segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Houve quem com uma alavanca; BH, 02101202012.

Houve quem com uma alavanca
E um ponto de apoio, moveu o mundo e
Houve quem rejeitou um milhão de
Dólares, pois disse que para ele, não
Haveria utilidade, se tinha a fórmula
Para parar o universo e de que um
Milhão de dólares valeria? e houve
Quem amou ao mundo e que deu
Até o próprio filho para ser sacrificado;
E há o que não consegue mover uma
Caneta na face duma folha de papel,
Para maquiá-la; há o que não consegue
Bordar um texto que seja digno dum
Sonho; e há o que, por falta de ânimo,
Não é capaz de criar um único sentido
Na vida; não causa razão de viver e
Nem passa a ninguém uma mesagem
Capaz de ser registrada nas tábuas da
Salvação; a arte pesa-lhe o carvão para
Rabiscar, a vareta de granito, ou a
Varinha de grafite, não têm o poder
Duma de condão, das que realizavam
Os desejos das fadas; e há o que é
Incapaz de entender uma metáfora,
Interpreta erradamente o texto, com
Total desprezo às letras, palavras e
Ao conjunto antológico da literatura;
Embebedam-se, embriagam-se, por
Tudo que reluz e não chegam nem
Perto da dimensão do sol; não têm
Nem ideia do núcleo solar, os brilhos das
Bolhas de sabão, ofuscam-lhes a visão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário