terça-feira, 31 de dezembro de 2019

"Originais", RJ/1980, Mudança.

E estou a mudar
E a aprender coisas 
Tu me ensinaste muitas cousas
E ensinastes-me a viver
E a me relacionar com as pessoas
E tu abatestes de mim
Tudo de ruim que eu tinha
E agora me sinto mais novo
Mais novo e purificado
E já sinto calma
Calma e paz em meu coração
Entendimento e compreensão
Raciocínio e razão
E estou a mudar 
E estou de mudança
A cada dia que passo ao teu lado
E é uma transformação que sinto
E é uma nova experiência
E uma nova metamorfose
Já saí do casulo
E da fase de transição
E agora vou mudar mesmo
Algo me faz sentir
Que és o meu apoio
Que és a minha muleta
Não sou mais um aleijado por dentro
Contigo posso andar sem problemas
Não sinto mais abatimento
E nem tenho mais depressão
E minha confiança aumenta a cada dia
E já sinto vontade de amar
E de fazer carinhos
Coisas das quais tinha medo antes
Hoje senti que estou a mudar
Hoje senti que sou a mudança
Minha mente já não me atrapalha
Já me controlo e me domino
Já sou ciente e consciente
E estou a mudar 
E estou na mudança
Já sinto que já sou.

"Originais", RJ/1980, Meu amor.

Meu amor
Vamos nos ajudar mutuamente
Cuidas de mim
E cuido de ti
Tratas de mim
E trato de ti
Meu amor
Vamos nos integrar mutuamente
Vamos nos entregar mutuamente
Procuras me compreender
E procuro te compreender
Procuras me entender
E procuro te entender
Meu amor
Vamos nos conhecer mutuamente
Tu me amas
E eu te amo
E dás-me a tua paz
E dou-te a minha paz
Tu me apoias
E te apoio
Mutuamente
Precisamos viver assim
Mais íntimos um com o outro
Sem inibição
Sem vergonha
A aceitar amplamente um ao outro
Sem observar
E sem olhar
Os defeitos que existem em nós
Meu amor
Vamos nos viver mutuamente
Tu me vives
E eu te vivo
Tu me dás vida
E te dou vida
E me transformas
E te transformo
Tu me mudas 
E eu te mudo
Tu me fazes feliz 
E eu te faço feliz
Meu amor
Vamos nos parir mutuamente
Tu me dás a luz
E eu te dou a luz.

segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

"Originais", RJ/1980, Espero-te desde cedo.

Espero-te desde cedo
Falaste que estaria aqui
Antes das dez horas
Já passa de meio-dia
E até agora não apareceste
E deixei claro
Se até as dez horas
Não aparecesses
Não é preciso
Aparecer mais
E amarras em fazer
Esse tipo de jogo comigo
E não sei o que ganhas
Ao agir assim
E quem acaba maltratado
Sou eu
E quem acaba magoado 
Sou eu
E não ligas
E não esquentas a cabeça
E nem me procuras
Às vezes me dás até raiva
Raiva e ódio de ti
E juro comigo mesmo
Que nunca mais
Vou querer te ver
E acabo sempre
Por voltar atrás
A chorar e a correr
A pedir para ti
Vir novamente comigo
E voltar para à casa
Para nunca mais ir embora.

"Originais", RJ/1980, E sou um ser inerte.

E sou um ser inerte
E vivo congelado
E enterrado mesmo
Nos confins do meu cérebro
E sou um ser imóvel
Parado mesmo
Igual poste
Vivo podre mesmo
Com a podridão inteira
Bem dentro de minha mente
E sou um regredido
Um inverno dolorido
E sou um ser perdido
Que não encontra saída
Do labirinto do Minotauro
E que não encontra a sua entrada
Para o jardim do Éden
E sou um ser sem porta
Sem cabeça e sem nada
Sem membro e sem testículos
Um impotente
Um ser medíocre
Preso a mil complexos
Amarrado a milhões de dogmas
Com grilhões e bilhões de preconceitos
Acorrentado a trilhões de tabus
Algemado a quaquilhões de grilos
E com todos os problemas na cabeça
Sou um demagogo
Um piegas
Uma simplória perda de tempo
Engulo minha raiva
Demonstro meu ódio de monstro
Solto o meu medo
E tremo só em soltar
Pois sou um cobarde
Um bandido sem arrependimento
Rasgaram o peito que eu mamava
Romperam o seio no qual me abrigava
Tiraram o câncer da mama
E deram para eu comer
E sou um vírus magoado
Um terrorista sem pátria
E sou um chute no saco
E merda mais do que a merda
Só mesmo a própria merda.

"Originais", RJ/1980, E sempre penso um dia melhorar de vida.

E sempre penso um dia melhorar de vida
E em ser um alguém
E em ter uma boa casa
E uma boa mulher
E uma mulher boa
E sempre penso nessas coisas
E o meu mal
É que só fico nisso
Só a pensar e nada mais
E a pensar em mudar
E a pensar em ser isso
E a pensar em ser aquilo
E só a pensar
E se a pensar realmente existisse
Eu seria o maior homem do mundo
Pois a pensar mais do que penso
Ainda não nasceu um
Se pensar realmente fizesse existir
Como disse Descartes
Eu realmente seria alguém
Mas não tem nada não
Não é dum dia para o outro
Que vou passar a existir
Se desde o meu nascimento
Que faz vinte e cindo anos
Não existo
Não vai ser de hoje para amanhã
Que vou passar a existir
Talvez daqui a mais um século
Talvez daqui para o outro mundo
Numa poeira cósmica
É só esperar um pouquinho
Não tenho pressa não
Não adianta pressa mesmo
A gente morre e apodrece
Mesmo a pensar que um dia possa ser
Mesmo a pensar que um dia
Possa voltar a existir.

"Originais", RJ/1980, Nunca uma mulher será dum homem.

Nunca uma mulher será dum homem
Nunca um homem será duma mulher
Nunca uma mulher será duma mulher
Nunca um homem será dum homem
E nunca serei teu
E nunca serás minha
E nunca serei tua
E nunca serás meu
E nunca serás teu
E nunca serei minha
E nunca serás tua
E nunca serei meu
E ninguém nunca será de ninguém
Por que ninguém é de ninguém
Pois todo mundo pertence ao nada
E o nada pertence ao tudo
E o tudo pertence ao todo
E o todo pertence a ninguém
E ninguém pertence a ninguém
E uma mulher nunca será de alguém
E alguém nunca será duma mulher
E alguém nunca será de ninguém
E ninguém nunca será de alguém
E um homem nunca será de alguém
E alguém nunca será dum homem
E nada pertence a nada
E não adianta contestar
E o que provas que é teu
É por que não é teu o que é teu
E não precisas provar
E não provas
E nada tens para mostrar
Nunca.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

"Originais", RJ/1980, E sabes muito bem.

E sabes muito bem
Por que sou assim
É o medo de te perder
Que me faz agir assim
E sabes muito bem
Que não sou nenhum garanhão
Não sou nenhum Henry Miller
E me sinto inseguro
Quando faço amor contigo
Não sei se é bom
E não sei se achas bom
E nem sei se realmente
Chegas ao orgasmo comigo
Gostaria de poder te fazer gozar
Mil vezes sem parar
Porém não sei nada
Sobre kama sutra
Sexo tântrico
E não conheço nenhum afrodisíaco
Que possa nos excitar
O mais possível
Não conheço nenhum meio
De me elevar
À mais alta potência
E de poder mais
E quero que sintas também
As delícias do amor
As alegrias do amor
Quero que descubras também
As próprias brincadeiras de 
Sacanagens do amor
E descubras naturalmente
Sem forçares a barra
É por isso que fico assim
E às vezes ficas até com raiva
Tenho medo de não satisfazer-te totalmente
E perder-te para outro alguém
E sem ti realmente sou inseguro
O mundo é morto
E a vida é podre
E sabes muito bem.

"Originais", RJ/1980, Se um dia falares para mim.

Se um dia falares para mim
Que vais encontrar um alguém
Que te ame igual te amei e amo
E que queira o teu coração 
Igual eu quis e 
Que não queira somente teu corpo
Mas a tua alma e o teu espírito
Se um dia falares para mim
Que vais encontrar um alguém
Igual ou melhor do que eu
Que queira a tua inteligência
Teus beijos e não os teus lábios
Que te aceite igual aceitei
Com dentadura postiça e tudo
Com mau hálito e algo mais
Que aceite os teus defeitos
E as tuas burrices
Que aceite os teus erros
E os teus males
Se um dia falares para mim
Que vais encontrar um alguém
Capaz de fazer contigo
Tudo o que fiz e faço
Capaz de pensar em ti
Igual pensei e penso
E se estiveres a pensar
E em falar para mim
Que um dia vais poder encontrar
Uma pessoa assim igual a mim
Por favor
Não fales isso nunca para mim
Por que no dia no qual falares
Nesse dia te deixarei.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

"Originais", RJ/1980, Se não voltares para mim imediatamente.

Se não voltares para mim imediatamente
Invadirei uma embaixada
E sequestrarei o embaixador
E farei um grande número de reféns
E exigirei a tua volta
Pelas libertações e pelas vidas
Do embaixador e dos reféns
E não estou a brincar não
Sou igual a inflação
Comigo ninguém pode e
Boto logo para derreter
E se não voltares
Vais ver o que sou capaz de fazer
E provoco uma guerra civil
E provoco uma revolução
E derrubo até a ditadura
E provoco até mesmo
Uma guerra mundial
Se não voltares imediatamente para mim
E quero-te de volta agora
Meu coração ficou vazio
E não consegue esperar mais
E a minha vida perdeu a graça
E virarei um terrorista
E virarei um chantagista
Ou voltas ou inocentes vão pagar
O que não devem por ti
Pensa bem e reflita bem
E volta enquanto é tempo
Posso acabar com o mundo
E se não me quiseres mais
E posso destruir o universo
Se não voltares para mim imediatamente.

quarta-feira, 25 de dezembro de 2019

"Originais", RJ/1980, Mulher.

Mulher
É difícil demais levar uma vida assim
E não queria te ver nesta vida
E queria uma vida boa e melhor para ti
Porém não posso fazer nada
Para melhorar a tua vida
O carinho que faço
Já viste como é
O amor que te dou 
Já provaste
Não é o amor que me dás
E não mudou em nada
Só aumentaram as grosserias
E as agressões que faço a ti
E se um dia puderes
Desculpa-me
E perdoa-me
Este tempo que empatei-te
Este tempo que maltratei-te
Este tempo que desprezei-te
E sou um não sei o que
E sabes o que sou
E como sou
E fostes paciente e meiga e amante e gentil
E não fui nada para ti
E não te ajudei em nada
E nem te dei nada
E um dia sei que vais me abandonar
E meu coração vai ficar em frangalhos
Porém não voltes para mim
Pois não mereço-te
E não jogues a tua vida fora em meus braços
E procures braços firmes e fortes
E que possam amparar-te
Na hora que caíres
E espero que jamais venhas cair
E sigas avante e para a frente
A trilha do teu caminho
E a esquecer-me a cada passo.

"Originais", RJ/1980, Bobagens piegas.

E estou tão feliz
Estou tão alegre
E sabeis por que
Quando a gente ama
Fica meio bobo
E começa a escrever
Um monte de bobagens
E começa a escrever
Um monte de coisas piegas
Porém são bobagens
Que a gente está a sentir
São pieguices que expomos
Quando estamos a amar
E se amar é ser bobo
Sou bobo por que amo
E me sinto feliz
E me sinto em paz
Alegre e radiante
E me sinto mais jovem
E mais criança
Se soubésseis
Como o amor modifica
E muda a vida
Só irias querer amar a vida
Só irias querer viver a vida
Em comunhão com o amor
E é o que quero
Agora que encontrei o amor
Agora que aprendi a amar
Não vou querer outra coisa
Não vou pensar em outra coisa
Vou pensar só em bobagens piegas
Vou pensar só na paz
Vou pensar só em paz
Vou pensar só no amor
Vou pensar só com amor
Vou fazer só amor
Amor e nada mais
Amar e nada mais.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

"Originais", RJ/1980, Volta.

Volta
Como sinto saudades de ti
Como sinto falta de ti
Por favor
Volta
Para mim 
E não me deixes mais
Venha me amar
Venha me curar
Venha tomar conta de mim
Não me deixes mais sozinho
Não me abandones mais
Volta
Enquanto vivo
Estou prestes a morrer
E se não voltares
Quando ouvires falar
Novamente em mim
Já estarei morto
Já estarei apodrecido
Ou no inferno talvez
Venha me salvar
Venha me tirar da lama
Venha me limpar a alma
Como choro por ti
Como sofro por tua falta
Nada preenche o meu vazio
Tento viver
Porém é inútil
Continuar a viver
É inútil tentar viver sem te ter
Sem ti não existe vida
Não existo
Como morro a cada minuto que passa
Sem a tua presença se soubesses
Procuras saber como estou e 
Volta
A correr para mim
Amo-te e é a única coisa que sei
E teu amor
É a única coisa que quero e 
És o que mais procuro
Volta
Vem logo para mim.



terça-feira, 17 de dezembro de 2019

"Originais", RJ/1980, Precisamos salvar as coisas boas deste mundo.

Precisamos salvar as coisas boas deste mundo
E precisamos preservar a bela natureza e o meio ambiente
Não podemos deixar morrer e nem desaparecer
Os pássaros e as flores e as borboletas e os vaga-lumes
E os grilos e gafanhotos e os morcegos e as joaninhas
As rãs e os sapos e as pererecas e os animais selvagens
E os animais domésticos e os peixes e as aves e
Precisamos tomar conta da fauna e da flora
E dos rios e dos mares e dos lagos e das lagoas
E dos riachos e dos córregos e dos lajedos e das
Pedreiras e das montanhas e dos picos e dos
Morros e das encostas e das colinas e dos planaltos e
Das veredas e das planícies e das baixadas e das
Chapadas e das falésias e das pradarias e
Não podemos deixar este mundo morrer
E não podemos deixar este mundo acabar
Precisamos aprender a olhar e a enxergar
As coisas que nos cercam e
Não podemos deixar destruir o amor e a paz
A grama verde e a relva fina
A tranquilidade numa sombra
Duma árvore frondosa
Precisamos salvar nossa terra e nosso chão
Nossos índios e nossos bichos
Precisamos dar-lhes continuidade no tempo
Na vida e no espaço
E no universo e no infinito. 

"Originais", RJ/1980, Os bem-aventurados.

Bem-aventurados aqueles
Que acreditam no poder da mente
Bem-aventurados aqueles
Que acreditam nos seus pensamentos
Nos seus espíritos
E em suas almas
Bem-aventurados aqueles
Que acreditam na filosofia do hoje
E do momento e do agora e do aqui
E que acreditam na psicologia
E na autoanálise
E na meditação transcendental
E que acreditam na yoga
E na hata-yoga
E na para-yoga
E na parapsicologia
Bem-aventurados aqueles 
Que possuem poderes mentais
Cujas mentes são fortalezas
Inabaláveis e inatingíveis
Bem-aventurados esses seres
De mentes sadias e sãs
E que são reais
Que raciocinam o inconsciente
Que vivem o presente
E acreditam no ausente
A pensar o futuro
E a imaginar o infinito
E a viver o universo
Bem-aventurados aqueles
Que vivem
Que deixam viver
Que sabem viver
Cada estado de espírito
Que sabem se emancipar
Que sabem se evoluir
Que sabem se transformar
Que sabem se metamorfosear
Que sabem ser mutantes
Bem-aventurados aqueles
Que sabem se encontrar
Que sabem se pensar
E que sabem se transpor
Através das mais longínquas barreiras
Do tempo e da mente e do universo e do infinito
Bem-aventurados são esses
Que herdarão o nada.

"Originais", RJ/1980, Chuva.

A chuva está a cair e
Ouço o seu barulho no telhado e
Nas árvores e nas plantas e na rua
Ouço seus pingos a cair nas poças
E a lama a se formar
E a enxurrada já começa a correr
E a levar folhas e gravetos perdidos
A chuva está a cair
Ouço o seu barulho poético e romântico
Nas casas todo mundo para para ouvir a chuva
Ou para meditar ou para sentir melhor
Pingo por pingo a cair nos quintais
As aves se recolhem
E as galinhas fogem para os poleiros
E os seres ficam todos absorvidos ou
Bêbados pela beleza da chuva
E coisa divina é a chuva
Cheia de bençãos e de vida
E a chuva está a cair
E a música que vem com ela
É leve e doce
Artista nenhum é capaz de produzir
A música composta pela chuva
Artista nenhum é capaz de fazer sobre as pessoas
O efeito que a chuva faz
Nada reúne tantos corações na tranquilidade
Igual a chuva que cai
Tal essa chuva bela
Chuva boa
A chuva está a cair
Oiço seu barulho nas coisas
Sinto o seu cheiro
Sinto a sua presença
Meu ser fica em paz
Meu eu se encontra comigo
Meu pensamento viaja e voa
A chuva está a cair
E essa chuva é milagrosa
Esta chuva é chuva de lágrimas boas.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

Baby's In Black (Remastered 2009)

"Originais", RJ/1980, O louco.

E não tenho alma
Sou um homem sem alma
E não tenho espírito
Sou um homem sem espírito
Não sinto
Não vejo
Não ouço
E sou cego
Sou mudo
Sou surdo
Sou morto
Esqueceram de me enterrar
E apodreci no coração da calçada
E na palma da rua
Minha mente não existe
Logo não posso pensar
Minha fonte secou
E deves ter razão
Por me odiar
Penso que devemos 
Nos odiar mais
Uns aos outros
Odiai-vos uns aos outros
Como vos tenho odiado
Disse um louco qualquer
Um dia qualquer
Sem saber dizer
Também pudera
Tal qual a mim
Que não podia ser
E não tenho coração
Não tenho órgão nenhum
E não tenho eu
E não tenho nada
E sou pior do que o louco
Que disse sem saber
E o louco pelo menos disse
E eu que nada digo
E o louco defende a sua loucura
E eu que não defendo nada
Nem a minha vida
E nem a minha morte.

"Linhas Internas", Amar não é exigir.

Amar não é exigir
Amar não é pedir
Amar não é lembrar
Amar não é presentear
Amar não é ajudar
Amar é entregar
Dar a alma
A vida e o ser
Por uma causa
Amar é se destruir
Por razão e lucidez
De uma vida
Para a existência
De um ser
Amar é dar com alegria
Sem exigir nada em troca
O verdadeiro amor 
É aquele que ainda
Está longe
Longe da vida
Longe da gente
Cada vez mais longe
O amor real é aquele
Que ainda não possuímos
É aquele que ainda não provamos
Que ainda não conhecemos
E nunca sentimos
O verdadeiro amor
É o mais difícil
É o mais infinito
É o amor incolor
Amar não é sorrir
Amar não é chorar
Amar é cantar
Com a voz da alma
A fazer coro
Com a voz do coração
A verdadeira canção 
Do amor puro e maravilhado
Que leva à paz
Que leva à verdade
E que leva à coragem
Amar não é educar
Amar não é dividir o pão
Amar é dar o que tem
A quem não tem
Amar é dar o pão inteiro
Amar é o que não sabemos
Amar é o que não temos
O amor hoje nm dia
Amar hoje em dia
Como é difícil amar.

"Linhas Internas", O menor que vive nas ruas.

O menor que vive nas ruas
A roubar ou a assaltar
A andar nu ou de pés no chão
Se em vez de ser levado para a cadeia
Fosse levado para uma escola
Ou para um hospital decente
E sem corrupção
Talvez seria um pouco mais tarde
Um homem de bem
Um homem de verdade
Mas o que acontece
Quando o menor abandonado
Faz algo errado
É entregue ao delegado
E o delegado manda castigá-lo
E jogá-lo numa prisão
Todo mundo sabe
Que polícias não sabem
Lidar com as coisas
E nem têm educação
E a criança apavorada
Diante de tanta brutalidade
Diante de tanta podridão
Que vê na cadeia
Quando sai de lá
Sai com vontade de matar
Sai com sede de sangue cru
Sai com ódio
Com sabor de vingança
E quer acabar com tudo que vê
Pois não tem amor
Não tem apoio
Não tem carinho
E os menores abandonados
São sempre maus olhados
E onde chegam
São enxotados
Como cachorros vira-latas
E com está vida
A criança aprende a não amar
E não quer saber de nada
Pois pensa que ninguém
Quer ligar para ela.

"Linhas Internas", Jesus morreu.

Jesus morreu Jesus
E ressuscitou
Foi embora
E não voltou
E por isso 
No mundo
O amor acabou
E Jesus foi embora
E levou toda a paz
E toda bondade
E toda calma e  
Toda tranquilidade
Toda compreensão
E todo apoio
Que tinha em seus olhos
Que tinha em seus gestos
Que tinha em sua voz
E se Jesus estivesse
Aqui no mundo
Não haveria guerras
Pois haveria amor
Por que Jesus é amor
E haveria paz
Por que Jesus é paz
Mas Jesus 
Está longe
De tanta sujeira e
De tanta podridão
E Jesus está longe
Da falsidade 
E da religião
E das porcarias
Da sociedade 
E da política
Jesus deixou
Cada um por si
E agora
Sem amor 
E sem paz
Sem apoio
E sem moral
Sem calor 
E se nada
O homem vai 
Se destruir
Jesus morreu
E ressuscitou
E levou com ele
Todo o amor
E toda a paz
Por isso hoje
Vivemos na dor.