terça-feira, 22 de maio de 2012

E vi uma criança tootsie; RJ, 0270401995.

E vi uma criança tootsie,
Com o rosto cortado por facões;
No olhar um brilho de medo,
Seus pais foram assassinados;
E estava sozinha 
Nos campos de refugiados;
Seu nome ninguém sabe,
O medo não a deixa falar;
E a humanidade bem sei,
Não vai se quer se preocupar
Com o que ela tem a dizer;
É só um menino tootsie,
Ferido na guerra de genocídio,
Desencadeada entre os tootsies
E os hutus que são maioria;
O menino não é batizado,
Só tem um olhar arregalado,
Um semblante dilacerado,
Pelas lâminas dos facões;
E a mim resta-me ficar 
Indignado, pois isso nunca
Vai acabar; na nossa
Ignorância universal, as
Crianças sofrem mais; pois
São violentadas e mortas;
São estupradas, exploradas,
São corrompidas no berço;
São prostituídas e seviciadas,
Vendidas como mercadorias,
Ou simplesmente exterminadas;
E vi um menino tootsie,
Se aquilo era face de um menino,
Se pode se chamar aquilo
De menino, a humanidade não deixa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário