segunda-feira, 22 de maio de 2017

O poeta é um animal em extinção; BH, 0160402017.

O poeta é um animal em extinção,
Raro e precisa ser preservado e
Encontrar um poeta num bar, seu
Habitat preferido é impossível; e
Aonde andam os poetas que,
Ninguém sabe mais encontrar?
Viraram doutores, graduados e
Pós-graduados, viraram autoridades,
Magistrados e imortais de academias;
Viraram ministros, secretários de
Estado, embaixadores, cônsules,
Reis, príncipes, banqueiros,
Empresários, empreiteiros, em
Suma, falsos poetas, pseudo
Bardos; e o poeta não é mais
Aquele mendigo andrajoso,
Transbordante de ousadia, afogado
Em grande fé e paixão e o poeta
Não é mais aquele desafiante de
Duelos, batedor antagonista de
Espadas, ferino e arrogante,
Amante apaixonado, audácia à
Flor da pele com coragem cega
Tanto quanto a justiça de um
Indignado justo; e com o poeta
Extinto, extinguiu-se o sarcasmo,
A fina ironia do gênio da poesia, a
Franqueza da verdade e o desmascarar
Público da mentira e do mentiroso;
E com o poeta extinto, extingui-se
O homem que, não é mais encontrado,
Com toda a luz do mais potente
Holofote, juntamente com a luz
Do sol no zênite; ou será que o
Poeta só sai à noite, ou durante
As madrugadas a esconder suas
Pudibundas vergonhas de musas?

Nenhum comentário:

Postar um comentário