domingo, 6 de julho de 2014

Empresarial Nicolau Jeha, 3; BH, 01001002012.

Faleis mal, mas faleis de mim, nem eu
Falo bem de mim e nada faço para
Que faleis bem de mim; como falar
Bem de alguém que nunca resgatou
Uma vida, nunca salvou uma alma?
Como falar bem de alguém, que
Nunca livrou um espírito? faleis mal,
Ou não faleis de mim; o que fiz para
Merecer que faleis bem de mim? não
Sou religioso, não aceito religiões, não
Aceito igrejas, sou um azarado e nem
Tenho sorte; e como falar bem de
Quem não canta uma canção, não
Escreve um texto, não constrói um
Teto e nem dá de beber e nem de
Comer a quem tem sede e fome de
Justiça? estais aí das vossas academias a
Zombar de mim, estais aí dos vossos altos
Cargos a dar descarga em cima de mim;
Entro bêbado nos botecos e inda quero
Beber mais, quebro os copos por não
Aguentar a segurá-los; caio, quebro a
Cara e ao andar embaralho as pernas; e
Sentado no meio-fio da calçada, a
Esperar o porre passar, indago-me: como
Falar bem de alguém que não ama? como
Falar bem de alguém, que de jeito nenhum
Faz as pazes com a felicidade? ou assina
Um armistício com a infelicidade, num
Contrato de rompimento, onde cada um
Viva à sua maneira, no lado em que
Estiver? falemos mal de mim, vós e eu;
E já falo mal de mim, desde que me
Conheço; podeis agora acessar ao
Mesmo endereço, continuo lá encoberto
Pelas sombras das trevas que mereço.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário