sexta-feira, 10 de julho de 2015

Patagônia, 1155, 16; BH, 0200702012.

Picassso deixou belas obras-primas em óleo
Sobre tela, verdadeiras obras de arte, com
Estilo, com fases, com escola, enfim, marcou
Época nas belas artes e nas artes plásticas; e
Dali, foi outro que deixou aqui, o que se
Falar, com dons geniais tais Picasso e ambos,
Cada um mais monstruoso do que o outro; e
O que tento fazer é imitar os dois, com o
Meu pincel de pena, minha brocha de caiar,
Meu rolo de pintar paredes invisíveis, muros
Celestiais, muralhas do firmamento, colunas
Universais; e cavo sepulturas em busca de
Letras e violo sepulcros à procura de
Palavras e profano ossuários sagrados em
Busca de ossos para alicerces das minhas
Igrejas e quanto mais velhoo e raro for o
Esqueleto, mais valiosa para mim é a
Caveira; e de planeta em planeta, de lua
Em lua e de estrela em estrela, vasculho
Todas as crateras, vago por cada campanário
Deixado por meteoros e registrado em
Linhas paralelas, linhas dos horizontes,
Do Equador, tropicais, de câncer e de
Capricórnio; e linhas latitudinais e
Longitudinais; pode não sair uma obra
De arte, pode não sair uma obra-prima,
Mas, isto não é o importante, igual
A perfeição dos dois gênios, mas, sai de
Dentro de mim e isto é o que importa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário