segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Noturno Nº 21; BH, 0130702011.

Cada um veio ao universo para cumprir
A sua missão; quem pensa que está
Aqui em vão, perceberá que enganou-se;
A minha missão é para ser cumprida
Com o maior orgulho; pode ser a mais
Simples e irrelevante, coadjuvante,
Mas a desempenho como se fosse um
Bilionário; muitos pedem-me explicações,
Mas confesso que não sei desenvolver uma
Razão que agrade a alguém; é por isto
Que sou arredio, procuro lugares ermos de
Onde procuro controlar outros universos;
Mas não perco as oportunidades de tentar
Acertar a mosca e sem fazer algazarra,
Sem fazer alarde; fico alerta sempre a
Espreitar o que os universais têm a me
Dizer; tenho que ficar o mais alerta de
Tudo e de todos, pois sou o mais
Deficiente; enxergo pouco e escuto
Menos ainda, a causar-me grande
Insegurança, a qual tento superar;
E supero em certos momentos; conheço
Muitos que não leem o que os outros escrevem;
E leio pouco, gosto mais é de escrever
E fico com pena daqueles que fazem
Literatura e não têm leitores; não
Incomoda-me por não ter nenhuns;
Na era moderna, os modernos não
Perdem tempo com leituras e muito
Menos com escritas; desde que entendi
A minha missão abracei-a com devoção
De neófito, com paixão de Dante
E de Romeu e de Tristão; e do sangue
Venoso que jorra do meu coração e do
Gás carbônico do pulmão, cedo-lhes este
Arterial oxigênio da literatura universal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário