quarta-feira, 29 de abril de 2015

Simpatia pela macumba e seus macumbeiros; BH, 0120102013.

Simpatia pela macumba e seus macumbeiros,
Daí que nasceu o samba e seus batuqueiros;
Simpatia pelo ocultismo e feitiçaria, paixão
Por tudo que possa gerar poemas, sonetos,
Poesias; a fonte é o que menos interessa:
Umbanda, espiritismo, xamã, ou vudu,
Qualquer canto da África negra, lundu e
Capoeira, rasteira, pegada de tambor;
Tenho simpatia pela agonia, sim senhor,
Não sei cantar, sei gemer; é um zumbido do
Zumbi vivo dos Palmares, que se incorporou
Em mim; não quero pisadura, quero liberdade,
Cabresto não quero mais não e nem quero
Religião; que religião é essa, em que sou
Tratado ou como escravo, ou como ladrão; e
A batucada dos tambores do meu coração,
Atabaques, tantãs, tamborins, são tambores
Nagôs de candongueiros; e só quero pisar o
Chão, com as solas dos meus pés, com
Calcanhares, em firmes tornozelos, dedões;
Pés de negro, de crioulo, de mulato, e de
Moleque; pé de Saci-Pererê, Santa Clementina
De Jesus, rogai por nós; São Cartola, rogai
Por nós, caboclo Joaquim Nabuco, vamos
Vigiar, a liberdade começou aí, a raiar, e
Não pode mais findar; e todo o meu culto
Termina com a batucada e o samba nos pés
E orações, hinos de louvores aos deuses
Africanos, por quais tenho cá a minha simpatia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário