quinta-feira, 8 de maio de 2014

Desci aos subterrâneos; BH, 0160402001.

Desci aos subterrâneos,
Aos caminhos submersos pelo manto,
Que interligam continentes;
E vivi sempre nessa descida,
No ato de descer na vida injusta;
Na ladeira quando se desce na diminuição,
No abaixamento covarde;
E nunca houve um descerrar,
O abrir do que estava cerrado junto
Desde que nasci
E nunca sentir o desapertar do nó;
E praticar atos menos dignos,
Foi o que mais fiz,
Rebaixar-me,
Nem falo nada;
Degradar-me e decair-me é a minha herança,
O aproximar-me do ocaso,
O percorrer uma rua,
Na direção das casas de numeração inferior;
Percorrer um rio na direção da corrente,
Coisa normal;
É o inclinar e o pender para baixo,
Com a ajuda do destino;
O baixar de nível,
Com a ajuda do álcool;
O diminuir por mais que tente somar
E aí vem o efeito dominó a pôr embaixo;
É o efeito cascata a ir para baixo,
O efeito mover-se de cima para baixo a moral;
O descentrar e o desviar do centro geométrico
E cambalear no descentralizar da esfera;
E afastar da força centrífuga,
Separar do centro de gravidade e
Distribuir pelas localidades e
Corporações locais a força do povo e
Tornar independente o governo central,
No vendaval descentralizador;
O vento que descentraliza,
O furor descentralizado da procela,
Da vazante da tempestade;
O peso da água descente,
Que no descimento joga tudo no abaixamento,
No descenso de barracos à beira de morros de risco;
Não vivo de proceder e de prover por geração,
O originar e o derivar,
Igual ao descender,
Não repercutiu em meu ser;
Só eu só sou o que descende do que sou
E o que decresce
E o que cujos termos vão decrescer;
Sou o único descendente de uma única raça: a minha,
Parei assim a descendência,
Não vingou a série de pessoas que procedem
De um mesmo tronco ou origem e é por isso
Que quero descascar e tirar a casca grossa
De cima e dos outros;
Libertar-me e repreender severamente,
Quem não gosta de liberdade;
Falar mal de quem mente,
Tirar da bainha o facão
E quebrar todas as lâminas
E descartar o mal;
Rejeitar cartas e missivas contrárias
Aos padrões céticos;
Obrigar a jogar as cartas certas e
Livrar dos importunos que adoram descarrilhar,
Adoram descarrilar os vagões nos
Descarrilhamentos das locomotivas,
Nos descarrilamentos dos trens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário