quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Street Shopping Planalto, 2; BH, 0200802011.

Meu coração explodiu em gozo precoce,
Como numa ejaculação de adolescente;
Jorraram-se jatos de sangue por todos
Os poros, e vi-me um polvo com seus
Tentáculos e suas ventosas, a sugarem
As peles da menina dos olhos moços
De muitas vistas cristalinas pregadas
Em rostos angelicais, de marfins,
De mármores clássicos, de pedras especiais,
Que formam corpos de Vênus de Milos;
Meu coração abriu-se numa cratera,
Como se cometa choca-se contra ele;
Como se vulcões entrassem em erupções;
Como se todas as mulheres entrassem,
Ou atingissem o clímax, o orgasmo ao
Mesmo tempo; e jorros e óvulos,
Para serem fecundados numa inspiração,
A gerar filhos, a gerar descendentes,
Sucessores que nos engrandeçam
E que não nos diminuam, como nos
Diminuem as bombas atômicas, as armas
Nucleares e de extermínio em massa;
Todos os segredos dos astros estão nas
Nossas imaginações, mas estúpidos,
Procuramos nos próprios astros e nos
Sentimos decepcionados por não
Desvendarmos nem a nós; assim somos
Corações e mentes; indevidos, sem
Sentidos, a pensar como eternos
Adolescentes em frente aos espelhos
Que os mostram narcisos vislumbrados
Com os umbigos; é um repertório
Ilusório, bem sabemos, e permanecemos
Nele, para não fecharmos o coração,
Não nos chumbarmos uns dos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário