segunda-feira, 1 de maio de 2017

Belchior enfim voltou ao infinto; BH, 01º0502017.

Belchior enfim voltou ao infinito
E desde algum tempo já havia aberto 
Mão desprendidamente das coisas finitas
E escafedido nas reentrâncias da vida; 
Muitos pedidos de volta ao normal foram 
Feitos porém, qual o anormal que quer 
Voltar ao normal? voltar aos refletores 
Cegantes da mídia podre? voltar à essa 
Esfera de chumbo do idiota normal? e
Como um Sócrates, Belchior preferiu 
Beber cicuta própria, ao deixar-se 
Envenenar por uma sociedade viciada,
Corrompida, comandada por corruptos 
E dominada poe corruptores; como 
Conviver no meio de pessoas fascistas,
Homofóbicas, racistas, hipócritas 
Religiosas, misóginas, nefastas, nocivas,
Pernósticas? é muita brutalidade para 
Um meio ambiente tão saudável; é muita
Ignorância, estupidez e falta de educação 
E para uma democracia que não quer 
Revolucionar-se, evoluir-se, crescer, o
Melhor ao indivíduo livre, pensante é 
Deixar-se morrer para esta pseudo 
Democracia; e o livre pensador se 
Envergonha com tanta falta de vergonha,
Excesso de vagabundagem e vadiagem 
Sem limite e evadi-se para não ser 
Contaminado; e não quer mais ser um 
Artista vegetativo, não quer mais ser 
Um roqueiro que tece loas à ditadura,
Um blueseiro que canta a falsa tristeza;
E não quer mais ser protagonista de 
Filmes vazios, de novelas vãs, de peças
Opacas; e cansa-se de ser personagem
Sem história e ao ver a História do Brasil
Confundida tão porcamente; e hoje de 
Manhã ao auscultar o céu com o meu
Coração, percebi que havia uma estrela
Mais brilhante na constelação e sentir 
Inveja de Belchior, saiu de um meio tão 
Insignificante para comandar a imensidão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário