terça-feira, 28 de junho de 2016

A Fenomenologia do Espírito, com José Henrique Santos

Claudio Costa: HEGEL E A FENOMENOLOGIA DO ESPÍRITO (1)

Venerável Lula Luiz Inácio Lula da Silva; BH, 0250602016.

Venerável Lula Luiz Inácio Lula da Silva,
Qualquer outro ser humano, comum, já 
Teria jogado a toalha, colocado a viola no 
Saco, pendurado as chuteiras, posto a 
Barba de molho, mas, Lula é incomum,
Um ser humano especial, com uma tarefa
Imensa, de livrar o Brasil das mãos dos 
Parasitas, dos párias, pragas, sanguessugas
E ervas daninhas; bombardeado desde 
Menino pelo destino, pelas agruras da 
Vida, incongruências inevitáveis, nunca
Acovardou-se diante dos desafios
Apresentados, nem apequenou-se como a 
Maioria dos seus perseguidores; muitos
São poderosos, que abusam do poder 
Econômico que têm, na tentativa de  
Exterminar, o maior nome do país nas 
Últimas décadas; cercado, acossado, 
Encurralado, nas cordas, calejado, teve
Contra si os corruptos, os corrompidos,
Os corruptores, os sonegadores, espiões,
Arapongas e jamais controlou, ou 
Colocou à sua disposição, órgãos 
Que impedissem os seus inimigos de 
Agredi-lo; e um cara, que tem nos seus
Calcanhares, durante toda a vida, os 
Patrões, a ditadura militar, a CIA, o
PIG, MPF, PGR, PF, STF, as igrejas
Evangélicas, parte da católica, a 
Direita reacionária, preconceituosa 
E a esquerda gagá, os fascistas, os 
Ruralistas, tem realmente, que ser um 
Gigante de alma poderosa, de coração
Puro e de espírito inabalável; conhece 
E tem consciência do seu papel e não é 
À toa que é laureado pelas principais e 
Mais importantes universidades nacionais
E internacionais; e aos bolorentos e 
Complexados vira-latas entreguistas,
Lesa-pátria, restam a inveja, a despeita,
O torcicolo de tanto olharem para cima
E verem cada vez mais alto, o brilho 
Da estrela do venerável Lula, Luiz 
Inácio Lula da Silva, que nunca se apagará.

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Maldita para sempre seja toda a plutocracia; BH, 0240602016.

Maldita para sempre seja toda a plutocracia
Que, até Jesus Cristo a condenou e a amaldiçoou
Em seus sermões; maldita seja toda a burguesia,
Maldita seja toda a elite e maldita seja toda a 
Cleptocracia representadas pelo usurpador, 
Golpista, ex-informante da CIA, Michel Temer,
Traidor, mentiroso e enganador que, entrou 
Sorrateiramente, pela porta dos fundos, na 
História do povo trabalhador brasileiro e 
Trama, sordidamente, contra o país, contra a 
Nação; lesa-pátria convicto, se une ao que 
Há de pior na bandidagem da direita, do 
Legislativo predador e do judiciário rasteiro,
Parasitas do erário público, vermes que 
Apodrecem a política; malditos sejam todos 
Os que sustentam esses estupradores da
Democracia e da Constituição Federal; que
Não tenham paz nunca e que toda praga que 
Houver, roa-lhes das entanhas aos tutanos 
Dos ossos, da medula cervical ao sangue das 
Veias; malditos hipócritas, falsos moralistas,
Entreguistas das riquezas nacionais, destruidores
Dos nossos patrimônios culturais; a partir do 
Dia em que tomaram de assalto o poder e 
Inconstitucionalissimamente tomaram num 
Golpe o governo, nenhum cidadão tem mais 
Garantias legais, cidadania, soberania; todos
Somos reféns da ilegalidade, da ilegitimidade,
Inclusive os que pregavam o fim da democracia,
Ingenuamente; somos todos sequestrados 
Pelos sequestradores dos nossos sonhos, 
Pelos que transformaram nossas vidas em
Pesadelos, espalhadores de tormentas e 
Procelas nos lares pacíficos do povo brasileiro.

terça-feira, 21 de junho de 2016

Fé e ousadia e audácia e coragem; BH, 0190602016.

Fé e ousadia e audácia e coragem,
Sabedoria e força; uma obra-prima,
Uma obra de arte, da altura de um 
Prêmio Nobel de Literatura; inspiração,
Criatividade, meditação, imaginação,
Pensamento e noção; argumento, 
Razão, percepção e intuição;
Palavra, letra, dialética, ética, diálogo,
Fim da ignorância, estupidez, arrogância,
Intolerância, bizarrice, bisonhice, 
Morbidez; mais discernimento, 
Conhecimento, mentalização, moderação,
Presença de espírito, ser, alma, ente,
Entidade, calma; identidade, personalidade,
Atitude, amor, paz, saúde, felicidade;
Verdade, autenticidade, sem orgulho, 
Sem soberba, sem vaidade; serenidade,
Orvalhidade, brisidade, neblinidade, 
Garoaidade e obliquidade; vento, muito
Vento a embalar de leve a brevidade; 
Concentração ao observar formigas,
Besouros, moscas, lesmas, lagartos,
Calangos, lagartixas, taruiras, borboletas,
Libélulas, aranhas, esperanças, grilos,
Gafanhotos, louva-deuses; concentração
De firmamento ao observar o céu azul, 
As nuvens, o sol, as estrelas, a noite, a 
Lua, os seres da noite, a madrugada e 
Os seres da madrugada; inteligência, 
Muita inteligência ao falar com a terra,
A água, o fogo, o ar, o mar, os rios, as 
Matas, as florestas, bosques, pântanos
E lodaçais; areias, areais, e areias movediças
Dos desertos e das dunas; e para contar as 
Ondas, as estrelas, os grãos, as sementes,
As raízes da natureza; e para cantar canções,
Cantigas, cantos, cantatas, cantilenas, 
Cantochões; e escrever poemas, poesias,
Sonetos e escrever sem saber o que,
Mesmo que para isso, seja necessário 
Morrer e matar nunca e sair da vida
Para entrar para a história, para poder 
Viver intensamente, o que não viveu-se em 
Vida: e é isso, só peço a Deus o impossível.

terça-feira, 14 de junho de 2016

Pensamento sem emadeiramento e elemento sem armação; BH, 0220602001.

Pensamento sem emadeiramento e elemento sem armação
De madeira de uma construção, movimento sem apoio de
Madeiramento; ente a emaciar-se, crua eletrônica, a da
América do Sul que, desconhece a que trata dos fenômenos
Relacionados pelos elétrons; cérebro eletrônico, carregado
De partículas do átomo de carga negativa, corpo carregado
No electromagnetismo, conjunto de eletricidade e de
Magnetismo; espírito eletromagnético, eletrolito decomposto,
Eletrolise de decomposição, eletricidade da eletrola, da
Vitrola de outrora; aurora de eletroimã, de ferro imantado
Por meio de corrente elétrica, no eletroencefalograma e
No registro da atividade do córtice cerebral, com perdão da
Retórica, com desculpa de sofista, o eletro doméstico que
Argumenta com sofismas; o elétrodo do argumento falso,
Para induzir outrem em erro, no ponto pelo qual uma corrente
Elétrica penetra num corpo; e o fio que liga os polos de uma
Pilha para sofismar, eletrocutar e deturpar com sofisma,
Enganar e empregar a sofística, a parte da lógica que, se
Ocupa em sofisticar a propaganda de executar a pena de
Morte; o tratar por meio da eletrocussão, do eletrochoque no
Tratamento de distúrbios mentais através de choques elétricos;
Alterar o eletro cardiograma, o gráfico dos movimentos do
Coração, excitar-se na eletrocultura e exaltar-se o eletrocapilar,
Eletrizar para entrar na formação de vários compostos a
Significar-se, a carregar-se eletrizante que, exalta que, eletriza
E aumenta o eletrizador, a eletrização e dotar de cada vez mais
Na energia e na eletrificação; e eletrificar e não correr o risco
Do apagão elétrico, a operação para o eletricista que, lida
Com eletricidade remota, na forma de energia natural, ligada
Aos elétrons que se manifestam por fenômenos de atração, ou
De repulsão, ou caloríficos, químicos, mecânicos; agora é
Para pensar na hora da elegibilidade, nem todo eleito tem
Qualidade elegível na eleição, é saber fazer a escolha e
Eleger o que estiver comprometido com o eleitor; quem
Realmente elege e tem o direito eleitoral nas eleições, o
Eleitorado, os eleitores, o elementar que irá excluir o
Representante dos malufes; o rudimentar é não votar nos
Representantes dos acms, o simples é conhecer o elenco dos
Maus políticos; a lista dos falsos, o catálogo dos mentirosos e os
Que já são artistas dessa representação; perder o elepê, ser 
Bem esquecido como disco sonoro de 33 rotações e ficar sem
Eletividade e sem o interesse eletivo da população, longe da
Égide do povo; sem o amparo e sem o patrocínio públicos e
Só assim, os maus políticos perderão o status; o egiptólogo
Terá outras múmias para estudar, o especialista em egiptologia,
A ciência que estuda o Egito antigo e o tesouro egípcio terá
Outros sarcófagos para desvendar; ao electro elefante, grande 
Mamífero originário da África e da Ásia, com a elefantíase,
A moléstia que, provoca intumescência, rugosidade e dureza 
Na pele; ao elefante-marinho, espécie de foca; e que, o povo 
Saiba eleger, escolher outro por votação e que, faça bem 
Menos mal à nação; neste emaranhar que não sei onde vai dar,
É o que quero deixar, poesia não sei embaraçar, poema não 
Sei enredar, então, saio por aí a confundir, a misturar e a 
Envolver em embaraços, uma simples emasculação, a culpa 
É minha, o emasculador de mim mesmo; e só soube emascular-me,
E castrar-me meu eu; vivi para perder a virilidade, para mostrar-me
Fraco ao embaciar o espírito e tornar baço o interior da alma
E deslustrar a mente, desonrar a semente e embainhar 
A coragem; meter na bainha a verdade e daí em diante, só 
Embair, enganar e iludir; reduzir de embaixada, de missão de 
Embaixador, de chefe de representação diplomática de 
Um país, de um estado junto a outro, emissário e 
Sede e residência e comitiva e embaixatriz; salva-se a técnica
De equilibrar a bola, a controlá-la com os pés, sem deixá-la 
Cair no chão; debaixo da penumbra, embalada, medo, a covardia
Faz-me embalar, fugir em meu embalo que é meu 
Pesadelo, meu sono não tem sonho e nem meu sonho 
Acalanto; o embravecimento que aparento, nada tem do 
Embravecer de minha mãe e nunca fui capaz de tornar-me
Bravo, nem meu ser, nem emu eu, nem minha sombra assustada.

DCM: A maior demonstração da iniquidade da justiça está na liberdade de Cunha versus a prisão de Dirceu. Por Paulo Nogueira


Preso político

Preso político
A mais cruel demonstração da justiça iníqua brasileira está no seguinte:
José Dirceu apodrece na prisão enquanto Eduardo Cunha janta em restaurantes finos no Rio, em São Paulo e em Brasília.
A diferença essencial entre eles: Cunha é um serviçal da plutocracia. Ganha gorjetas para defender criminosamente os superricos. Na Câmara, impediu por exemplo que fosse discutida a regulação da mídia e deu todo o apoio à terceirização.
Dirceu, ao contrário, dedicou a vida a combater os privilégios e as mamatas da plutocracia. Este foi seu crime real, imperdoável num país cuja elite primitiva e predadora vive de perseguir os que a desafiam, como Dirceu.
Lembro de um vídeo em que Moro, com sua voz esganiçada, interrogava Dirceu. Moro parecia desconhecer que empresas como a Ambev pudessem contratar Dirceu para ajudá-la a tratar de litígios na Venezuela, onde ele tem bons contatos com o governo de Maduro.
Numa outra esfera, a Globo pode fraudar a Receita, sonegar copiosamente, erguer uma casa suntuosa numa área preservada ambientalmente: nada acontece. É a plutocracia impune ancestralmente no Brasil. Em vez de punir a Globo, a Justiça confraterniza com ela. Gilmar Mendes, o descarado, troca telefonemas com Bonner para combinar pautas no Jornal Nacional na frente de testemunhas.
Gilmar, privinciano ao extremo, tem ideia do que ocorreria se o editor de um telejornal de Murdoch fosse apanhado combinando uma pauta com um juiz da Suprema Corte britânica? Seria demitido, com ignomínia, imediatamente, e não escaparia da cadeia por ligações intoleráveis.
Eduardo Cunha é impressionante. Usou até uma igreja evangélica para obter vantagens pessoais. Tem contas na Suíça comprovadas pelas autoridades locais sem jamais tê-las declarado. Mentiu numa CPI ao dizer, antes que as contas fossem conhecidas, que só tinha aquilo que declarara na Receita.
Fez emendar para favorecer empresas que financiaram sua eleição. Ameaçou, pelos seus paus mandados, delatores que pudessem citar seu nome em roubalheiras. Levou uma vida nababesca, ao lado da mulher, Claudia Cruz, absurdamente incompatível com seus rendimentos de deputado. Uma empresa ligada a ele depositou quase 600 mil reais na conta de sua mulher.
Com esta ficha criminosa espetacular, Eduardo Cunha não é sequer cassado. Pôde conduzir, como se fosse Catão, o processo imundo do qual resultou o afastamento de Dilma.
Enquanto isso, Dirceu vai morrendo na cadeia.
A plutocracia quis acabar com ele. E o PT, acovardado, não o defendeu. Você conhece aqueles célebres versos de Brecht: primeiro pegam uma turma, e você se cala. Depois, pegam outra, e você outra vez se cala. Até que pegam você.
A plutocracia, primeiro pelo Mensalão e depois pelo Petrolão, buscou Dirceu, e o PT nada fez. Depois foi atrás de Lula e de Dilma.
E eis então Dirceu, esquecido por todos, às voltas com a vida sombria numa prisão na qual foi atirado apenas pelo crime imperdoável, no Brasil, de se opor à plutocracia.

segunda-feira, 13 de junho de 2016

JOHN LEE HOOKER - THE HEALER (FULL ALBUM)

DCM: Carta aberta a Dilma. Por Paulo Nogueira

Cara Dilma: 
O que mais me impressiona no drama que você está enfrentando é sua força moral, sua invencibilidade espiritual.
Montaigne escreveu que o real teste da estatura de alguém é sua atitude diante da morte. Sócrates tomou a cicuta consolando seus discípulos. Sêneca cortou os pulsos, a mando de Nero, consolando também seus discípulos.
Força na adversidade. Quantos de nós temos isso?
Não deram a você cicuta e nem uma lâmina para se sangrar até a morte, mas não foi muito diferente disso quando se pensa no universo da política.
E você reagiu com bravura extraordinária. Seus algozes certamente imaginavam que você iria se vergar para facilitar seu trabalho sujo, mesquinho, indecente. Isso jamais aconteceu.
Percebe-se, agora, como foram duros seus breves dias no segundo mandato. A seu lado, um traidor que tramava enquanto produzia mesóclises ancestrais.
Pouco adiante, no Congresso, dois tipos abomináveis. Um deles, Eduardo Cunha, fazendo seu jogo criminoso para derrubá-la enquanto ganhava dinheiro imundo.
Outro, Aécio Neves, um playboy inútil e corrupto, se comportava como um perdedor desprezível, pusilânime, destituído de caráter, honradez e coragem para lidar com a derrota.
Por cima de tudo, pairando como um corvo sobre a democracia e sobre o país, a mídia plutocrata. Os Marinhos, os Frias, os Civitas — os coroneis da imprensa massacraram você desde que anunciada sua vitória para um segundo mandato.
Jamais entendi como você, e aqui vai um reparo que fiz várias vezes, continuou a encher de dinheiro público os bolsos de seus algozes. Caberá aos historiadores do futuro elucidar por que a TV Globo, ano após ano, continuou a levar 600 milhões de reais de seu governo, assim como ocorrera com o seu antecessor.
Mídia nenhuma é obrigada a apoiar ninguém. Mas governo nenhum também é obrigado a anunciar em veículos que, no seu entender, mentem, manipulam, inventam, distorcem todos os dias, todas as horas.
Os 54 milhões de votos que a senhora teve lhe deram autoridade plena para comandar as verbas de publicidade federal. É um dos direitos sagrados de quem vence eleições presidenciais.
Os bilhões torrados em empresas como a Globo e a Abril, a senhora há de concordar, teriam sido infinitamente mais bem empregados para construir escolas, hospitais, portos, estradas, casas populares e por aí vai.
Na história moderna brasileira, a torrencial publicidade do governo serviu apenas para selar um pacto entre políticos corruptos e conservadores e os donos das companhias jornalísticas. Você me enche de dinheiro e eu dou cobertura amiga para você: este o pacto.
Nem Lula e nem a senhora mudaram isso. Uma pena, uma desgraça e, para mim, também um mistério.
Mas de volta ao sítio que lhe impuseram.
Por último, se tudo que foi exposto acima não bastasse, vieram Moro e sua Lava Jato dispostos a erradicar não a corrupção, como se vê pela tranquilidade com que Cunha se movimentou até que os suíços — repito: os suíços, não os delegados da PF — provassem cabalmente o tamanho da sua ladroagem e a enormidade de suas mentiras.
A plutocracia a imobilizou e, suprema canalhice, a acusou depois de imobilidade.
Getúlio meteu uma bala no peito sob um cerco parecido. A senhora decidiu combater o bom combate.
A história haverá de reconhecer o que homens corruptos tentam de todas as formas negar-lhe.
Com admiração.
Paulo

domingo, 12 de junho de 2016

Fernando Pessoa, Cada palavra dita é a voz de um morto.

Cada palavra dita é a voz de um morto.
Aniquilou-se quem se não velou,
Quem na voz, não em si, viveu absorto.
Se ser Homem é pouco, e grande só
Em dar voz ao valor das nossas penas
E ao que de sonho e nosso fica em nós
Do universo que por nós roçou;
Se é maior ser um Deus, que diz apenas
Com a vida o que o Homem com a voz:
Maior ainda é ser como o Destino
Que tem o silêncio por seu hino

E cuja face nunca se mostrou.
19.IX.1918.

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Dave Brubeck - The Very Best Of (Not Now Music) [Full Album]

Nenhum respeito pela figura medonha e mórbida; BH, 080602016.

Nenhum respeito pela figura medonha e mórbida,
Bizarra, bisonha do mordomo golpista Michel 
Temer; nenhuma consideração pelo inconfidente,
Traidor, informante da CIA, oportunista barato,
Demagogo, hipócrita Michel Temer; mas, as 
Hienas da direita do PIG bovino, Partido da 
Imprensa Golpista, do Judiciário paquidérmico 
E do Legislativo e seus lacaios do baixo clero,
Apostam tudo na cleptocracia, na plutocracia 
Formada de grandes sonegadores, especuladores,
Desestabilizadores neoliberais que, veem a 
Pátria como um prato de comida, de onde têm 
Que comer toda a comida, não dar nada em 
Troca e nem fazer nada para a melhoria e a 
Divisão da comida; são morcegos hematófagos,
Sanguessugas, carrapatos que, onde houver um
Sangue que gere lucro, sugam até a última gota;
Ridicularizado em todo o mundo, desmoralizado
No meio intelectual sério, Michel Temer encontra
Algum respaldo somente nos meios de comunicação
Brasileiros, desprovidos de credibilidade e sem 
Seriedade nos circuitos internacionais; covarde, 
Abandonou a Presidenta Dilma Vana Rousseff,
Juntou-se aos insufladores e propagadores da 
Crise, aos pregadores do golpe e apunhalou
Pelas costas uma mulher que lhe deu um voto de 
Confiança; e assim, cairá em desgraça na história,
Será amaldiçoado pelo povo trabalhador brasileiro
Até à geração final e não será reconhecido, a não
Ser pelos imperialistas de olhos em nossas riquezas,
Pelos colonizadores que nos querem consumistas 
De seus produtos e pelos defensores de governos
Fracos, inexpressivos, para que sejam manipulados,
Como é esse interino, pelos bandidos que o cercam
E que não suportam um dia de desobediência civil, até 
A volta definitiva da Presidenta Dilma Vana Rousseff.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Primeiramente fora Michel Temer golpista e conspirador; BH, 080602016.

Primeiramente  fora Michel Temer golpista e conspirador,
Traidor, inconfidente, informante da CIA, eternamente;
Segundamente, volta Presidenta Dilma Vana Rousseff,
Urgentemente; terceiramente, Aécio Neves na cadeia,
Réu, declaradamente, depois de devolver devidamente,
Tin tin por tin tin, todo dinheiro que, justamente com
A sua famíglia, Antônio Anastazia e os seus grupos 
Pilharam, aparelharam e roubaram do estado de Minas
Gerais, descaradamente e coniventemente com o apoio
Do eleitorado analfabeto apolítico, dos seus currais 
Eleitorais; quartamente, Eduardo Cunha e famiglia 
Também no presídio, para antes de ontem, com boa
Parte de comparsas, cúmplices e quadrilheiros da 
Camarilha dos Deputados, mais putos e putas do que 
Outra coisa, antes de mais nada; quintamente, limpeza
Geral, Faxina total no Senado Federal que, ninguém
Suporta o cheiro, de tanto feder mal e sextamente, 
Impeachment de Gilmar Mendes, o fruto mais podre
Entre os frutos e as frutas do apodrecido STF, Supremo
Tribunal Federal; setemamente, se fosse em outra pátria
Que, não é a banana que somos, FHC, vulgo Fernando
Henrique Cardoso, juntamente com a sua turma  
De bandidos da demotucanalhada, teriam que vomitar
Aos cofres públicos, tudo que privaram ilicitamente,
Da mesa do povo trabalhador brasileiro; mas, não, 
Posam de vestais impolutos, como se não fossem 
Corruptores, corruptos e corrompidos; e o povo já 
Sabe, não é bobo e grita fora PIG, Partido da Imprensa 
Golpista e abaixo REDE GLOBO, câncer do Brasil.

terça-feira, 7 de junho de 2016

ZÉ KETI - MADRUGADA

Opinião-Zé Keti

Zé Keti - Acender As Velas

zé keti - nega dina, diz que eu fui por aí

Zé Keti - Leviana

Quando Eu Me Chamar Saudade # Nelson Cavaquinho

Cartola e Nelson Cavaquinho - Folhas Secas

Nelson Cavaquinho - Minha Festa

Vou partir-Nelson Cavaquinho

domingo, 5 de junho de 2016

A pessoa do Pessoa são infinitas pessoas; BH, 050602016.

A pessoa do Pessoa são infinitas pessoas
E toda pessoa são moradias de inúmeras pessoas
E apessoadas com a poesia
E a poesia é uma pessoa depois do Pessoa;
Quem vai a Portugal faz a viagem de volta das
Grandes Navegações dos destemidos
Marinheiros acorrentados às correntes marinhas;
As naus partiam felizes dos portos medievais
E muitas vezes,
Nas quais nem sempre era no mar manhã,
Volviam as naus infelizes,
Quando era no mar manhã;
Castelã desse castelo medieval,
Que sonha com a navegação infalível
E a pedra calejada pelo tempo,
Alicerce em cima do qual,
Foi erguido o castelo medieval,
Com suas paredes de pedras testemunhas,
Da consciência das eras adormecidas;
E bailam as ondas orquestradas nos escolhos dos abismos,
Nos enegrecidos paredões esculpidos pelo vento,
Obra de arte do sereno e orvalho e brisa,
Sobre os rostos das pedreiras históricas,
Que a tudo acompanham dos altos dos seus cimos,
Dos pilares das suas colunas,
Pilastras que olhos de pessoas não enxergam;
São olhos famintos por sangue,
Olhos de quem sente fome de carne,
Osso e nervo e pele e gordura e músculo;
Há pessoas que se pensam pessoas e
Pessoa não se pensava pessoa,
Se pensava pessoas 
E colocou em prática o seu pensamento
E deu vida à todas as pessoas,
Que jaziam mortas, ou adormecidas dentro de si
E deu obra-prima a todo pensamento fruto
Do próprio Pessoa
E frutas das próprias pessoas maravilhadas,
Pela maravilha do Pessoa.

sexta-feira, 3 de junho de 2016

A chuva cai-Argemiro Patrocínio

Meu sofrimento / Tudo mudou tão de repente - Argemiro do Patrocínio

Vou-me embora pra bem longe - Argemiro do Patrocínio

Michel Temer o temeroso e fraco e vacilante e só está; BH, 030602016.

Michel Temer o temeroso e fraco e vacilante e só está 
Interinamente no poder, não por mérito próprio, 
Mas, por ser um bode expiatório, um quinta-coluna
Da burguesia fétida, da elite predadora, da plutocracia
Exploradora, da cleptocracia dominadora, para fazer 
Um trabalho sórdido, um serviço sujo, de dar um 
Golpe de estado e apear do cargo, a primeira mulher
Eleita, legitimamente, Presidenta da República 
Federativa do Brasil, a Excelentíssima Senhora, 
Dilma Vana Rousseff; e como é um ser sem 
Escrúpulo, desprovido de sentimento republicano, 
Vazio de teor democrático, sem voto, não tem 
Compromisso com a grandeza, Michel Temer, o 
Temeroso, apequena-se notoriamente e diminui o 
Brasil diante do mundo, com a sua podre vaidade 
De roedor; e rói e corrói a nossa democracia e como
Uma sanguessuga, suga o sangue da nossa cidadania 
E como um verme, infecciona a nossa soberania; e 
Como um coveiro, enterra a nossa Cultura, deposita 
Numa cova a nossa saúde e manda num esquife as 
Nossas conquistas sociais e faz dos direitos do povo 
Trabalhador brasileiro uma sepultura; asqueroso, 
Michel Temer, o temeroso,  junta-se ao que há de pior na 
Representação da direita, às mais nefastas políticas
Do atraso e do conservadorismo fascista; protetor
De bandidos veneráveis, corruptos consagrados, 
Corruptores notáveis e corrompidos morcegos 
Togados, abre as veias do país ao neoliberalismo
Selvagem; se não for detido imediatamente, nos
Levará a um período de trevas, mais maléfico e
Destruidor do que o da ditadura; ou todos 
Resistimos ao grupo desse crápula, ou não teremos
Condições de estudarmos a história contemporânea 
Brasileira: sentiremos nojo, asco, vergonha. 

#TemerOut : 4 bilhões de espectadores!