terça-feira, 14 de abril de 2015

Nem toda escrita perfeita é uma obra-prima; BH, 040102013.

Nem toda escrita perfeita é uma obra-prima
E nem toda obra-prima é uma escrita perfeita; 
E ser imperfeito, única perfeição que almejo,
É a perfeição da escritura; há pessoas
Que não leem os grandes clássicos, pois
Dizem que estão fora de época e que
Tais formas de se escrever, não se
Incluem mais nos padrões da escrita
Atual; e com esse tipo de pensamento,
Deixam de ler as obras-primas e
Consequentemente, deixam de
Escrever obras-primas; quem não
Leu as grandes literaturas consagradas,
Não alcançará a escrita perfeita; pode
Treinar desde a pré-história, passar
Por cuneiformes, hieróglifos, aramaico,
Mas desprezar as obras de artes
Antológicas, a antologia retórica
Poética, continuará tão imperfeito
Quanto nasceu; e o falar então, será
O falar da exterminação do idioma;
E será o falar do fim da linguajar e a
Palavra falada, é tão, ou mais sagrada
Do que a palavra escrita; perseguir
Estrelas, planetas perdidos, asteroides,
Meteoros, cometas, quasares é
Perseguir a perfeição das letras; e os
Que almejam tais intentos, só têm a
Ganhar em iluminação, em lucidez,
Sobriedade, razão; e antes de morrer,
 Inda domarei esse cavalo selvagem
Da carruagem da escrita da perfeição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário