segunda-feira, 4 de março de 2013

É o lado escuro da lua e não posso ser brando; BH, 090202004.

É o lado escuro da lua e não posso ser brando 
Com o bando de políticos brasileiros; é o
Lado escuro da lua, não sei ser meigo com a
Justiça brasileira, juízes, desembargadores, promotores,
Tenho que repetir, é o lado escuro da lua e não
Sei como ser carinhoso com os poderes e com as
Autoridades do país; não quero ser agradável
E nem faço questão de ser fagueiro: eles têm
Que levar pau no bagageiro: estradas assassinas,
Saúde precária, educação imprestável, segurança
Falha, violência acentuada, transporte muito
Ineficiente, desemprego, favelas, menores
Abandonados, trabalho infantil, prostituição
Infantil, trabalho escravo, corrupção, pagamento
De juros exorbitantes da dívida externa; e o
Congresso, senado e câmara dos deputados
E o executivo e o judiciário: como poderei
Respeitar esses três poderes, se eles não me
Dão chance de respeitá-los? cada dia que
Passa abomino cada vez mais esse lado
Escuro da lua; se pudesse daria para ele
Uma porção de fagópiro, planta venenosa,
Conhecida por trigo manso ou sarraceno; sou
Capaz de admirar mais a um fagotista, um tocador de
Fagote, instrumento de música de sopro e
Palheta, semelhante à clarineta, do que ter
Que admirar esse lado escuro da lua,
Que deparo com ele em todo o meu cotidiano;
Ele parece o ganso, que passa pelo processo da
Fagoterapia, a superalimentação, para que
Do fígado dele, seja feita a preciosidade do
Patê; até quando esse lado escuro da lua, será
O meu lado? é um destino sem sorte o meu, é
Um espírito fadário e que não tem a beleza
Da canção popular portuguesa de origem
Brasileira , vinda do lundu, já muito difundida,
Entre o povo, quando a corte portuguesa chegou
Ao Brasil, em 1808; esse lado escuro da lua, que
Tenho que tomar conhecimento dele, deixa o
Meu destino falhado, por poder sobrenatural; deixa
Minha vida apoquentada e trabalhosa e com
Esse grupo estou fadado a sofrer, predestinado a
Viver no lado escuro da lua; a não ser se,
Transforme-me num guerrilheiro revolucionário,
Visionário, com dons excepcionais, para favorecer
O povo, dotar o povo de verdadeiras cidadania e soberania;
Conceder a todos direitos, auspiciar a liberdade,
Vaticinar a felicidade, predestinar ao país um
Caminho de desenvolvimento e de evolução; não
Posso mais fadar ao peso do lado escuro da lua;
Vou-me libertar e determinar que a partir de
Hoje o povo será rebelde: desobediência civil; vou
Regular o destino e a sorte boa para cada um: xô lado
Escuro da lua, falou minha fada, minha maga feiticeira,
A Democracia brasileira, mulher mais formosa; é esse
Ente imaginário e que possui varinha de condão,
Que operará os prodígios; e um deles é para o fadejar,
Para a fadiga, é muito cansaço e faina; lida de muito
Trabalho sem resultado, que só causa estafa e canseira:
É provocar a rotação, para iluminar o lado escuro da lua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário