domingo, 11 de outubro de 2015

MIKIO 45; BH, 0170202013.

Donde vindes, para aonde ides, a
Navegar esse meteoro sem controle?
Vindes do além ao aquém? sois de planetas
Desconhecidos, explodidos, ou restos
Mortais do caos do gênesis? inda há
Nas dimensões siderais vestígios sem
Destino dos caos que formou o universo?
Compondes a esses vestígios? passais à
Velocidade tão grande, nunca alcançada
Por máquina humana e sem motores,
Rotores, turbinas, reatores que, nem
Podeis dar as respostas; cuidado com as
Nossas cabeças, são de pedras, não
São feitas de ferro como as vossas; cuidado
Com os nossos esqueletos, são de estruturas
Ósseas e não de minérios, metais
Nobres, como são os vossos; se lembrardes
De nós, na volta do aquém para o além,
Desviais de vossas rotas, evitais nossas
Órbitas, não chocais conosco; não
Levamos em considerações, somos estúpidos,
Ignorantes, bestiais, mas, a nossa casa é a
Mais bela dessas dimensões siderais;
Não merecemos, mas, tenhais algumas
Considerações conosco; somos terráqueos
Mesquinhos, seres bizarros, entes mórbidos,
Possuídos dos mais baixos instintos
Primitivos; inda matamos crianças e de
Fome, muitas vezes, matamos nossas mulheres,
Nossos animais e destruímos nossa flora;
Mas, não visiteis a nós com vosso impacto
Tão profundo, nós mesmos nos exterminamos;
Sim, com bombas, automóveis, aviões, coisas
Velhas e ultrapassadas e inclusive religiões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário