segunda-feira, 9 de março de 2015

Mãos e onde estão vossas unhas? BH, 02501202012.

Mãos e onde estão vossas unhas? lá nas pedreiras,
No fragor do alcantil, nas escarpas das serras;
Nas pedreiras, no fragor do alcantil, nas escarpas
Das serras? sim e nos paredões dos penhascos;
O que fizestes de vossas unhas? somos poetas,
Não somos deuses, não tínhamos fogo para
Escrever nossos mandamentos e usamos as
Unhas; e quais são os vossos mandamentos?
Estão lá, nas rochas vivas maciças, encravados,
Usamos o nosso sangue por tinta; e que ditais
Em vossos mandamentos? ditamos que a
Humanidade precisará escalar as rochosas
Puras, os rochedos nus, para lê-los, tal os
Escalamos para escrevê-los; e valerá a pena
Para a humanidade, escalar tão alto, para ler
Mandamentos? toda escalada a um alto, por si
Só, vale a pena, uma escalada para os altos dos
Montes reverendos, para os cimos consagrados,
Fará com que a humanidade, passe a pensar em
Aprender a viver; veneráveis mãos ensanguentadas,
Dedos poéticos, ditais as regras para as novas
Gerações vindouras, vossos mandamentos serão
Os nossos mandamentos; e se um dia, a
Humanidade chegar às alturas, levantar-se do
Chão, é porque ganhou a condição de ler os
Mandamentos e inda aprisioná-los; mãos, nós
Humanos teremos, então, essa chance? tereis e
Avieis vossos passos, o entardecer urge e em
Breve, a noite engolirá o universo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário