terça-feira, 20 de outubro de 2015

MIKIO, 31; BH, 0110202013.

Esta hora foi abençoada, foi a hora em
Que, meus olhos projetaram nas paredes,
O que estava gravado em minhas
Retinas; esta hora foi sagrada,
Pois, foi a hora em que, meu coração,
Doou seu sangue arterial, para matar
A sede dos seres ansiosos do universo;
Por isto imortalizei esta hora, esta
Hora está na eternidade, pois,
Foi a hora em que demonstrei
Aos que não creem, que é possível
Amar; agradeço aos que fizeram
Com que esta hora existisse, para
Ser engrandecida no infinito; esta
Hora é a hora do meu grito e todos
Os ouvidos deixarão de ser moucos e
Todos entenderão a mensagem desta
Hora; mas muita gente inda é incrédula,
Pensam que o amor é inútil e a
Paz, desnecessária; enganam-se essas
Pessoas, perdem-se essas parasitas, são
Os únicos que nesta hora ficarão de
Fora, não receberão a graça do amor;
E quando baterem às porta, a pedirem
Farinha, azeite, amparo, a carruagem
Estará longe, difícil de ser alcançada
E nesta hora chorarão; não serão
Infinitos nesta hora, nem universais;
Não entrarão na porta da posteridade
E lamentarão, rangerão dentes, tatearão
Nas trevas e quem de cá, olhar
Para lá, ao os verem, pensarão que
São sombras refletidas nas trevas
E não os guiarão pelas sombras tenebrosas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário