sábado, 11 de julho de 2015

Patagônia, 1155, 17; BH, 0200702012.

Todos os meus pensamentos estão lavrados com fogo em rocha,
Se são bons, ou se são maus,
Não os julgueis,
São os meus pensamentos
E devo dar a vida por eles;
Não posso escolher,
Não tenho escolha,
Todos são dos fundos das cavernas do lado de dentro
E merecem a mesma imortalidade;
Dou-lhes à luz tal uma mulher grávida ao filho amado,
Nino-lhes,
Amamento-lhes,
Pois são meus pensamentos,
Engendrados em mim
E eu neles;
E sou um navio,
Uma nau,
Embarcação onde estão lotados;
Sou baú,
Arca,
Pote onde estão gestados;
E uns dependem do outro,
Sem mim não existem
E sem eles quem não existe sou eu;
E todos os montes nos conhecem,
Todas as montanhas são nossas conhecidas;
Não há um único astro no universo,
Um único átomo de matéria,
A quem não temos reverenciados;
Todas as moléculas e partículas nos compõem
E nós as compomos uma por uma,
Igual o tempo faz com as dunas
E os ventos com os desfiladeiros;
A benção meus pensamentos,
Meus bons pensamentos,
Meus maus pensamentos,
A benção,
Sois livres,
O universo vos espera em obras-primas,
O universo vos espera em obras de arte,
Com moldura e tela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário