sexta-feira, 3 de maio de 2013

Quando entrar na fase de depauperação; BH, 01º0602001.

Quando entrar, na fase final de depauperação 
E for evidente o meu enfraquecimento e o meu d
Debilitamento físico, juro, que não quererei,
Nenhum acobertamento; quando o tempo debilitador,
Os anos enfraquecedores e o espaço depauperador,
Vierem engolir-me, não quererei maquilagem
Nenhuma; e quero receber com naturalidade a
Natureza do meu depauperamento e abraçar o
Estado natural de fraqueza e de debilidade,
Que se abaterão sobre o meu ser; e não quero
Cirurgia plástica, vitaminas energéticas e
Pílulas de rejuvenescimento; e serei depenado
Pelo tempo, igual ao pássaro que ficou sem as penas
E que se perdeu na tempestade; e igual ao ladrão
Que ficou sem o dinheiro, roubado pela polícia; e
Não quero nenhum retoque para as rugas e
Véu para encobrir o efeito depenador; ficarei tal
Galo velho, que a empregada depena e tal a pessoa,
Que entra com manha e astúcia e se apropriou
De um fruto alheio; e procurarei livrar-me de todo tipo
De entristecimento, mesmo com a dor causada,
Procurarei afastar-me da lamentação e da deploração
Humana; é triste ser lamentador no fim da
Vida e de deplorador, não quero a imagem,
A semelhança, a sombra; vulto lastimoso, dirão
Para mim; silhueta que deplora, dirão outros, aspecto
Deplorativo, dirão todos e porém,
Não direi nada, pois qualquer atentado em dizer
Algo, será deploratório também; e neste depoimento,
Espero deixar claro, que espero a decadência,
Sem fantasia e enfeite; e neste testamento, que com
Testemunho faço, é para não cair no vazio, no oco e na
Opacidade que pesa em cima dos ombros; assim,
Esta declaração é para dar uma chance à paz e ao
Depor, como as testemunhas depõem,
Provar que não serei réu de depolarização; e
Não tenho medo do desterro e da solidão e não temo
O degredo solitário, o exílio só; o ancião é desterrado,
O velho é banido, o senil é exilado, o membro da
Terceira idade é degredado e ninguém quer o
Decrépito por perto, é deportado; depois que virou lixo, após a
Ultrapassagem do limite da linha do tempo, canção do exílio;
Nesta deposição, sou o depositador de mim, o que
Deposita a confiança e a esperança, da minha
Matéria morrer antes; ando depositante, de que a
Força que une os meus átomos, será quebrada,
Antes que me quebrem; quebrarei a força de
Gravidade, sem sofrer a ação de depravado e
O corrompido não me atingirá; o pervertido
Não cuidará de mim e Deus me livrará do
Perverso e do malvado, ao cessar antes deles, os
Meus movimentos e ao separar os meus elementos:
Irei antes do depravador; quando o corruptor
Chegar não estarei mais aqui, driblarei o pervertedor
E não permitirei que o desmoralizador impeça o
Meu deprecativo a Deus; e neste deprecatório de
Banimento à desvalorização e de basta a todo
Menosprezo e depreciação causados pelo menosprezador,
Aprovados com o depreciativo do desvalorizador;
E a pressa com que o depreciador extermina
É depreciável e o depredador se anima, o estragador da fé,
Devastador de paixão, saqueador de desejo; tudo
Que ele pensa é o que há ou o que tem para por
Fim, é a depredação; é um depressor depredatório,
Deprime o que já está deprimente, avilta o que
Já está aviltante e humilha o que é humilhante; e
Serei um velho deprimido, uma carcaça que
Apresenta depressão, abatido pelos anos; aviltado
Pelos parentes e humilhado pelo filhos: assim é
A lei; a humanidade não passa pelo processo de
Depuração, não se faz uma apuração na raça
Humana e é por isso que é necessária uma
Limpeza e um esclarecimento: velho não é
Lixo, velho pode ser um depurador, um esclarecedor
De histórias; um apurador da verdade e purificador
Da mentira; o velho é um depurante, depura
O passado e o presente e o futuro; criarei uma
Deputação, farei uma reunião de pessoas encarregadas,
De missão especial, de preservar e de cuidar e respeitar
O velho que todos nós seremos no final; quando
Já estiver vencido pelo dérby da época, a corrida
De cavalos, ou em competição e perder qualquer disputa
Acirrada, ou esportiva, entre grêmios rivais, saudarei
O lorde inglês Derby, que em 1870, instituiu em Epson,
As corridas de cavalos e serei o último cavalo;
Depascente, o que pasce mansamente e pasta, come e
Se alimenta, num departamento; descobridor de
Mistérios, achador de tesouros, deparador deontológico,
No conjunto de normas da médica, dos que regem as
Relações dos médicos entre si e com seus doentes;
E a deontologia, parte da Filosofia em que estudam
Os princípios, fundamentos e sistema de moral; e o
Tratado dos deveres, da ética profissional; e mostro
Neste denunciável, o que se pode ser denunciado,
Como o que falta ao homem ideal; e crio este
Denunciatório, em que há denúncia de mau-agouro
E tratamento velho contra os velhos; já estou desde agora,
Denunciativo e não é por medo, covardia, mas o que
Denuncia, evita o crime e o que fazem com os velhos,
Crime hediondo; e sou denunciante, um denunciador que
Quer desnudar, descobrir a verdade, despir a mentira e
Tornar nu o engodo; e o denuamento da enganação e a
Despição da ilusão; e a denudação da falsidade do
Dentígero denso e do escuro dentiforme da boca da
Noite e da formação de substância de dentificação
Confusa com a gengiva em decomposição ordinária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário