sábado, 22 de dezembro de 2012

Todo dia a mesma coisa; RJ,060601997.

Todo dia a mesma coisa,
O mesmo bate boca,
A mesma confusão,
É só o lavar de roupa suja,
No meio do salão;
E todo mundo sabe,
Que isso não se faz;
É preciso ter diretriz,
É preciso ter razão;
Não deixar que a raiva,
Suba à cabeça
E faça tremer a mão;
Faltar fôlego ao peito,
Brigar de encenação;
Às vezes nem é nada,
Motivo torpe e insignificante;
E basta uma pequena faísca,
Para fazer um incêndio,
Sem controle,
Sem solução;
Chega de cotidiano,
Muda um pouco o discurso;
Abra a tua bandeira,
Voe contra o vento.
Saia de dentro do vulcão;
Cuidado com a lava,
A chuva de cinzas,
A cortina de fumaça;
Desobstrui tuas retinas
E evidencia tua graça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário