domingo, 23 de novembro de 2014

Alameda das Princesas, 756, 3; BH, 050802012.

Quanto tempo dura a se materializar,
Numa pedra desta, uma consciência
Preciosa? direis: depende do rebolo, do
Polidor e de quem sabe manipular os dois;
Tento manipular a caneta contra o
Vento, as nuvens e as estrelas; naturalmente
Natural, igual a água nascente nos morros
E as que formam fontes e as levam os vendavais,
As que correm nas valas, pradarias e as das falésias;
Mas não me animei, fiquei por muito tempo
Estendido no varal para secar, a tarde
Passou tediosa e o entardecer mais lento;
Fiquei triste por perder tanto tempo, quanta
Luz desperdiçada; quanta energia não
Utilizada, mal canalizada e jogada fora;
Consultei oráculos, xamãs, pajés, pais de santos,
Pretos-velhos; consultei magos, bruxos, astrólogos,
Cartomantes e cada um individualmente,
Veio com uma mentira diferente, a jurar
E a querer comprovar que era verdade;
Consultei almas, espíritos, demônios, fadas,
Duendes, anjos e cada um me apresentou uma
Solução à sua maneira e derrubei a todos
Com uma resposta à minha maneira:
Não acredito em nada além de mim;
Como poderia receber mais bençãos, mais milagres,
Mais perdões, salvação, do que um menino da
África subsaariana? como posso merecer mais
Privilégios do que os sertanejos sem água? e
As meninas prostitutas do Vale do Jequitinhonha?
Se os deuses tiverem de fazer alguma coisa, não
Façam por mim; façam pelas vítimas da fome,
Do capitalismo, das religiões, dos preconceitos,
Façam pelos órfãos das guerras e das violências;
Quando dura um raio de lucidez,
Na corda da circunferência?

Nenhum comentário:

Postar um comentário