quinta-feira, 26 de junho de 2014

Se fosse na época de Charles de Gaulle; BH, 0260602014.

Se fosse na época de Charles de Gaulle,
Em que se dizia que, o Brasil não era
Um país sério e o mundo debochava
Da gente, justificaria uma candidatura
Oca, irresponsável e superficial, como a
Do Aécio Neves á presidência da
República do meu país; o Brasil, hoje,
Sétima economia do mundo, com
Inflação controlada, pleno emprego e
Salário mínimo que satisfaz à maioria
Do povo trabalhador brasileiro, não
Pode, nem de longe, sonhar com tal
Pesadelo; com uma só tecla, em que
Bate sem parar, a da criação do real, a
Novidade que o concorrente apresenta, é
Justamente a da desvalorização do salário
Mínimo; cercado de pessoas nocivas, tem
No nefasto Armínio Fraga Neto (inimigo de
Minas Gerais e do Brasil, empregado do
Bilionário Georges Soros, que tem gana
De interesses em controlar negócios aqui
E é um dos principais supostos financiadores
Da campanha demotucana) o articulador que
Quer flexibilizar a CLT, numa tentativa de
Diminuição dos direitos dos trabalhadores,
Em favorecimento aos empresários dos
Grandes capitais; apesar do Brasil ser um
País mais importante, hoje, do que na época
Do Charles de Gaulle, temos uma imprensa
Que nos envergonha, joga contra a nação e
É respaldada por uma velha mídia vil e
Imprestável, que só por maldade e preconceito,
Sustenta um nome tão fraco à presidência;
Querer induzir o povo com mentiras, com
Falsidades, a não votar num projeto vencedor,
Progressista, renovador, que deu certo e que
Reergueu a nossa indústria; e querer esconder
O arrocho e as medidas impopulares prometidas
Pelo Aécio Neves, é um crime de lesa-pátria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário