terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Filosofia; BH, 03101202012.

Quando crescer e ficar pelo menos
Do tamanho do sol, ou tão grande,
Que pudesse encobri-lo com o
Meu pé, talvez pudesse sentir afirmação;
Quando a dúvida assola o coração,
O ser pequeno fica fragilizado; barco
Na procela, animal no vendaval,
Pena no furacão; e o que faz um ser
Crescer é a certeza, a intuição
Sem medo de errar e a percepção
Que supera a obtusidade; quando
O desassossego chega ao ser minúsculo
E não encontra rochedo para
Fincar os pés, raízes para plantar as
Mãos, nunca será um levantado do
Chão; nunca terá emancipação,
Independência, liberdade de ação;
Crescer justamente com o universo, é
Que é crescer em si; nunca se deve crescer
Em outrem, uma boa lição que devemos
Aprender; crescer em outrem, é diminuir
Em si; pura filosofia, hein? e quem diria,
Que ser tão medíocre, falaria em
Filosofia? mas a filosofia nasce também
Para os pequenos; e quando crescer,
Por estar de igualdade com o sol, com
O universo, nem por isto deixarei de
Reverenciá-los; e quando o ser sente
Que cresceu, a primeira vontade é
De chorar igual criança; e se pensa que
Cresceu, mas não chorou igual neném,
É por que não cresceu ainda, volta para o
Berço, ou para o útero, para nascer de novo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário