sábado, 3 de janeiro de 2015

Alameda das Princesas, 756, 84; BH, 0220902012.

Que procuras, cura? a cura, não sou
Normal e só a cura pode curar-me;
Não nasceste normal? o que sentes
De anormal? sou doente, estou doente,
Muito doente e preciso sarar-me,
Por isso procuro a cura em todo o
Lugar; o que te desespera, causa-te
Ansiedade, angústia e depressão?
A minha doença, ou as minhas
Doenças; és doente e são muitas as
Tuas doenças? as minhas me afligem
Mais, mas sofro com as dos outros, idem,
Que chego a pensar que as trago todas
Comigo; e onde pensas encontrar a
Cura que tanto procuras? a primeira
É no fim total da minha estupidez e
Da minha ignorância, só, aí, terei
Dado um grande passo; e o que mais?
Alcançar a confiança, atingir a segurança
E ter o aval da garantia de que não terei
Recaída; e quando pensas encontrar o
Que procuras? quando meu peito jubilar
E meu coração firmar, de que não terei
Mais um sentimento bizarro, um comportamento
Mórbido e que poderei viver sem remorso,
Sem arrependimento por viver; tens receita
Com algum remédio de algum médico?
Não, de forma alguma, não quero morrer
Bem fisicamente, o físico, a saúde, eu os
Desprezo, quero morrer bem espiritualmente;
Tens que procurar então uma igreja, uma
Religião; acabarei por ficar louco, nunca
Serei sarado, curado e preferirei ser vivo
Enterrado; mas religião é a salvação, abro mão,
Se a cura for essa, levarei a minha cruz sozinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário