domingo, 23 de novembro de 2014

Alameda das Princesas, 756, 8; BH, 0110802012.

Recital de letras e palavras para aqueles
Que salivam ao lerem uma poesia;
Recital de frases, pensamentos, estrofes,
Versos, versículos, para aqueles que babam
Ao lerem um poema; é um recital
Aos que ficam bobos de encantamento
Diante dum soneto; e fazem reverências,
Mesuras, saudações à antologia poética
E aos mecanismos da inspiração, aos
Filhos da imaginação e às filhas
Da criatividade; recital para os
Amantes das genialidades das letras
E da genealogia das palavras e da 
Fenomenologia das expressões idiomátias;
Recital aos cantores de odes, de cânticos aos
Deuses, aos aedos recitadores de
Salões nobres; recital às culturas
Populares e eruditas, clássicas e deferência
Pelos resistentes apaixonados do belo;
Recital à filosofia, aos gregos, ao
Olimpo, à dialética e aos filósofos;
Recital aos céus milenares, eternos,
Que nos observam e nos lançam
Às ondas dos mares suspensos, para
Mergulharmos em busca dos nossos
Tesouros; recital ao firmamento,
Sinônimo de garantia, segurança
E confiança; recital às mulheres,
Especialmente às mulheres muitas
Vezes nossas vítimas; recital às
Crianças, aos adolescentes e por
Que não, recital aos velhos, muitos
Poços e potes e moringas de sabedoria;
Recital às tardes morredouras para
Darem vida às noites vindouras e
Essas às madrugadas inspiradoras:
Recital, recital, recital, recital sem fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário