quinta-feira, 9 de julho de 2015

Rio Grande do Norte, 916, 66; BH, 0140702012.

Persigo as coisas mais desvalorizadas do universo,
Infelizmente corro atrás do que ninguém mais corre;
Tenho obsessão por obras de arte literárias compostas por mim
Ou por outrem;
Tenho paixão pelas obras-primas que crio
Ou que outros criaram;
E amo os clássicos que gero na minha antologia,
Ou os gerados em outras antologias;
Muitos direis que sou louco,
Muitos me chamareis de maluco ensandecido;
E não terei na maioria apoio
E a indiferença será a herança que receberei,
Quando quiser demonstrar tudo que aprisionei
Nas minhas viagens pelo universo;
Darwin passou pelo mesmo que passei,
Ao apresentar os resultados que geraram
A sua Evolução da Espécie;
Mesmo com verba pública real inglesa,
Precisou de anos para ser reconhecido
E só não caiu na fogueira da inquisição,
Graças ao anglicanismo;
Persigo coriscos e cometas e estrelas cadentes e meteoritos,
Persigo cultura tão desprezada,
Tão humilhada e desrespeitada e em nome dessa cultura,
Faço um juramento de nunca abandoná-la
E sim imortalizá-la nestas pobres letras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário