segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Alameda das Princesas, 756, 93; BH, 0280902012.

Brasil eterno, vinte e oito de setembro de
Dois mil e doze; oito horas e quarenta
E seis minutos de uma manhã límpida de
Sexta-feira; independente, soberano,
Cidadão Brasil, infinita referência aos
Seres do universo; aqui todos se sentem
Como se estivessem no próprio lar, por
Seres a verdadeira terra da Liberdade;
Primeira Maravilha do Velho Mundo, do
Novo Mundo e do Vindouro Mundo, meu
Planeta fauna, meu planeta flora, meu
Planeta água, meu planeta natureza, meu
Planeta Brasil; recebes esta pobre
Homenagem, que este filho teu faz, pobre
E pequena homenagem, pois a riqueza e
A grandeza tu me deste, ao aceitar-me
Como filho; que orgulho de poder chegar,
Em qualquer parte do universo e dizer: sou
Brasileiro e os outros morrerem de inveja;
Todos querem vir ao teu útero nascer, todos
Querem aqui viver em paz e sem perseguições;
Brasil infinito, Brasil da minha filha, das
Mulheres de fibra pura, da minha mãe, que
Só em olhá-las, emociono-me; qual o
Verde mais verde? o amarelo mais amarelo?
O azul mais azul? o branco mais branco?
Só os que destaco nesta bandeira; Brasil
Democrático, terra de povos, de todos os
Povos, que se transformam em povo
Brasileiro; Brasil Pátria de todas as civilizações
Que compõem a civilização brasileira;
Brasil meu planeta nação, deposito aos teus
Pés, meu gigante de justiça, o meu coração.

Um comentário: