terça-feira, 27 de outubro de 2015

MIKIO, 17; BH, 070202013.

O mais triste para mim é que, não vou descobrir,
O que é o mais triste para mim; é que acabei de
Constatar que, o tal ponto, ou pontos, ou áreas
Do cérebro, que, dormem, não vou descobrir
Nunca, a maneira de fazer com que funcionem; e
É triste, pois, o tempo passa, envelheço precoce
E velozmente e não encontro o estímulo adequado
Para excitar o G cerebral; aá, sou este montículo
Adormecido, este monturo entumecido e fico
Impedido de prosperar, de tecer argumentos, de
Raciocinar; e os pensamentos saem em
Fragmentos e nenhuma frase consigo completar; e
As sentenças saem todas sem veredicto final; e
Apelo à mentira e minto e minto e minto, sem
Nenhum pudor por não falar a verdade; e as
Pessoas com quem converso, os seres com
Quem relaciono, os entes e as entidades que
Recebo, os espíritos, as almas, os fantasmas e
Mesmo os animais racionais e irracionais,
Pedem o interesse por completo, assim que
Abro a boca; além do mau hálito, pelas crateras
Dos dentes estragados, é o mau humor, pelo fel
Destilado; e como alegrar-me, se não tenho como
Alegrar-me? a esperança era encontrar um desses
Tais pontos, do tamanho de uma moeda, escondido
Dentro do cérebro, que, se bem estimulado, é
Capaz de excitar um gigante sem libido e sem
Adrenalina e sem testosterona e sem tesão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário