terça-feira, 13 de outubro de 2015

MIKIO, 41; BH, 0130202013.

Não vou à tua casa de jeito nenhum,
Tenho aborrecimentos demais, de
Manhã quando vou trabalhar, e espero
O ônibus; e o mesmo aborrecimento à
Tarde, na hora de voltar e inda vou
Sair de casa num sábado, num
Domingo, para mofar em pontos a
Espera de ônibus, nem a pau; além do
Mais, ao chegar lá, não beberei nemhuma
Cerveja, aqui perto de casa, há muitos
Botecos, onde posso encher a cara; não
Vou à tua casa de jeito nenhum, casa
Para mim, tem que ser um botequim,
Aí, sim, comvida-me que vou; mas,
Sem molhar a palavra, não há palavra
Que aguente; não vou à tua casa,
Vou ao Rio de Janeiro, lá tem samba de
Terreiro, tem batucada e boteco maneiro;
Mineiro que se preza, não vive em
Minas Gerais, muda para o Rio de
Janeiro e aqui não volta jamais;
Mineiro que tem dinheiro, aqui nem
Para trabalhar, foge para o Rio de
Janeiro, lá que é bom para gastar;
Carioca é festeiro, batuqueiro, macumbeiro,
Sambeiro, funqueiro, mulherengo e
Beberrão, faz roda de samba, canta
Pagode na palma da mão; aqui não
Acontece nada, a não ser quando
Nada acontece, quando muito uma
Marcha para Jesus, um show da Ivete
E outro do Marcelo Rossi e a marcha
Do orgulho gay, há muitos no armário
Por aqui, o que tem demais é gay enrustido;
Não vou para a tua casa de jeito nenhum,
Quero é só ficar bebum.

Nenhum comentário:

Postar um comentário