sexta-feira, 29 de abril de 2011

Desilusão (Modinha XVIII)

Noite vai e noite vem e como sempre
Estou sozinho e sem ninguém: como é
Triste a minha vida e amarga como fel;
Vou sem rumo e sem destino, sem um
Amor e sem um céu; dia vai e dia vem,
E ninguém me chama de meu bem; ando
Triste e deprimido, e sou sempre desiludido;
Vida vai, vida vem, um dia eu sei que
Vou também; mas não queria, ir sem
Amor, por que lá eu sei, que sentirei
Dor; e só o amor, pode acabar com a
Dor que quer me matar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário