quinta-feira, 5 de maio de 2016

Se alguém olhar para mim não vai dizer que é aquele; BH, 02401102000.

Se alguém olhar para mim não vai dizer que é aquele
Que faz parte de uma conjuração, que é um conjurado
E que tramou a conspiração, a conjura e o que tem o 
Espírito do Tiradentes; porém, estará enganado, é que 
Conheço as dificuldades da vida, o ensejo do destino,
A falta de oportunidades e não vou de encontro aos 
Acontecimentos, nem os históricos, como foi a conjuntura 
De Tiradentes; vivo longe de conjunto, até do residencial
De edifícios para moradias, prefiro as cavernas, os guetos,
As locas, as tumbas, as covas e nem sei por que, ainda 
Não moro na rua, debaixo das marquises, com o pequeno
Grupo de músicos que tocam juntos no musical da vida;
E não tenho time de futebol, não faço reunião nas partes
Que formam um todo e nunca estou próximo, anexo,
Junto ao moderno; não olho simultaneamente, com a 
Humanidade na mesma direção, não conjugo o modo 
Verbal também chamado subjuntivo; e o tecido orgânico
Que separa e que une os outros tecidos, deteriorou e 
Não tenho o valor duma conjunção gramatical; e ao redor
De mim não junta-se nem lodo e desconheço o que tenho
Eu de conjuntivo; a não ser a conjuntivite, a inflamação
Da conjuntiva, a granulosa, tracoma, que acompanhava-me,
De vez em quando: aí colocava limão e fim de papo; só 
No ano que vem que a membrana que forra a parte anterior
Do globo ocular, exceto a córnea e a parte interna das 
Pálpebras, volta a incomodar o olhar conjuncional e quero
Ter a importância, pelo menos, dum vocábulo, pode ser a 
Do que liga duas palavras, dois membros de oração, ou 
Duas orações; e quero ter a posição da lua, quando está 
Entre a terra e o sol e quero ter o encontro aparente de 
Dois astros no mesmo ponto do zodíaco e quero ter a
Conjuntura e a união com a força da natureza e ser a 
Conjunção entre os raios e o trovão; e quero ser o cônjuge
E cada um dos esposos em relação ao outro e pretendo 
Ser conjugável e emparelhar-me com os que estão à 
Dianteira e ligar-me aos bons, unir-me aos que sabem 
Dizer e escrever ordenadamente as flexões dum verbo e 
Conjugar o casamento para não acabar o amor conjugal,
Ter o coração maior do que o apartamento de cozinha e 
Quarto, o sonho conjugado no conjunto ordenado das 
Flexões dos verbos, da função para a evolução; e para a 
Reunião que eleva acima do simples conjeturar, do 
Supor que poderá ser feliz, julgar por conjetura a dúvida,
Baseado no falho conjetural, na suposição da hipótese,
A ideia imprecisa, o juízo incerto e descobre que é 
Cúmplice da burguesia, da elite, que fingem não saber 
Do mal, do crime que outro do meio pratica, a gerar a 
Cumplicidade do conivente, a qualidade da conivência do 
Cônico, do chapéu de forma cônica, do cône que, é colocado
No alto da cabeça com o escrito burro, na conicidade por 
Não saber e nem possuir o cabedal da cultura; na nota de 
Despacho de mercadorias, na consciência de si próprio e 
Da pessoa  com quem travam-se relações e então, perdemos
O nível, o grau, o conhecimento e o efeito de conhecer o
Conhecido e o desconhecido; e deixamos de ser conhecidos,
Sabidos, experimentados, peritos e passamos indiferentes,
Por pessoas que conhecemos ligeiramente e aí, passamos a
Não ter ideia exata sobre a nossa própria capacidade e 
Temperamento; ao não sermos competentes para julgar e nem 
Termos a função de juiz e vem o sofrer, vem o admitir o 
Sofrimento, o querer julgar sem fundamento, quando não
Devemos; e o medo de ter e manter relações sexuais, 
Sentir o efeito e a ação da doença e o tempo fica perdido,
O instruir-se não tem mais valor, o ter ouvido não é mais 
Necessário; e o ter experiência não voga mais em moda e ter 
A capacidade de distinguir-se e discernir-se é desacreditada
Pela falta de noção e informação e o que conhece bem 
Alguma coisa, fica perdido, amarrado pelo medo, diante
Do conhecedor; e o que nos salva é um conhaque, uma boa aguardente, 
Ou de vinho, ou originária de Cognac, França, que restitui a nossa 
Coragem, nossa fé, ousadia, audácia e paixão e nem o conguês, natural do
Congo, África, nos mete mais medo algum na nossa embriaguez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário