torna-se bela a raça humana,
Quando persegue o belo, sai do
Marasmo, da insanidade do tédio;
E a humanidade tem um dom,
O de nunca envelhecer e sempre
Renova-se, ininterruptamente, há
Sempre um ser novo a ocupar o
Lugar de um velho; e esse dom de
Renovação, deveria ser adaptado às
Ideias e as ideias também seriam
Sempre renovadas com criatividades,
Com inovações e revoluções; e o
Outro dom da humanidade, é o
Dom da revolução; é o de revolucionar;
E com o tempo acomodar, quando
O revolucionar exige, a luta, estar
De atalaia, se sentinela com
Sentidos, a rondar para garantir
O imperialismo das trevas, distante,
Fora do alcance do ideal capitalista,
Da globalização ditadora, nada
Democrática e totalmente tendenciosa;
A humanidade precisa sair a procurar.

sexta-feira, 17 de julho de 2015

PSDB, PAVOR DO BRASIL:

 
Em sua primeira intervenção como presidente do Instituto Teotônio Vilela, o ex-deputado José Aníbal definiu logo seu estilo:
 
O título do editorial é “Lula, a sua hora chegou”.
 
O intertítulo não fica a dever ao colunismo de ultradireita ao qual o PSDB passou a andar a reboque: “Ex-presidente terá de responder pelo balcão de negócios que, com sua ascensão à presidência, o PT armou no poder e transformou o governo federal num antro de corrupção”.
 
O artigo exercita o “se”  para apimentar os ataques:  “O Código Penal estipula pena de dois a cinco anos de reclusão para quem for condenado”.
 
Com o estilo escorreito dos grandes pensadores, o editorial decreta: “Lula, sua batata está assando…”. E prossegue com ironias típicas do padrão Veja: “Pelo visto, o investimento da empreiteira na contratação da mãozinha do ex-presidente compensou…”
 
Deixa de lado a informação de que a Camargo Correa contribuiu tanto para o Instituto Lula quanto para o Instituto FHC e decreta: “No início de junho, já haviam (sic) vindo a público pagamentos feitos pela Camargo Correa ao Instituto Lula e à empresa do ex-presidente, a LILS. Documentos apreendidos pela Lava-Jato registram repasses de R$ 4,5 milhões a título de “bônus eleitorais”, “contribuições e doações””.
 
Como não poderia deixar de ser, nesse nível de argumentação, invoca a falta de um dedo de Lula: “O estado atual de degradação em que o país foi posto tem as nove digitais – e muito mais – de Luiz Inácio Lula da Silva”.
 
Tal texto seria adequado para um militante de redes sociais, algum blogueiro alucinado ou para  os comentaristas da ultradireita escatológica. No site do Instituto incumbido de ajudar o PSDB a pensar o futuro, é uma tristeza, que denota a total incapacidade de Aníbal de ajudar o PSDB a recriar um discurso minimamente racional.
 
Para quem conheceu o PSDB de Covas, Sérgio Motta e Montoro, para quem acompanhou a saga de Teotonio Vilela, é a chamada vergonha alheia. É uma desgraça saber que o PSDB perdeu totalmente a capacidade de formular uma alternativa de governo.

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Patagônia, 1155, 4; BH, 01901202012.

O rico entra na igreja de vagabundo que é, ou
De sem-vergonha que é; o ricaço netra na
Igreja de vagabundagem, já que foi amaldiçoado
Na fonte; Jesus Cristo dizia no início, que é mais
Fácil um camelo passar no fundo duma agulha,
Do que um rico entrar no reino dos céus; o
Rico é estigmatizado pela Escrituras: conta-se,
Que, um jovem chegou perto de Jesus Cristo
E disse: como faço para entrar no reino dos
Céus? vai, vende tudo que tens e distribua
Entre os pobres; o cara entrou em prantos
Amargamente, pois era dono de grandes
Riquezas; se for pelas escrituras, de nada
Adianta o rico agradar a Deus e a Cristo, a
Não ser se virar pobre, esquecer a plutocracia
E aí? o pobre vai virar rico? e como ficam as
Coisas? o sonho do pobre é encontrar um
Rico assim, bem disposto a vender tudo e
Doar para ele; mas, quando entra para a
Igreja, percebe, que quem pode ficar rico,
São só os pastores, a igreja, menos, o pobre
Coitado do pobre; Valadão, R R Soares,
Crivela, Macedo, Malafaia, Rossi, Fábio,
Todos bem satisfeitos, milionários e com
Pouca labuta, pouco suor na camisa, no
Rosto; essa parte é só a do pobre, que faz
Da pele pergaminho, para atender as
Exigências das igrejas, para o levar aos
Céus; graças a Deus, não quero ir para
O céu, só pelo fato de teimar em ser poeta,
Queimo a minha salvação, mas, deixo as
Coisas de acordo com as escrituras: o
Inferno aos ricos e os céus aos pobres e
Eu por aí a vagar no infinito.

Patagônia, 1155, 5; BH, 02201202011.

De múltiplo uso de múltiplos poetas e escritores,
Múltiplos espíritos perambulam-me: uns são
Nobres, elevados, altíssimos; outros são vis,
Vagabundos, rasteiros e apenas a passagem, o
Canal, os recebo, passivo, submisso, servil;
Ditam-me as normas, as regras, as leis,
Passam-me os mandamentos, os testamentos,
As parábolas; impõem-me castigos, torturas
E marcam-me, querem-me luxo e fazem-me
De lixo; navegam-me em embarcações, em
Transatlânticos navios, naus, caravelas; e
Cruzam-me em naves espaciais, planetas,
Estações orbitais; vivem-me, querem ser
Eternos, ter posteridades e usam-me como
Cobaia, parasita, pária, cavalo, carroça,
Carruagem, Suez, Panamá, estreito de
Gilbratar e dobram-me como o cabo das
Tormentas, numa Boa Esperança, ou
Lançam-me nas Termófilas; uns são sabidos
Sabinos, Sabinadas, Sandinos, satélites, lavas;
Outros são trovões, relâmpagos, Saramagos,
Magos de Pessoas, Eças de peças, ecos de
Homeros, Ulisses de Joyces, confusões de
Rosas, Borges, mulheres de Elizabeths,
Desafinados, Tons de Jobim, Vinícius de
Buarques, Gils de Joões; e outros antigos
Medievais, clássicos coloquiais e não sei o que
Mais; brasileiros, estrangeiros, estranhos,
Extravagantes, extraterrestres, transviados,
Pagãos, ateus, agnósticos, sádicos, masoquistas,
Ativos, passivos, lésbicas, homossexuais,
Anormais e inclusive normais; e têm os anões
Em guerras com os gigantes e os titãs e os falsos 
Santos a imporem suas santidades aos profanos.

Patagônia, 1155, 6; BH, 02201202011.

Realmente, nem tudo está perdido, inda
Há beira de mar, margem de rio, borda
De lagoa, beira de lago; e cacimbas,
Caçambas, cisternas, realmente, nem
Tudo está perdido; e não desminto,
Ainda há suspiros de jovens apaixonadas,
Sussurros de amantes e murmúrios de
Beijos no escuro; há taças de vinho a
Transbordar, pomares de parreiras,
Oliveiras; não desminto a realidade e
Nem a natureza, ou a verdade, alguém
Tocará um piano, soprará um saxofone,
Ou um pistom e escreverá à mão uma
Lauda; manuscritos e partituras antigos
Serão descobertos, ossos envelhecidos
E fossilizados serão reverenciados; e
Alarmistas, profetas, pregadores das
Vindas dos caos e dos infernos e do
Juízo final, nem tudo está perdido,
Repito e não desminto, torno a
Repetir, apesar das cremações, as
Cinzas sobrevivem como Fênix; todos
Os dias nascem e morrem pessoas
Na infinita renovação; e se houver
Hecatombe, alguma semente restará
Para geminação; e as crianças? as
Crianças teimam em nascer e querem
Exterminá-las, jogam-nas no lixo, das
Janelas, dos carros, abortam-nas e
As crianças teimam em nascer, para
Dar continuidade à nossa história; e
As crianças são sagradas, mas, são
Profanadas por muitos heréticos,
Com suas heresias, que impedem as
Crianças de tudo; deixai vir os
Pequeninos e suas prioridades, pois
São a evolução da espécie, são a
Certeza e a esperança, de que,
Realmente, nem tudo está perdido.

Patagônia, 927, 30; BH, 030102012.

A única coisa que, faz o homem se lembrar
De alguma coisa, é a dor; a dor, penso,
Que, verdadeiramente, faz o homem
Existir; e o homem pode dizer sem dor:
Não sou, não sinto, não penso, não existo;
Sem dor não amo, não tenho paz, não
Durmo; é por isso que digo: a companheira
Do homem é a dor, sem dor não há vida
No homem, sentimento, sentido, razão;
Sem dor o homem não procura respostas,
Saídas, sanidades, soluções; quem não
Conhece a dor, não vive, e na certa, não
Conhece a vida, pois, vida sem dor não é
Vida, é morte; minha dor vive em mim,
Vive em minhas paredes, portas e janelas;
Vive nas minhas salas, quartos , cozinha,
Banheiro; todas as minhas casas e
Moradas, são habitadas pela dor; dor
Visceral e infinita, antiga, que gira e
Renova, moderna; não durmo sem dor e
Durmo com a dor em meu corpo, e até
Em minhas sombras, a dor dói em mim;
Tem nome e sobrenome e endereço,
Sexo e registro civil; é uma dor inocente,
Pura, mas, que machuca-me lá no fundo;
E amo esta dor e não quero nunca não
Livrar-me da minha dor, pelo contrário,
Quero estar a cada dia aprisionado, mais
Preso nas paredes de suas cavernas,
Eternamente acorrentado.

Patagônia, 927, 31; BH, 030102012.

Minha mente está viciada,
Como uma usuária de crack,
Minha mente está viciada,
Meu cérebro sodomizado,
Uma sodomia numa gomorra mental;
Meus pensamentos estão cegos,
Para não violentarem,
Não seviciarem os outros pensamentos;
Nas paredes internas do meu crânio,
Estão gravadas em letras de fogo,
As palavras de sabedoria,
Que não consigo copiar nos blocos rochosos,
Que caem das alturas,
Além das abóbadas celestes;  
Cometas desgarrados de sóis de outras dimensões,
Orbitam os labirintos dos meus neurônios;
Nascedouros de estrelas formam constelações,
Galáxias de aglomerados de galáxias,
Nunca vistos nos mapeamentos universais;
E não oportunista,
Não tenho como passar às lápides,
Os desejos dos deuses criadores,
Dessas obras-primas repletas de anseios;
Volto ao lado de dentro de mim,
Como se olhasse do fundo dum subterrâneo
Da cratera deixada por um buraco negro;
Um quasar pulsa nos cinturões dos limites das
Estrelas que escoam os pensamentos;
E tudo num silêncio de núcleo de célula,
De rastejar de mitocôndrias,
Retículos endoplasmáticos,
Complexos de Golgi,
Reações ácidas e de processos de reproduções;
Pisei de mansinho do lado de dentro das solas dos meus pés,
Para não despertar os rumores dos humores,
Que tiram de suas órbitas,
Esses astros dimensionais.

O Golpe é isso aí. Dilma não governa !


A Oposição não precisa mais impeachar a Dilma.

A Dilma caiu pra dentro.

Golpe é isso aí.

O Juiz Moro está determinado a extinguir a População Economicamente Ativa, quebrar a Petrobras, as empreiteiras, a indústria naval – e danem-se !

Não precisa mais derrubar a Dilma nem encanar o Lula.

O Golpe foi dado.

Moro é imparável !

Ele investiga e julga quem quer, como quer, quantas vezes quiser e prende quem quiser, pelo tempo que quiser, com ou sem mandado judicial.

E o Moro tem lado: cássios e aécios … não vem ao caso.

O Supremo não segura o Moro embora pudesse – e devesse.

Nem o Conselho Nacional de Justiça.

O CNJ só existiu enquanto o Gilmar o presidiu e o transformou em sua corte privativa.

Moro é inatingível.

Moro é a demonstração de que o Judiciário se tornou um Poder anômico, disfuncional.

Gilmar é o centro do Poder Judiciário.

Porque ele legisla, julga e pune – fora do tribunal.

Não precisa do Supremo – só para o gabinete, a condicionado e o carro com chofeur.

Ele controla a opinião pública.

Ele dispensa a Corte.

Gilmar é ministro acima do Supremo.

E, em última instância, quando urgente, decide nos recessos do Supremo.

O  Ministério Público é o monstro do Sepúlveda Pertence.

Não tem chefia nem controle.

São uns fanfarrões que fazem o que querem, contra quem quiserem, como e quando quiserem.

E se quiserem esquecem na gaveta por três anos qualquer providência que incrimine os tucanos.

Não respondem a ninguém.

É outra instituição disfuncional, anômica.

E os fanfarrões, uns coxinhas, tem lado: contra o PT.

Como diz o meu amigo: o Ministério Público é o DOI-CODI da Democracia.

O Legislativo é um agente permanente da subversão institucional, nas mãos de dois perseguidos pela Justiça.

Em conluio com o Judiciário, aprovou a PEC da Bengala, para alongar o Estado de Caos.

A Câmara é capaz de aprovar o que quiser, em quantas votações quiser.

Seu presidente reúne o Baixo Clero e dali sai tudo !

Instalar a Monarquia !

Ah, mas tudo pode ser revertido no Senado.

No Senado ?

O presidente do Senado sofre do mesmo tipo de insônia de seu companheiro de cela, na Câmara.

Só não vão, os dois, para a cadeia, se o Judiciário se mantiver nessa trilha subversiva, em completa anarquia.

E é nisso que os dois jogam.

Na anarquia institucional.

Melar o jogo das instituições, das regras.

Jogar tudo na fossa.

A Polícia Federal é a kalishinikov da esculhambação generalizada.

Invade as casas sem mandado judicial.

Prende a cunhada – e dane-se !

Decide que afiliado da Globo não pode ter Ferrari.

Vai entrando – e dane-se !

Grampeia preso na latrina e no fumódromo.

E usa o resultado no grampo para arrancar delação de preso condenado à prisão perpetua.

Faz prova de tiro com o rosto da Presidenta !

Admitem que são aecistas – e dane-se !

Doa a quem doer.

Vocês pensam que o Daiello manda ?

Ninguém manda na PF.

Nem ele nem esse patético do zé da Justiça.

Que não tem autoridade moral para ser vereador.

Cada delegado é um Poder.

Um Poder sem normas, regras, disciplina.

Cada delegado é um AI-5 !

O distintivo da PF vale mais que a faixa presidencial: prende e arrebenta !

Como diz o meu amigo: a PF da Democracia é a OBAN da ditadura !

E como são todos uns coxinhas, estão ali pra pegar os petistas e os amigos dos petistas.

E vai encarar ?

E o Executivo ?

O Executivo renunciou.

Renunciou ao dever de liderar.

Como diz o Delfim: a Dilma se recusa a fazer o que o Executivo faz desde Pedro I: ser o protagonista.

Ela só se mobiliza, berra, grita, diz coisas horríveis – e vai parar tudo no PiG ! – quando se vê ameaçada na pessoa física.

Se o ataque é ao Governo … não é com ela !

A PF ?

E ela com isso ?

Desde que ninguém duvide de seu caráter pessoal, de sua integridade pessoal.

E como ninguém jamais duvidou …

E desde que o ajuste siga seu curso e o Brasil não perca o investment grade …

O que significa que ela não entendeu o que significa sentar-se na Presidência da República do Brasil.

Por isso, o Executivo se tornou anômico, disfuncional – e o Golpe é isso que está aí.

Essa mixórida.

Essa esculhambação.

Uma avacalhação que engoliu a própria Oposição.

Quem leva a sério os Cássios que voam dinheiro, os Aecíns do bafômetro, os Cerras chevrônicos e o Príncipe da Privataria ?

E o Geraldinho, cuja validade não ultrapassa o Vale do Paraíba ?

Eles já perceberam sua irrelevância – se não forem cínicos.

Afogaram-se  na  roubalheira que só o Moro faz  ignorar.

Tucano ? Não vem ao caso !

(E ele acha que ninguém percebeu ainda …)

E o PiG ?

O PiG também não engana mais ninguém.

Nem a si mesmo.

Esse pseudo-jornalismo que finge dar legitimidade a 328 delações por dia …

Que põe as latrinas na porta para receber os vazamentos.

E simular “jornalismo isento”.

E prender por antecipação: fulano vai ser preso !

O beltrano não dura 48 horas na rua !

O nome dele, do sicrano apareceu numa folha de papel higiênico do delator 8.907 !

Tudo na primeira pagina.

Para amedrontar, encurralar, enfraquecer – fazer o papel de Polícia.

Esses colonistas que dizem o que o patrão quer e morrem de medo de o patrão manda-los embora, na primeiro aumento da energia elétrica …

A Casa Grande não precisa mais de Golpe.

Nem do PiG.

O Golpe é isso aí.

O que está aí é de bom tamanho.

Como não vai ter impítim, mesmo…

Porque chamar o TCU de tribunal é quase uma agressão pessoal …

E como o TSE tem uns dois ou três ministros além de seu faz-tudo, o Gilmar …

Por isso, o impítim não deve sair.

Impítim deve dar muito trabalho.

Tanto que o Ministro (sic), o Presidente da Câmara (sic) e um deputado foragido da Justiça precisam se reunir para tomar café da manhã – certamente esse não foi um almoço grátis, como diria o Milton Friedman, porque o contribuinte pagou …  – para arquitetar o impítim.

É porque é uma coisa complexa.

Exige mais tempo que um bolo de milho.

Tanto que, parece, foi uma conspiração inconclusiva.

O Trio Impicheiro ainda tem dúvidas operacionais, parece.

É mais fácil manter o que está aí.

Mais simples.

Não é um Golpe paraguaio, hondurenho nem norte-americano, à la Bush.

É uma jabuticaba brasileira.

Deixa rolar o Golpe instalado !

A Dilma governa o ajuste…

O resto quem governa é o Gilmar.


Paulo Henrique Amorim