domingo, 2 de junho de 2013

Continuar com o rastejamento da teimosia; BH, 070102000.

Continuar com o rastejamento da teimosia,
O rastejamento obcecado e obsessivo,
Por pensarmos que somos o néctar,
A nata da sociedade,
A prata da casa da mãe,
O filão de ouro recém descoberto;
E na verdade gargalham na nossa cara,
Na frente, ou às escondidas;
Nos chamam de imbecis
E de tudo o mais impublicável do
Que querem nos qualificar;
E que de fato nos incomoda,
Pois não somos os políticos,
Não temos a inescrupulidade sórdida,
Dos políticos canalhas e insensatos;
Com eles não existe remorso,
Não existe arrependimento;
Só a cara de pau e o deboche,
O sorriso sarcástico e cínico,
De quem não está nem aí,
Para o caráter, honra e honestidade;
Nós, quando nos ofendem,
Nos sentimos envergonhados,
Tristes e deprimidos;
Com os políticos é ao contrário,
Como se nada fosse com eles,
Como se nada tivesse acontecido;
É uma corja que realmente envergonha,
Dá nojo e ânsia de vômito;
Só não vou citar nomes,
Para não sujar mais o papel,
Não macular mais a brancura,
Desta folha na qual escrevo;
Para eles deixo a ira e o ódio,
A vontade de matar,
De exterminar e de fuzilar;
Para eles deixo o ódio,
E a cólera de estrangular; de
Arrancar aos pedaços membro por membro
E lançar aos bichos e aos cachorros,
Às feras e aos vermes;
E às chamas das fornalhas ardentes,
Que saudades da inquisição;
Essa corja de hereges viraria cinzas,
Sem devoção e salvação,
Sem clamor de piedade,
De caridade, a amor de Deus;
Sem clamor de espécie alguma,
Só os uivos de dores,
Só os gritos de ais,
Só o arrancar de cabelos
E de dentes sem anestesia;
Vou parar que me dar azia,
Dar-me má digestão e dor de barriga,
Falar em matilha de lobos;
Coitado dos lobos,
Eu seria certamente devorado,
Se eles soubessem que,
Os estou a comparar a políticos;
Os únicos que gostam,
De se relacionarem irmãmente,
São os ratos e as víboras,
As cobras e as serpentes;
Esses e os políticos se dão
Da melhor maneira possível;
Os ratos de repente são mais autênticos,
Os ratos são menso nocivos;
Porém, são vítimas mais fáceis,
Mais vulneráveis e mortais.(3)

Nenhum comentário:

Postar um comentário