quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Patagônia, 927, 16; BH, 070902011.

Se um dia eu for lamentar
À sombra do Muro das Lamentações,
Será apenas pelas almas das crianças
Palestinas despedaçadas pelas
Bombas do poderoso exército de
Israel; Jerusaquém para Israel,
Jerusalem para Palestina; e que os
Colonos judeus tirem os
Pés e as mãos das terras sagradas
Dos palestinos; se não querem
A paz, que saiam fora de Gaza
E da Cisjordânia; se querem
Sangue, que derramem o próprio,
Não o das crianças, das mulheres
E dos homens da Palestina;
Israel agora quer dar uma de
Golias, uma de Alemanha de
Hitler, em cima do povo
Palestino, como foi feito por
Hitler contra o povo judeu;
Mas a vingança não é uma
Boa coisa, não é sadia; a
Vingança não faz bem a
Ninguém, inda mais em cima de
Povo desarmado e oprimido,
Que enfrenta o Golias moderno,
Com pedras nas mãos; de um
Lado o Muro das Lamentações
E do outro o Muro da Vergonha;
Colinas de Golan, deserto de Neguev,
Jerusalem, tudo poderia ser
Pacificado e desfrutado em comum;
Mas a bota poderosa quer esmagar
O pé descalço; e as pedras procuram
Acertar justamente onde o capacete,
Não protege o Golias vingador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário