domingo, 16 de dezembro de 2012

Apodera-se de mim uma inspiração; BH, 0250402001.

Apodera-se de mim uma inspiração
Poderosa, uma imaginação forte, de
Reza de cantiga de lavadeira preta,
Que lava a roupa na beira do
Rio; e bate na pedra e estende a
Roupa para quarar e canta para
A tarde, igual a minha mãe
À beira do tanque, no fundo do
Quintal; e vinha um canário da
Terra e pousava aos pés dela;
Devasta-me em sentimento, uma
Emoção de paixão de menino moço,
Que acaba de descobrir o amor; a fé
Do carola recém-convertido, que se
Agarra à igreja, como à tábua da
Sua última esperança; não quero
Preocupar-me em agradar, em criar um
Estilo e especializar-me; o conformismo
E o normal, é praxe na nossa cultura;
Não pode um medíocre querer se
Elitizar? não pode um simplório
Querer fazer parte do templo dos
Consagrados? da congregação dos tais
Abençoados? sem pretensão, só tenho
Aspiração ao ar; não quero galgar um
Degrau sequer além da minha total
Insignificância; e já ao possuir os 
Elementos da natureza; os movimentos
Da liberdade; os tesouros da verdade
E as riquezas dos princípios, cubro a
Minha cabeça com os louros da virtude
E ao meu coração, bata-me o ouro
Da razão; o restante é a vaidade,
O enfado e a inveja; o restante é
A ambição, o querer ser o melhor, e
O possuir cada vez mais do que o semelhante;
Só almejo eu nem eu; só desejo eu meu
Ser, sem egoísmo e excentricidade;
Sem demagogia e boçalidade;
E se não chamarem-me de feliz,
Com certeza estarão a ofender-me.

Nenhum comentário:

Postar um comentário