quinta-feira, 12 de maio de 2016

A poesia não depende de consenso e o poema não é consensual; BH, 02401102000.

A poesia não depende de consenso e o poema não é consensual,
Não depende de conselho de guerra e nem de tribunal militar,
Que julga as infrações de natureza militar, em época de guerra;
A poética não é reunião de professores, não é presidida pelo
Reitor, ou diretor da universidade, ou escola onde lecionam,
Não exite corporação que incumbe dar parecer, ou conselho
Sobre certos negócios públicos, como uma reunião de ministros,
Corpo coletivo superior duma entidade, poesia é rua, periferia,
Suburbana, rural; aviso à burguesia assanhada, peço prudência
Da elite, parecer, ou opinião que se emite e nem é título
Honorífico do império no Brasil; e é mais do que isso, é
Fenomenal, é fundamental, não é membro de junta consultiva,
Não aconselha e nem age como conselheira; é de chegar a
Algum lugar comum, é de ter como consequência, ou
Resultado, a grandeza interior, é de obter tamanho, entrar na
Posse do universo, conseguir, portanto, o brilho da luz, o
Efeito consecutivo no vácuo e o que é consequente na
Ordem do tempo, como ao conseguinte do vento imediato,
Que segue a brisa e a consecução da aragem, do sereno e
Do orvalho, a serviço da madrugada, conscrita no dia,
Alistada ao sol, sem os raios da conscrição e com a
Desobrigação de alistamentos de homens a qualquer serviço;
A poesia procura o cônscio, caminha com aquele que conhece
Bem o que faz, ou o que deve fazer; anda ao lado do consciente
E o poeta é ciente, é o enfermo que não perdeu a capacidade de
Comunicação coerente com o mundo exterior; mantém a 
Consciência evoluída, é justa, cuidadosa, sincera, sabe que 
Existe e valoriza o escrupuloso, o consciencioso, de boa fé e 
Sinceridade; participa do conjunto de sentimentos que se 
Explicam apenas pelo fato do agrupamento dos indivíduos
Em sociedade coletiva, com retidão e honradez, escrúpulo
No cuidado extremoso ao realizar uma tarefa; sentido intimo
De julgamento, percepção aprumada dos fenômenos afetivos,
Volitivos e intelectuais dentro de si; tem conhecimento e 
Noção da boa herança herdada do parentesco pelo lado 
Paterno, do parentesco por consanguinidade pelo lado 
Materno, do irmão por parte de pai do mesmo sangue, do 
Mesmo caractere consanguíneo que faz dedicar ao trabalho;
Aclamar o ânimo, eleger a beleza oculta, sancionar a liberdade,
Autorizar a verdade, dedicar ao bom, sem tributos, não receber
Homenagens de quem quer oferecer; não tornar-se sagrado e 
Fugir daqueles que o querem consagrar, fugir da consagração,
Da glória conquistável, do poder conquistado e de tudo que 
Pode atrair inveja; reduzir a inocência, obter o amor natural,
Ganhar o pão, granjear de sol a sol e vencer, alcançar 
Maturidade, crescer, adquirir só pelo trabalho; nunca subjugar 
Pela força, nunca tomar à força de armas e se tiver de 
Conquistar, de ser um conquistador, de não ser um galã, um 
Amante, possuidor de uma pessoa, ou de coisas conquistadas,
Se fizer uma conquista, conquiste com a paz, com o amor, com a 
Poesia, com o poema, com o soneto, com o sonho; e seja um 
Sonhador, não obstante, não seja um irracional, seja um defensor
Da utopia, posto que, não seja incrédulo, seja um poeta, se bem 
Que, a grande maioria, não reconhece a utilidade do poeta;
Porém, não desista, mostre a fé, conquanto não acreditem na 
Força da paixão, no poder conotativo de um poema, na conotação
Do universo e na relação que se nota entre as coisas que se 
Comparam; venha conosco, se una a nós, seja o teor dirigido a 
Nós, conheça a nosso respeito, viva em nossa companhia, os 
Sonhadores, os únicos e não viveremos mais em conspiração, 
Em trama traiçoeira e em combinação entre duas, ou mais 
Pessoas para prejudicarem outrem, é o fim do conluio e 
Ninguém precisa fazer, ou querer participar de grupo com intuito 
De conluiar contra a humanidade; é o conjuro, o exorcismo 
Conjuratório, o fim do lastimar-se, não precisa entrar mais em 
Conjuração contra o ser humano; aprenda a rogar e a suplicar
A Deus para afastar o mal iminente, curar a dor e cortar os braços 
Dos que querem incitar, conspirar, tramar e conjurar contra nós. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário