quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Vivo de delírio e morto de engano; BH, 0250402001.

Vivo de delírio e morto de engano,
Burla de bula; vivo de ilusão da delusão
Ao infringir a natureza, no quebrantar dos
Elementos e no iludir dos homens; quero
Dar um chega pra lá e parar de iludir
A humanidade; e a culpa é minha, e
Nem o que é meu, tenho como deslucidar;
Elucidar plenamente e esclarecer
A mente; nem o meu tenho como
Tornar claro e explícito, com elucidação
E de mais elevada ainda delucidação;
E do que tem a forma de delta, do músculo
Deltóide da espáduaao trapezóide com duas
Diagonais retângulares, onde uma delas
Divide a figura em dois triângulos
Escalenos simétricos; e a outra em
Dois triângulos isósceles iguais justapostos
Pela base do deltocarpo, de frutos de seção
Triangular ao deltacismo inevitável;
O vício de pronúncia , que consiste na
Articulação da letra t em vez de d; já
O sinal triangular nas extremidades digitais
Segue o tipo de desembocadura, constituído
Por traços de rio e as ilhas aí formadas;
Pela quarta letra do alfabeto grego, que
É correspondente ao d de delóstomo,
Gênero de plantas bignoniáceas; se a vida
Não é para se delongar mais para se
Transferir para outra ocasião; é para
Se viver agora, sem demorar e sem
Adiar; nada de retardar e de delonga;
Só o que quer morrer é que demora a
Viver; causa dilação e adiamento na
Ação; só quem não se quer libertar é
Que faz prorrogação e causa embaraço
Para fazer execução de algum ato; quem
Quer delivrar, deve expelir a placenta
E dar liberdade do cordão umbilical;
Quem quer expulsão de secundinos ou dos
Páreas quer delivramento, sem cometer
Delito, crime ou fato pungível por lei e
Não comete infração de preceito ou de regra;
E igual numa delisterescência, o desaparecimento
Súbito dos sinais da doença e o período em que o
Agente mórbido permanece latente no organismo
Vem a desagregação do mesmo através da absorção de água.

Nenhum comentário:

Postar um comentário