quarta-feira, 14 de outubro de 2015

MIKIO, 40; BH, 0130202013.

Minha alma não pode chorar mais,
Precisa sorrir e o que faz minha
Alma sorrir, é a minha cura, é o
Meu sarar; meu espírito não pode
Lamentar mais, já se prostrou
Muitas vezes e o que faz meu
Espírito parar de lamentar, é só eu
Deixar de ser doente; enquanto eu
For doente, a alma vai chorar o
Espírito vai lamentar e vão ficar
Prostrados nos asfaltos, como se
Tivessem sido atropelados por um
Auto em alta velocidade; preciso
Deixar de ser um ser doentio, fazer
Alguém feliz, amar alguém e ser
Amado; doentio, não consigo fazer
Nada disto e a santa sanidade não
Aparece para mim; a sagrada mente
Sana foi banida e o corpo ficou
Profano; não é mais aquele corpo
Santuário de purezas; não é mais
Aquele vaso onde estavam plantadas
As belas flores e o buquê, o ramalho,
O ramalhete morreram, deu praga,
Deu bicho e o vaso teve que ser
Quebrado e lançado fora; ai que
Felicidade seria, no dia em que
Abrisse os olhos e enxergasse-me
Plenamente curado, perfeitamente
Sarado, restabelecido em mim; ai,
Que felicidade traz-me a cura ao
Coração, é muita satisfação, incapaz
De ser explicada por palavras; e
Preciso desta cura, desta santidade
Da sanidade, era para ontem e
Cada dia doente e o dia mais perto da
Morte, mais perto do fim, ai de mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário