terça-feira, 26 de agosto de 2014

Simulacros mentais; BH, 0190402001.

Simulacros mentais,
Externais,
Pode-se escrever despido de fé,
Sentimento,
Paixão,
Emoção,
Nu?
Uma montanha ferida,
Um morro morto;
Pode-se evitar a sombra no muro?
A cara de encontro ao murro?
Arrasto pelas paredes a silhueta,
Vertigens,
Vertigens,
Vertigens,
Causa-me vertigens;
Porque tenho que andar,
Com as duas pernas no chão?
Porque não com a cabeça,
A saltitar tal um Saci-Pererê?
Sombral,
Sombral,
Sombral,
Som sombra de bral bral;
Da lua da luana da lueira,
Da lua da luana do luar;
Olho para mim prateado réptil,
Vejo que já estou morto;
A cauda porém inda debate-se,
Mexe a levantar a poeira;
Elementos da natureza universal,
Os átomos e os prótons e os nêutrons;
Matéria etérea garbosa,
Adjetivai e causai e levantai;
Não posso abrir mãos dos fantasmas,
Súbitos e ocultos e tênues;
Moléculas a reverberarem-se no ar,
Penumbra de noite de cego,
Vácuo que a luz não pode atravessar;
É lenta demais para acompanhar,
Manca mula coxa do outro lado,
Morte,
Onde estás?
Quo vadis covarde,
Faça parte deste repasto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário