terça-feira, 16 de abril de 2013

Não adianta tentar conter a ignorância do indiferente; BH, 0300601º0702001.

Não adianta tentar conter a ignorância do indiferente 
E reprimir o omisso é quase impossível; só mesmo Deus para
Estorvar o ignorante, pôr embargo à estupidez e embargar
De uma vez por todas, lei arbitrária; a justiça hoje é para o total
Impedimento dos pobres, livrar os ricos de obstáculos e poderosos
De qualquer estorvo; a justiça serve para validar medida
Preventiva de retenção de bens e rendimentos, não obstante,
Mantém livre jornalista que matou covardemente a amante; e manda para
Casa criminosos ricos que estavam presos; legaliza apagão de
Governos corruptos e sei que não adianta, mas pergunto:
Para que serve a justiça brasileira? para encher as
Penitenciárias de pretos, pobres, putas e marginalizados semianalfabetos;
Quem tem embarque no banco da justiça é só o que tem inveja
E orgulho, é o que presta o serviço, depois de embarcar por
Mãos de algum amigo; já quem anda do lado de fora é
Para o embarricar, o meter em barrica e defender com barricada
O tesouro dos donos da justiça; meu pronunciamento pode
Nem ter embasamento, meu princípio não é o que serve
De base a uma construção semântica e nem serve de estudo
Da evolução do sentido das palavras através do tempo e do
Espaço, mas, com teor semântico, ou não; com significação,
Ou sem ser significativo, mas o que tenho de dizer de relativo:
E sem cerimônia, com desprezo mesmo das convenções sociais:
É que a falta de semelhante, a falta de rosto, a falta de
Aparência da justiça é uma vergonha; podem não embasar
O meu pronunciamento, podem não alicerçar, mas a ação da
Justiça é de embasbacar; causa pasmo e falsa admiração,
É para pasmar a falta de ufanismo que a justiça recebe,
Pois não tem mais crédito e nem mais esperança; já
Que demonstra o pior embate do povo, a maior adversidade
Que encontramos pela vida; um coronel, que serviu para
Embater, produzir choque que resultou em cento e onze mortos,
Encontra-se livre, por esbarrar na impunidade da justiça; é
De se embatucar a qualquer mortal, é de se embaraçar
Qualquer raciocínio, é se se atrapalhar qualquer tentativa
De quem quer ser justo e procurar por justiça; é por isso,
Que prefiro embebedar-me, prefiro tornar-me um bêbedo,
Confesso que prefiro embriagar-me, quando leio nos jornais
Que deputados ganham exorbitadamente, também uma grande
Falta de justiça; e tudo começa a perturbar a minha mente,
É de alucinar-me, para que servem deputados, minha gente?
Para que servem senadores e vereadores? para que servem
Governadores e prefeitos? câmaras e congresso: burguesia e elite?
Prefiro embebedar meu ser, molhar minha alma, ensopar meu
Espírito, sorver o álcool, absorver o sangue e concentrar para dizer,
Que o impregnar disso é que causa a desigualdade, a corrução
Da sociedade, o fim do estado, da esperança e de
Qualquer expectativa de liberdade; não sinto-me apaixonar por
Nada, e nem embeiçar-me com algum embelezamento;
Tento embelezar o meu texto, e morro, e tento embelecer e
De súbito o efeito sai ao contrário; o belo é um rato
Seco, um olho seco para ornamentar a besta, e bestificar como
Se eu pudesse obstinar-me e inverter, e embestar-me contra a
Injustiça; porém, o que eu falo ninguém escreve, o que
Escrevo ninguém ler; sou tão insignificante, que não
Encontro como embevecer-me, causar algum enlevo
E embevecimento ou extasiar alguém; não tenho
Êxtase e meu ânimo é de embicadura, sem ânimo na ação de
Se chegar à embarcação para a amarra; dou um nó
Cego e não desato mais, e aí é só o amuar, o zangar, e
Um tal de embezerrar, embicar num rochedo; é um abicar
Num recife, dar de forma de bico num coral, espatifar
Literalmente e lá se vai o sonho eminente a transformar-se
Num pesadelo iminente; e tudo de sublime, de excelente
E que excede em nós e nos outros, perdemos igual
A um emir, chefe muçulmano, que acaba de ser
Destituído do seu emirado, a ficar sem o estado ou
Sem a região governados por ele, que se sente sem a
Emissão de dignidade; não adianta, mas um dia,
Adiantará, e aí, será diferente, o indiferente e o omisso
Deixarão de ser omisso e indiferente; e não darão votos
Para eleger seres omissos e indiferentes, insensíveis e insensatos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário