sexta-feira, 31 de maio de 2019

A realidade causa estonteamento a quem é diferente; Publicado: BH, 0110120602001; BH, 0310502019.

A realidade causa estonteamento a quem é diferente
Da realidade atual e até o estoniano e natural da 
Estônia com seu idioma falado lá tem outra realidade
Hodierna e a verdade na boca age como se fosse 
Uma estomatite ou uma inflamação da membrana 
Mucosa bucal e para assimilar o lixo que recebemos
É preciso ter estômago e salvo algumas poucas e 
Raras exceções e com a mídia então é ter paciência 
E maiores cuidados e capacidade para suportar
Tantos aborrecimentos e importunações e causa 
Ester e ânsia de vômito e náusea nas vísceras o teor 
Midiático em que se faz parte da digestão do alimento 
E limitada superiormente pelo esôfago e inferiormente
Pelo intestino delgado r nem nosso estômago aguenta 
Mais tanta podridão e até a comida é de estomagar-nos
E a bebida de irritar-nos a barriga e tudo mais só faz 
Ofender-nos e magoar-nos e e hoje contamos nos 
Dedos o que é bom para o estômago e o relativo 
Estomacal anda sumido e só o estúpido é entupido ou o
Tolo é que se deixa enganar pela propaganda enganosa       
E só o estólido come e bebe de tudo e compra de tudo 
E consome-se todo sem se preocupar dom o que está a 
Beber ou a comer ou a comprar vendado pela faixa 
Larga geralmente de peles que as mulheres usam sobre 
Os ombros e vira logo moda cara e mais cara até do 
Que a de pano larga e adornada usada pelos sacerdotes
Durante a celebração da missa e não passam duma estola
E a cabeça hoje é uma caixa pequena e o cérebro uma 
Bolsa na qual cabe exatamente só um determinado objeto
E o crânio um estojo onde não se pode estojar nada de 
Estoico e nada tem a guardar de indivíduo austero e ao 
Que é relativo ao estoicismo e escola filosófica da 
Antiguidade e que prega a indiferença ou desprezo pelos
Males físicos e morais e é coisa mais do que do passado
E arcaica e ultrapassada e a austeridade hoje e rigidez 
De princípios viraram sinônimos de peadas e intrigas e 
Mentiras e falsidades e vide nosso estofo político e é 
Bem estafe e pior do que o tecido ou a lâmina plástica
Com que se recobre um móvel acolchoado e está 
Completamente estagnado e não adianta acolchoar ou
Cobrir ou estofar e está podre desde a raiz e o estofador
Não encontrou boa estofa e era lã ruim e era seda
Estragada e aumentou então o estocar de injustiças e o 
Formar de estoques de injustiçados e de mercadorias
Baratas e inúteis e fúteis e com defeito de estocagem de 
Maior miséria e estocada de pobreza mais profunda do 
Que o golpe dado com a ponta de qualquer objeto 
Perfurante e hoje não ouvimos o ruído do coração nem
Por aparelhos e perdemos o fluxo do mar e acabou-se 
A paixão e foi-se o ardor pelo amor e cessou-se o esto
Da fé e não se vai arrumar mais carga para o nosso navio
E estivar agora só o estrangeiro que está em período 
Estival e concernente ao estio e não cai chuva em nossa 
Horta e secou tal o trabalho na estiva e acabou-se a 
Estiagem e o estivador do cais do porto e aquele indivíduo
Que procede a carga e descarga dos navios na estivação
E para o fundo do navio onde vai a carga e na primeira 
Porção o serviço zerou na estirpe e morreu a linhagem de 
Tantas e grandes histórias e arrancou-se o tronco da origem
E as pedras do estirão ficaram órfãs dos pés pesados e das 
Penas curtas nos caminhos longos e das pernas longas nas
Caminhadas curtas e olho e meu olho vira um trecho de rio 
Que cai em linha reta num estirar de cachoeira por deitar-se
Em todo comprimento e humilhar-se por uma migalha de 
Trabalho e é um estender de mãos o desemprego e um 
Alinhar d corpos calejados a puxar no esticar dos braços e
No deitar no chão ao comprido na terra cadáver a virar pó
E a ser levado pela poeira de estirada e o que nunca se fez
Antes se fará hoje a espreguiçar-se na ociosidade e ao 
Máximo a estirar-se muito forçado e não leva a culpa deste
Estiraçar e quer contribuir e quer fazer a sua parte e tomara 
Que a carne sirva de adubo para a estiracácea a espécime 
Das estiracáceas de vegetal florífero que se compõe de 
Árvores e arbustos de flores alternas e folhas pequenas das
Suas quase cento e dez espécies e algumas produzem resinas
Aromáticas e Guga sabe estipular e convencionar condições por
Meio de contato e contrato e tratado e acordo e ajustar e
Estabelecer fixar brilho para ofuscar o apagão dos nossos políticos.    

quarta-feira, 29 de maio de 2019

E nunca exerci a profissão de caixeiro viajante; BH, 0701202000; Publicado: BH, 0290502019.

E nunca exerci a profissão de caixeiro viajante 
E aliás exerci poucas profissões na vida e caixeirar 
Confesso nunca foi o meu forte e não nasci com o 
Dom caixeiral e vender para mim é mais difícil do 
Que comprar e já fui empregado do comércio mas 
O de baixa caixeiragem e tanto que nem chego a
Considerar-me um componente da classe e fiz 
Parte da caixeirada por pouco tempo e mantive a 
Caixaria baixa e o dinheiro que arranjei atrás de
Balcão ou de ambulante a perambular pelas ruas 
Pior do que o caíva e pior do que o mato ruim e 
Foi carrasquento e de silvas de terra estéril e pobre 
De humo e menos do que caíba e como um caetê 
Ou uma planta brasileira ornamental penso que servi
Muito menos e não tive tanta utilidade de caitê e de 
Cairense da capital do Eito ou do cairota que nasceu
Ou reside no Cairo e ser útil mesmo é ser e ter fibra
E filamento de coco excelente para fazer trançados 
E cordas e sem o ar fútil com fita e cadarço e no 
Debruar do milho e o orlar do galão o cairelar do 
Cairara a espécie de macaco que não conhece 
Caipirada e não conhece acanhamento e falta de 
Traquejo e de cidade e cuja caipirice não o impede
De gargalhar e de sobreviver na caipiragem denunciada 
Por todas na sociedade e tem que ter a caiadura da
Caradura sem caiar a cara ou fazer careação na caiação 
E caio do cainho e a cainha da miséria e a mesquinhez
Que seca e a sovinice que desestrutura e livra-me enfim
Senhor do Bonfim se ainda houver tempo e a avareza
Mata e não pretendo morrer na cainheza que vem do 
Latir dos cães e da unha de fome e do pão-duro e d 
Avarento e do ser miserável que só sabe negar ou 
Cainhar pior do que um mendigo com defeito e que 
Exterminou o caingangue indígena que habitava o sul 
Desde São Paulo e hoje não ouvimos mais falar e o 
Que houve não é difícil de imaginar e até se pode 
Adivinhar e foi obra da cainçada branca e da cainçalha 
Colonizadora da cainça de grupo de cachorros que não
Respeita nem caimão e anda atrás a perseguir couro de 
Jacaré e crocodilo que com ação de Caim que foi o 
Nome próprio do primeiro filho de Adão e Eva e assim
Assassino de Abel e hoje é sinônimo de fratricida ou 
Matador do irmão ou traidor ou pessoa má e de instintos
Sanguinários e livra-nos Senhor se ainda houver tempo e
Tira-nos do caidor e do lugar onde a gente cai e onde 
Desce o gado no rio para passar a nado e não deixa-nos
Morrer afogados em fundo caidiço ou caideiro e perigoso
E quem cai frequentemente ali não volta aqui para contar 
A história e o veneno da caiçaca a mais comum das 
Jararacas nacionais bothrops atrox lin não dá tempo nem 
De caibrar ou de pôr caibro no telhado e que vem ao chão 
Por falta de caibramento e o conjunto caibral mal feito que 
Fica então cãibo e torto de tão câimbo tal galho onde o 
Caiarara macaco da família dos cebideos e o cebus gracilis
Faz suas graças para a natureza e conserva-a Senhor enquanto
Há tempo e amanhã talvez não a poderemos achar e será raro
O caiapiá a raiz medicinal do caapiá e c aiar não adiantará mais 
E a mão de cal não encobrirá a vergonha da devastação e o 
Caiador para esconder a verdade não terá mais profissão ou 
Caiações estratégicas ou painel caiado ou revestido e alvejado
Com cosméticos e igual ao rosto da meretriz velha e cansada e
A face de cadela com caiadela para encobrir a dor do sofrimento
Da angústia de perder por caguira e por azar no jogo e por 
Acreditar no caiporismo lançado por maldição e peso na 
Consciência e o medo que transforma o homem em indivíduo 
Imprestável ou pequenino e de corpo anêmico e de alma covarde
E de espírito medroso nos atos e fraco nas ações de caguincha e
De cagotinho da epizootia que ataca os muares e o cangotilho 
Que não querem livrar o capuz o filho de negro e índio o mestiço
De cor negra ou quase cabelos corridos e grossos o mesmo
           Caburé filho deste Brasil infinito e muitas vezes desprezado.          

Gostaria de poder usar o meu crânio como um cálice; BH, 0501202000; Publicado: BH, 0290502019.

Gostaria de usar o meu crânio como um cálice
E como uma caçoila ou vasilha onde se queimam
Perfumes ou um defumador onde a combustão fosse
O meu pensamento porém tenho mais é que morrer
Do que escrever e e tenho mais é que dar tiros do
Que palavras de conforto e bater a caçoleta por
Não saber usar um cadinho de ourives para nele 
Dissolver a substância nociva que existe dentro 
De mim e dissolver no fogo as armas e as capsulas e os 
Cartuchos e as espingardas e os fuzis para que com
Isso possa aumentar o que há de diminutivo no meu 
Ego e diga no meu cacografismo esse hábito mórbido
E essa prática crônica de má grafia e de erros de 
Ortografia se salva-se alguma mensagem? e nessa 
Escrita errada de vício cacográfico existe alguma 
Utilidade? ou continuo a só cacografar futilidades?
E como toda pessoa tem horror aos cacófatos 
Permaneço sem público e enquanto o homem for 
Cacofonófobo e a humanidade sofrer de cacofonofobia
Continuarei a morrer de fome e ninguém dará Prêmio 
Nobel de Literatura a um cacofonista de escrita habituada
A cometer cacofonismo e enquanto isso sigo com a falta
De referência e a cacofoniar pelas linhas da vida até 
Atingir a evolução e o crescimento literário e na verdade
Ou creia-me escrevo na tentativa de ser útil à humanidade 
E de livrar a raça humana e o ser humano dos comportamentos 
Cacófagos e de ser atacados pela cacofagia e pela
Degenerescência do paladar para a regenerescência e que 
Não os leve a comer os excrementos na crueldade gerada 
Por eles mesmos e sei que ao falar revelo o tom cacoépico 
E a pronúncia viciada e o de acentuação e a prosódia da 
Minha cacoépia e porém o mais importante é livrar a 
Humanidade da devastação interior e acelerar a combinação
Como no cacodílico do ácido formado pela combinação de
Dois radicais metila com átomo arsênico e um de hidrogênio 
E dois de oxigênio e no cacodilato a designação genérica 
Dos sais e esteres do caco do grego kakos do mau cacite
Do vaso especial para a decoada ou cacim usado pelos
Tintureiros no cubículo da câmara do quarto retraído num 
Recanto escuro ou num buraco tipo no jogo de bola ou 
Na gaveta dum cacifo ou na caixa dum cofre no cacifro dum
Cacifeiro que ao recolher no jogo as entradas dos jogadores 
Faz o cacifar sem antes guardar o do santo e o do cacique 
Que não respeita a tradição da tribo para cacicar por conta
Própria o chefe político com habito cacical de última 
Geração e vende uma dentadura por uma eleição e ai que 
Saudade da cachucha e da dança espanhola muito ligeira e
Graciosa que fazia-nos esquecer um pouco da dureza da 
Realidade e livrava-nos um pouco da caduquez da caduquice 
Do nosso destino e do nosso estado e da nossa ação de 
Caducos e já que temos a razão embotada pela ação dos 
Anos e a herança será só a maluquice e a idiotice e por mais 
Sadio que seja o nosso cérebro acabará sempre a transformar-se
Num cateteu ou num caititu ou num porco-do-mato e que agora 
Abomina tudo e detesta café-cantante antiga denominação de 
Casas que hoje se chamam dancings ou boates ou casas de
Diversões com músicas ou cantos e acha que tudo é inútil e 
Não passa de besteira e acaba a não passar nem na porta do 
Café-concerto e não sente mais as saudades do cafeiral ou 
Das belas plantações dos cafeeiros e só espera à tarde depois 
Do almoço quando algum filho cafeteiro prepara o café e tanto 
Quanto o antigo empregado que servia a bebida nos cafés tal o 
Dono e proprietário e hoje o dele é bem ralo e com bastante 
Água e até a cerveja tem que levar bastante água e um pouco 
De açúcar e apesar de ser da cafraria a região da África e 
Terra dos cafres de multidão de pretos de senzala por ironia
Fala que é descendente de holandês e descasca alguma 
Feridinha na perna e quando aparece a parte branquinha de 
Debaixo da pele da ferida chama todos com euforia e a gritar 
Venham ver estou a ficar branco e é um velho sacana porém 
Sem ser cafumango e pessoa que não tem muitas qualidades e 
Como um cozinheiro que não sabe cozinhar e não é inábil e nem
Usa termo vulgar e nem tem comportamento de cafunje ou de 
Larápio e de moleque travesso e gatuno e apesar de sermos
Descendentes de homens da caverna ao fim dos nossos dias 
Sempre retornamos às nossas raízes e tanto que a nossa última
Morada se não formos queimados será uma cafurna ou uma 
Cafua de gruta ou uma sepultura numa grota ou numa loca e se 
Formos queimados voltaremos às cinzas e ao pó dos quais 
Fomos feitos segundo as más línguas dos das antiguidades.

E tirar alguma coisa lúcida da caixeta não é fácil; BH, 0701202000; Publicado: BH, 0280502019.

E tirar alguma coisa lúcida da caixeta não é fácil
E quando a caixa não funciona e quando a caixinha
Está vazia e o pensamento fica a parecer um caixote
De embalar sabão em barras ou bacalhau e a psique
Da caixilharia é frágil e a caixola de pequenas dimensões
Nada mais oferece a não ser caixotaria de engradados
Velhos ou igual casa onde se fazem ou se vendem e no
Caixoteiro e cada uma das divisões da caixa tipográfica
E as letras são fúteis e as palavras inúteis e não são de
Funcionar nem a troco de cajadadas ou pancadas com
Cajados ou bastões pois pensar dói e descrever a
Cajarana nem a usar a malícia cajetilha de rapaz da
Cidade ou de sujeito presumido e tirado a pelintra e
Descrever a cajuçara e nome duma planta do Brasil não
É matéria simples e nem a cajuína e o vinho feiro de caju
Ajudam a mente na manipulação das letras e na
Composição das palavras e veja a cajurana da família das
Simarubáceas e a sumaba guaianesis engl e se não aparecer
Alguém em condições de falar nelas certamente ficará
Restrita a velhos dicionários empoeirados de velhas
Prateleiras de velhos prédios de velhas bibliotecas de velhos
Templos e o cajueiro também perderá tempo e dinheiro para
Encher páginas de papel com todas as adjetivações
Necessárias e louváveis a um pé de caju e o calabrês e
Natural da Calábria na Itália e o dialeto falado nessa região
Se preocupará mais com uma pizza calabresa do que com
Um pé-de-pau qualquer de país tropical e a escrita que
Ofereço é um calabrote ou uma calaça e a culpa é minha
E não perco a indolência e a preguiça morrerá comigo e 
Sou o preguiçoso de verbo indolente e de regência e vadio
De concordância e mandrião de caleçaria de pândega 
Vocabular e da vida folgada de quem não sabe pensar e só
Coordenar uma vadiagem mental e calacear uma vadiagem 
Na ignorância e um viver na vagabundice duma semi alfabetização
E vagabundear na mandrionice literária e na calaceirice do
Cavorteiro que faz o calcamento da cultua que hoje não tem a 
Santa paciência nem de descrever um cajazeiro em texto cálido 
De conteúdo sagaz e visão de astuto e o pintor dum pequeno cálice 
Das flores dum calículo dum óleo sobre tela faz um quadro 
Caliculado e calicromo como o que tem belas cores e recebe alta 
Cotação na hora dos leilões especializados e como quem pinta 
Uma tela assim é que gostaria de escrever porém não é fácil e é
Como se sofresse duma calicose da doença produzida pela 
Inalação de finas partículas de pedras e a pneumoconiose que 
Mata na raiz toda beleza calicinal que não deixa perceber a clareza
Caliciforme corrosiva e tal o calicida e o medicamento que destrói
Os calos e destrói o cérebro e corrói o pensamento a impedir a 
Descrição da calicerácea na espécime das caliceráceas a pequena
Família de plantas dicotiledôneas e se pudesse perder a cabeça da
Mesma maneira que João Batista perdeu a gritar na cara de Herodes
E de Salomé as verdades que tanto os envergonharam e da mesma 
Maneira que o profeta João Batista bradava as profecias dele e assim
Gostaria de possuir o dom de escrever e sem medo e sem covardia e
Mesmo a ter o pescoço cortado da caliandra a planta ornamental e o 
Cali carbonato de potássio tem do grego kallos o elemento de 
Composição designativo de belo e não tenho nem boa caligrafia e nem
Boa califonia e o que resta-me? o calu do latim? e o que quer
Impedir-me de sonhar? a calha entupida e o calhau que impede a água 
De escoar e o pedregulho que fere os pés e o pedrisco no feijão que 
Quebra os dentes e o pedrouço e o seixo do caminho da calha e dos
Encanamentos dos beirais por onde escorrem as chuvas e a bica e o 
Rego e o sulco para o escoamento das lágrimas e talvez quem sabe 
Quando encontrar um calepino ou um dicionário de vasto vocabulário 
Como o que vem do nome do autor Ambrósio de Calépio e que 
Publicou em 1502 um latino e que consiga eu desvendar esses mistérios
E superar as dificuldades da calentura da pena e da sensação forte de 
Calor e da febre que causa ao que quer isso e quem dera um dia deixar 
De legado à humanidade um texto honesto onde o homem encontre
 Alguma resposta e solução para o problema do homem recém-homem.

terça-feira, 28 de maio de 2019

Esmague-me com o calcâneo e o osso do tarso; BH, 0701202000; Publicado: BH, 0270502019.

Esmague-me com o calcâneo e o osso do tarso
Que forma o calcanhar e sou a serpente que
Deu a maçã a Eva e que induziu Adão a gerar a
Expulsão dos dois do Jardim do Éden e Adão
Virou calceteiro e operário que calça a rua com
Pedras e empedrador empregou-se numa calcetaria e
Deu de tudo na sua profissão para sustentar a família e
Eva leva até hoje a calceta nos pés e leva a grilheta de
Condenada à pena de dupla jornada de trabalhos
Forçados e é uma eterna condenada a essas penas e
Caim matou o irmão Abel que era obreiro e virou bispo
Da igreja Universal do Reino de Deus durante uma
Pregação de arrecadação de dízimos e entrou para o
Tráfico cedo e outro dia na parte policial dum jornal  li
A notícia da morte de Caim numa casa de detenção
Para presos de alta periculosidade e o casal j[a
Avançado em idade tentou e conseguiu aposentadoria
Pelo INSS e recebe por mês o salário mínimo de
R$ 151, 00 e dos outros componentes da família as
Meninas depois de começarem cedo na prostituição
Infantil morreram esquecidas e infectadas em hospitais
Públicos de saúde para indigentes e na sepultura de
Adão foi plantada uma calceolaria planta ornamental
Da família das Escrofulariáceas calceolaria integrifolia
Murr que secou a raiz e não vingou e Eva foi enterrada
Numa caixa calciforme e mais parecia a forma dum
Sapato velho tanto ela quanto a caixa e depois da
Calcadura o filho de Abel que virou uma espécie de
Calcedônia de variedade fibrosa de sílica cristalina um e
Cadáver calcedônio ao morrer na cadeia antes do seu
Calcador que ao calcar as carnes feito peças de máquinas
De costuras com que se segura o tecido que se cose e o
Filho de Caim padeceu no calcadouro no lugar de eira
Para debulha de cereais que estão por debulhar e em
Ação frequente de calcadoiro e sem a espécie de espátula
Que facilita calçar os sapatos e a calçadeira meteram-lhe
Nos pés grilhões menores do que o seu número como
O calazógamo espécie de calazógamos vegetais nos
Quais o tubo polínico penetra pela calaza como a
Casuarina e como o calázio o pequeno tumor na borda
Livre das pálpebras no terçol não curado e o hordéolo que
Enraizado segue segue membrana adentro e ao final é
Atestado de óbito e causa mortis por calazar a doença
Infecciosa causada por um protozoário denominado
Leishmânia donovani mais comum na Índia e em 
Regiões do Mediterrâneo e que se caracteriza por febre e 
Anemia e hidrofobia com enorme aumento do 
Fígado e do baço e rompimento do pendículo da 
Nucela albuminosa espessa que no ovo das aves liga 
A gema a cada um dos dois polos do ovo e nem um 
Bouquet de calátide e no momento desempregado tento 
Nestas memórias remoídas de calandreiro e daquele que
Já teve ofício de trabalhar na calandragem a 
Operação de fazer passar o papel ou folha metálica 
Pela calandra e o que tento calandrar são as 
Palavras que procuro ressuscitar o calanco de Lázaro
Na forma de desafio de vida o calango de violeiro e 
O calamite da planta fóssil do terreno carbonífero 
Para clonagem do imã da bússola e da calamita e o antigo 
Ferro próprio que se esquentava ao fogo para encrespar 
Os cabelos como o calamistro ou o ondular do mar proceloso 
E o frisar do preguear das saias e o alamistar dos sobreviventes
A trazer calvície e continuo a falar e a escrever e a trazer 
Ainda no peito sob um calcanhar meu coração frisado e 
Crespo e calamistrado e plantado num vaso de calamistra a 
Planta labiada aromática de aspecto calamídeo e de 
Semelhança calamiforme porém não mais provida de 
Haste ou de pendulo que na antiguidade das penas de
Escrever que eram feitas de cálamo currante e 
Ao correr da pena chego ao lapsus calami erro inadvertido
De coisas que nos escapam quando estamos a escrever
Algo calamífero de elemento de composição vocabular com 
Ideia de colmo e de ação de corrigir na colagem a
Acidez do solo com a adição de sais de cálcio e o 
Grito do calafetador a dar viva à liberdade e longa 
Vida ao ETA e a investir contra o calado do navio 
E a caladura da globalização do neoliberalismo e 
Do lucro pérfido e o furo calceiro que sustenta o vadio 
Banqueiro e o vagabundo empresário ou o líder mandrião
O ministro carvoteiro mandriola o secretário indolente 
Que mantém pela força longe das ruas o povo rueiro.

segunda-feira, 27 de maio de 2019

Mineral triclínico borossilicato de alumínio e cálcio; BH, 0280702000; Publicado: BH, 0270502019.

Mineral triclínico borossilicato de alumínio e cálcio
Com quantidades variáveis de ferro e manganês e
A axinita causa o suor excessivo das axilas a axilose de 
Quem tem que a retirar do solo que não produz mais 
Madeira e nem mais plantas devido ao áxilo provocado 
Pelas queimadas a fazer sumir o axilifloro que tem flores 
Axilares e faz perder na chama e na fumaça o áxil e 
O eixo de cada planta e o axiforme de sustentação e o caule
Munido de axífero o pequeno axículo do axicarar que 
Dar a forma de xícara ao rosto axicarado e faz 
Arder o axe como assadura em criança e o enxadrezar 
Do xeque mate e o axadrezar semelhante ao tabuleiro de 
Xadrez do pano de quadrinhos axadrezados pois
Acabar na cadeia depois de cometer o avunculicídio e o ato
De assassinar os tios e não teve tempo de fugir depois 
De avuncular viu o pecado avultante e o fantasma que
Avulta e o ectoplasma avultoso na parede e pensou que fosse
Do avozinho e olhou outra vez e pensou que fosse da avozinha e
De medo danou a avozear e a clamar em altas vozes que o 
Salvassem do altar pois nunca soube avosar e nunca soube 
Dar o tratamento de vós a alguém ou a quem quer que seja e 
Nenhum avos de palavra usada apenas no plural que é adicionado
Na leitura das frações ordinárias ao número cardinal
Que figura no seu denominador e quando esta
É superior a 10 e não é potência de 10 e 3/20 três-vinte-avos
Do avoejar da matemática e i voejar da aritmética e o adejar
Dos números pelos céus infinitos de nossa imaginação e
A usar toda avocatura e a abominar o avoador e o velhaco
E embrulhão que nos leva ao buraco a deixar a nossa 
Alma avoaçar no limbo e esvoaçar pelos principais cantos 
Dos recantos do universo e do que nos faz aviventar e dar 
Nova vidas às nossas esperanças e vivificar os nossos ânimos e
Fomentar mais ainda a vida em nós e fortalecer
Nossos nervos e nossos ossos e nos reanimar como se fossemos uns
Lázaros e todo fator útil a nos fazer ganhar novo vigor e 
Sim e preciso dum motivo aviventado e duma
Aviventação que me aviventa mais ainda e um 
Avivamento de realce que me retire deste estado 
Mórbido de fúnebre em funeral e de funesto do meu hálito e um 
Avivador que saiba avivar uma rocha e que aviva 
Um peixe morto fora do rio como o instrumento que 
os douradores avivam o ouro e avitualham de ouro 
Maciço ao avitualhar um objeto e fornecer de mantimentos 
De vitualhas e prover todo avitualhamento para conhecer o avito que 
Precede dos avós ou antepassados e é este o meu 
Avisamento e o texto avisador está aí e agora é com
A aviônica e a aplicação das técnicas da eletrônica
No domínio da aviação do pensamento de inspiração e
Agora é com a aeroeletrônica da imaginação para 
Esperar o avindor e o mediador dos tempos e das eras e 
Aquele que trata de harmonizar os litigantes que 
Reduz o aviltoso ao mais baixo patamar do aviltante e
Não tem vez de chegar o aviltador foge e vai avilanar-se
Em outras pradarias e torna-se mais vilão em outro 
Lugar ao degenerar-se pois falta-lhe a 
Coragem de mudar e morre avilanado com todas as 
Maneiras de vilão grosseiro e rústico e não chegará nunca
À ávila o grande fruto carnudo das cucurbitáceas das 
Antilhas e do Brasil e não será jamais o avieirado com
O avigoramento que tem vieiras e não o azurrar e 
O ornear que só se conjuga nas terceiras pessoas por que diz
Respeito a muares e não à série de linhas paralelas 
Horizontais e retas ou onduladas e equidistantes e muito
Aproximadas e que para evitar falsificações se gravam nos recibos 
Ou cheques e ações e outros documentos onde se precisa escrever 
Quantias em algarismos ou por extenso e azurado e ao 
Azumbrar e ao ficar azumbrado e um tanto corcovado e não 
Se sabe por que o azumara e indígena da tribo de caráter dos
    Azumara da bacia do Rio Branco desapareceram sem vestígios.   

domingo, 26 de maio de 2019

Da natureza veio o verdete de cobre e o azinhavre; BH, 0280702000; Publicado: BH, 0250502019.

Da natureza veio o verdete cobre e o azinhavre
E a erva-babosa e os aloés e fiquei coberto de azebre e deixei a própria
Natureza azebrar-me e chamar-me dum azebrado dela 
E não um chuço qualquer ou uma avezã ordinária a faltar 
Qualidade e determinação ou como uma azavã e isso não 
E para encobrir a verdade que a mentira não se encobre uso
O azarcão ou a designação vulgar do mínio na cor alaranjada 
De tijolo muito viva que não deixa-me azaranzar-me e 
Não deixa-me atrapalhar-me ou ficar tonto como um 
Azaranzado que bebeu a noite toda e brigou com o 
Mundo inteiro e bateu na mulher ou surrou os filhos 
E foi mais um trapalhão azarado algemado para a cadeia e 
Acordar desorientado no dia seguinte e com uma
Zaranga de depressão ao não acreditar em nada 
Do que havia feito na bebedeira da noite anterior e 
Só soube azangar o delegado na delegacia com choradeira 
E molestar aos outros presos e a irritar ao carcereiro com
Um verdadeiro azambujeiro a espécie de oliveira brava ou 
Um azambujo de madeira rija ou zambujeiro de ferocidade ou 
Zambujo hostil que quase matou o nosso herói 
Num campo de azambujeiros ou num terreno de zambujal e
Cuja presença fez tornar insípido ou fez estontear a cadeia 
E o jeito foi livrar o nosso amigo do azambujal para ele 
Deixar de azamboar o departamento com choros e
Prantos e lamentações infinitas e barulhentas e 
Era homem só de azálea ou de arbusto da família 
Das Ericáceas de flores ornamentais e não era 
Homem de azagaiar ou de ferir ou de matar com a 
Azagaia ou de arremessar azagaias nas cabeças dos outros ou 
De zagaiar uma mosca perturbadora e estava mais
Para receber uma azagaiada ou golpe de zagaiada do 
Que dar em alguém e era preguiçoso e não sabia 
Azafamar em nada e não era de produzir azáfama ou
Atarefar o espírito e o corpo e a mente ou dar posse 
Em qualquer serviço que fosse andar e trabalhar 
Ativamente não era com ele e era de pagode 
E de comer e de beber e de festa e de azabumbar ou 
Bater em zabumba ou aturdir em cantorias e embatucar e 
Não perdia oportunidade e ao amanhece já estava 
Espantado e pasmado e não sabia explicar como é 
Que aparecia azabumbado assim a faltar o sufixo
Latim ace e não obtinha o formador de adjetivos que 
Indicam qualidade expressa pelo radical verbal pois 
Não era mordaz e também alguns substantivos com ideia 
De aumento ou de intensidade e de força e ele não 
Passava nem perto e não era de ladravaz e não tinha 
Cartaz e não gostava de machacaz ou do az o esquadrão
A ala do exército e a fileira de elite e sobrou no excesso de
Contingente e caiu no cerco com que se emprazam e 
Matam lobos e feitos por gente que o confundiu com o símbolo do azoto
E quase diácono do rito de muçulmanos e quase axuaju 
De origem africana e conheceu o axuá a árvore da família das
Humiriáceas e não impediu o prolongamento da célula nervosa ou
O cilindro-lixo axônio e a forma larvar de batráquios modelos
Anfíbios do gênero Amblístoma originário do México e o axolotle 
Axoide axófito axis eixo central e haste de planta e costuma-se 
Chamar ao caule axófito superior a à raiz inferior a sustentar
Pelo axe a segunda vértebra cervical que se aproxima 
Do axípeto e herda a forma cortês de tratamento ou 
Expressão de reverência o axiônimo de Sr e Dr e Exmo e Vossa
Majestade e o aparelho náutico destinado a fazer conhecer 
A posição da roda do leme a indicar assim a direção 
Da barra do axiômetro e da axiologia teoria dos valores
Filosóficos e principalmente dos valores morais que todos
Conhecemos que ele não tem nenhum e nem se preocupou em adquirir.

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Quando faço um gol estou sempre na banheira; BH, 030802000; Publicado: BH, 0240502019;

Quando faço um gol estou sempre na banheira 
E o juiz nunca valida o meu gol pois acha que encontro-me
Em impedimento e como jogador de futebol Roberto
Dinamite do Vasco por exemplo só faltava matar o Mário 
Vianna com dois enes e não esqueço-me dos uivos do 
Mário Vianna sai da banheira Roberto e seu lugar é 
Naquele grande recipiente para se tomar banho e 
Instalado no banheiro ou no quarto de banho com a 
Imersão dum corpo ou parte dele em água ou outro 
Líquido e o ato usado para tal fim pelo banhista em 
Especial os de mar e a proclamar de casamento e a 
Trabalhar forçado nas galés e a ida para os estabelecimentos 
Das câmaras de gás nos campos de extermínios nazistas e o
Vencer por longa margem e o modo de aquecer e dissolver
Ou cozinhar uma substância ao manter-se em água fervente 
Por algum tempo o recipiente que a contém no processo do
Banho-maria e não faça o meu banimento por essas ideias
E clamores e não deixa ninguém banir-me ou expulsar-me  
Da pátria ao desterrar-me para terras estranhas e exilar-me 
Como se eu fosse um inimigo público número um e 
Afastar-me do convívio da sociedade e não deixa-me 
Excluir do meu meio e nem que as forças ocultas venham 
Eliminar-me e deixa-me a continuar a aprender a tocar o meu
Banjo e meu instrumento musical de cordas pois estou a treinar 
Para virar um músico já que não nasci para ser banqueiro e 
Não nasci para ser dono e dirigente estabelecimento bancário 
E nem de banca de jogo do bicho e não tenho capital para 
Nos jogos de azar como a política fazer os pagamentos 
Correspondentes às jogadas e jogatinas e maracutaias e 
Ganhos pelos parceiros e perdidos pelo povo e não tenho 
Nenhuma banqueta para repousar a bunda e o meu pequeno
Banco é sem encosto e não posso nem repousar as costas e
Por isso que elas estão a doer e é que não fui convidado 
Para o banquete dado pela burguesia e não convidado para a 
Refeição festiva que congrega um grupo de pessoas da elite 
E fiquei de fora do festim e não deixaram-me banquetear e eu
Que tanto implorava e não deixaram-me tomar parte e passar
Bem e deliciar-me e alegaram que eu era um indivíduo dos
Banto e da raça negra sul-africana e da língua falada por eles
E comecei a banzar-me e a cismar com tudo e a espantar-me 
E a zangar-me pois achei que eu também poderia chegar lá 
Mas que nada e não adiantou armar um banze e criar um 
Conflito e fazer uma desordem na fila e fiquei de banzo e com
A mesma frustração moral e física que vitimava os negros 
Escravizados e fiquei abatido e triste e pasmado eu que 
Achava-me firme igual ao báobá árvore africana tida como 
A de tronco de maior diâmetro e chorei igual criança 
Desmamada e sofri um baque como o sentido pelos pais 
Que separam-se dos filhos na hora da ida para os campos 
De refugiados ou flagelados e senti um calafrio como o
Causado pelo barulho produzido pela queda dum corpo ou
Um desastre de avião com mais de cem passageiros ou um
Prejuízo inesperado pela quebra e pela falência dum bar e 
Faz-nos baquear e faz-nos cair em baque surdo e cair de 
Chofre tal uma ducha fria em noite de inverno pois da 
Baquelite a resina artificial criei a vareta com que se toca o 
Tambor marcial na abertura e na inauguração de casa 
Comercial especializada na venda de bebidas sobretudo 
Alcoólicas e pratos ligeiros encontrada em dependência de 
Hotel ou aeroporto e estação e quase até mesmo em igreja 
Para o mesmo fim e estou a falar do botequim e do boteco e 
Do café e que hoje já se encontra no móvel próprio para se 
Guardar bebidas com toda barafunda que às vezes acontece 
Com toda a bagunça que às vezes é gerada e não troco um 
Bar por nada e é lá é que é o lugar de barafustar e entrar e 
Entrar repentinamente e pedir uma bem gelada e pedir um 
Quente e agitar-se a debater sobre todos os assuntos e entrar
Na baralhada e fazer um baralhamento e aprender e ensinar e
Gritar e conversa e cantar e batucar e misturar as cartas do
Baralho e confundir e depois explicar e desordenar e baralhar 
Mais ainda e atrapalhar com a coleção de cartas de jogar pois
O bom malandro no jogo é barão e leva título de nobreza e 
Não é inferior ao visconde e é senhor feudal da malandragem 
Que a falar sério chora por Gregor Sansa o nome genérico 
Dos insetos ortópteros a barata de Franz Kafka e a dona 
Baratinha do senhor Ratão e não quero que esta literatura 
Sofra um barateamento que venha diminuir de preço intelectual 
E não quero dar pouco valor à cultura e nem menosprezar
Quem quer tornar barato e baratear o meu escrever e ignorar
O que escrevo como o grosseiro barateiro que vende barato
A opinião e que dá qualidade de barateza à crítica e a fazer 
Baratinar o leitor como se ele fosse ficar mais confuso e mais 
Frenético e talvez até ficar mais drogado como se se sentisse
Um pequeno automóvel conversível a antiga baratinha relíquia.