segunda-feira, 23 de março de 2015

Madrugada, Street Shopping Planalto; BH, 02901202012.

De onde tirarei forças? de onde tirarei
Cor para o meu sangue? quero ir, dar
Um passo adiante, chegar ao seguinte
Instante e não passo da linha do
Horizonte; de onde tirarei asas para o
Meu voo? e voar mais alto do que o
Ícaro e não cair; quero flutuar, levitar
E sou mais pesado do que o ar; de
Onde tirarei alicerce para os meus
Pés? firmeza para as minhas mãos? e
Minha voz sem argumento, de onde
Retirará argumentação? calo-me sem
Respostas, calo-me sem solução; de
Onde tirarei letras, palavras, não tenho
Mais de onde; quebrei as cordas
Vocais e os tendões que sustentavam-me
De pé; de onde tirarei verbos, substantivos
Para sustentarem minha ânsia? que
Desespero de filme sem roteiro; é o
Mesmo que uma escola de samba sem
Samba enredo; de onde tirarei cheiro
Para a minha alma? como retirarei o
Mofo do meu espírito? e de onde tirarei
Protagonismo, pragmatismo, afeição,
De onde tirarei afeição? não tenho
Mais letras misteriosas, não tenho
Mais palavras secretas, com segredos
Absurdos; de onde tirarei, se não
Tenho mais nada para tirar? de onde
Tirarei o fôlego final? o último suspiro?
O soluço fatal? de onde resistirei às
Investidas das ondas tenebrosas do
Mar? e se cair na água, não sei nadar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário