terça-feira, 31 de março de 2015

Alain Delon e como fui apaixonado; BH, 02901202012.

Alain Delon e como fui apaixonado
Pelo Alain Delon; e Marlene Dietrich
E era uma paixão invejosa, uma
Paixão de querer ser o astro; nos
Tempos em que o cinema era cinema,
Colecionávamos figurinhas dos grandes
Atores franceses, dos seus filmes, dos seus
Modos, com imitações, posturas e
Composturas e atitudes; atualmente,
A rotatividade é tão louca, que não
Há tempo de firmar num astro uma
Referência; e a cada dia surge uma cara
Nova na mídia e tem que ser cara
Bonita, estereotipada, sarada, plastificada;
Nem é necessário talento; o talento é a
Beleza do ator, ou atriz, que sem fazerem
Uma escala numa escola, não estudaram,
Não estudam, ou estudarão os grandes
Autores e intérpretes; não conhecem
A cultura humanística e universal, põem
As cara e bocas nas telinhas e nas
Telonas, os corpos plastificados nas
Revistas e o sucesso está garantido; e
Jean-Luc Godard, Pedro Almodovar,
Luis Buñuel do cinema universal são
Desprezados; os que fazem arte,
Obras-primas, obras de arte e pensam,
São trocados pelos Adônis, Apolos,
Narcisos e quem acaba por perder é
O que se pede a cultura e perde a
Própria vida; mas, não podemos nos
Deixar abater, é resistir, é adotar
Postura de terrorismo cultural; o que não
For cultura, lata do lixo da história nacional,
Como deveríamos fazer com a mídia venal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário