domingo, 25 de janeiro de 2015

A escrita é para suprimir as deficiências; BH, 0901202012.

A escrita é para suprimir as deficiências
Da pessoa que escreve; o ser escritor é
Um ser deficiente, imperfeito, incompleto,
Complexado, mórbido, bizarro; se não
For assim, não há de que haver escrito,
Escrita e escritor; ente inseguro na vida,
Duvidoso, desesperado, ansioso, fracassado,
Só há uma saída, transformar-se em escritor;
E escritor de porcarias, como dizem os
Familiares e os críticos de pessoas assim;
Outros casos, a entidade é esquizofrênica,
Sofre de distúrbios neurológicos, é paranoico,
Psicopata e para não cometer crimes,
Tragédias, suicídio, escreve; mesmo assim
Há conhecimentos de bem sucedidos,
Que acabam por suicidarem-se; conheci
Caso de escritora, que pulou do quarto,
No quarto andar, não morreu, foi socorrida,
Ficou aleijada e quando recebeu alta, na
Primeira oportunidade, se jogou de novo
E aí, foi a última escrita em linha perpendicular;
A última poesia, o último poema, a última
Ode e por fim uma elegia; a escrita salva
Muitas almas e não permite que espíritos
Perdidos, fora do limbo, sofram mais nas
Mãos da humanidade; e como todo ser,
Todo ente, entidade que respira, lateja,
Pulsa, bate, é um escritor, cabe ao paciente
Ter paciência e mandar às favas a ciência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário