domingo, 25 de janeiro de 2015

Bem-aventurados os que choram debaixo dos relhos; BH, 0901202012.

Bem-aventurados os que choraram debaixo dos relhos
E das chibatas e presos aos cepos
E aos pelourinhos ensanguentados;
Bem-aventurados os que se jogaram ao mar
Para não serem escravos e os que foram
Jogados por estarem doentes, ou mortos;
Bem-aventurados todos aqueles que,
Embarcaram na Porta da Viagem sem Volta
E morreram nos exílios, sem mais pisarem o
Solo pátrio amado;
Bem-aventurados os que resistiram as grandes
Travessias nos porões dos navios negreiros
E enriqueceram com sangue e pele a cultura
Mundial;
Bem-aventurados os que não quiseram ser
Batizados nas religiões oficiais e de alguma
Maneira foram mortos, ou estigmatizados,
Amaldiçoados;
Bem-aventurados os reis africanos que perderam
Seus tronos, cetros e coroas e reinados;
Bem-aventurados todos os povos que foram
Escravos e que, duma forma, ou de outra
Sofreram violências e injustiças em nome das
Verdades e
Bem-aventurados os que também foram
Supliciados em nome das mentiras;
Bem-aventurados todos os negros, que, em
Qualquer parte da história universal, foram
Tratados como escórias, como animais,
Filhos dos demônios, simplesmente por
Serem negros;
Bem-aventurados esses negros e negras que
Nunca deixarei de amar e aos quais elevo
Preces e orações, cânticos e flores nos
Altares onde foram sacrificados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário