quinta-feira, 22 de junho de 2017

Preciso parar de me transtornar e de corromper as pessoas; BH, 0270702000; Publicado: BH, 040902014.

Preciso parar de me transtornar e de corromper as pessoas,
Contrariar as regras, para me dobrar aos bons princípios;
Sou avessado à sociedade, feito hostil a tudo que a 
Compõe e quero me averter, quero me desviar deste 
Meu curso, para não ser mais averso da verdade,
Não ficar mais adverso da realidade; e parar com
Toda contrariedade que me deprime, todo avernamento
Que me deixa avernoso, em estado averno, num
Verdadeiro inferno e longe do azul celestial;
Não sei o que acontece comigo, é só uma ira avernal,
Um ódio infernal que, me afasta de todas as pessoas;
Ainda bem que não sou vidento, não sou de avergoar
Ninguém e não ponho em prática e nem vou às
Vias de fato, não faço vergões com látego e nem
Com açoites, não sou de espancar e nem de maltratar;
Só preciso me vergar mais, avergar às tendências, às
Necessidades e não avergalhar ao justo, não bater com
Vergalho no puro; e não averdugar com o purificado, 
Nem ser flexível com o aventurismo e com o que tem 
Tendência para tomar decisões irrefletidas, tem tendências à 
Visão, ou a ver fantasmas em plena luz do dia e teme o 
Avejão do homem agigantado, de semblante feio; e é por isso 
Que, o avel, do latim "abilis", é o designativo de atributo da 
Qualidade que devemos ter; ocorre em nossos adjetivos 
Derivados dos nossos verbos da primeira conjugação: o 
Homem deve ser amável, o bem deve ser durável, o 
Equilíbrio deve ser estável, excepcionalmente,
Pode incorporar-se ao nosso substantivo; a vida merece o
Amorável do amor, com conforto ao miserável, com apoio
Ao mísero e avençar no futuro e fazer avença no porvir,
Um ajuste de contas, amigável, um avir-se com todos para
Combinar um caminho melhor, conciliar os irmãos em
Guerra e harmonizar os espíritos conturbados; entender-se
Para aprender e ensinar a viver e a acomodar-se com o
Vizinho, a haver-se sem a ignorância, a conjugar-se o verbo 
Irregular, quanto mais o vir da humanidade à razão, para 
Ajeitar-se na noção e no tino, a familiarizar-se em irmandade;
Obrigar-se só em amar, em viver em paz, em fazer o
Bem e toda pessoa ser uma avençal; e toda alma ser avençada,
Sem o avantesma do passado e só se sentir como uma
Ave do paraíso, pássaro conirrostro da Nova Guiné, notável
Pela bela plumagem; e pedir a avatar vida longa, que é
O nome dado na Índia às encarnações de um Deus,
Sobretudo às de Vixnu; e que toda transformação de
Evolução seja bem-vinda e que toda metamorfose,
Para melhorar seja feita de acordo com a vontade dele;  
Não quero viver tal um avascular, que não tem vasos, nem
Veias, nem filamentos; não quero viver tal o avari, o pequeno
Peixe da família dos Caracilídeos e o avaremotemo, a 
Árvore da família das leguminosas, divisão Papilionáceos;
E o dia em que ficar avelanado, bonito, da cor da avela,
Construir a minha casa num avelanal; num lugar onde crescem
Avelãs e ter a participação num avaleiral, ou num avelal e
Avelar uma avelanzeira; tenhas certeza que deixarei de ser este
Avelhacado, a perder este ar de algo velhaco e até o espírito
Avelhentador que me acompanha, rejuvenescer; não quero me
Trocar por avelórios, por contas de vidro e miçangas, não quero
Valer ninharias, como a inocência e a ingenuidade dos nossos
Índios para com os nossos colonizadores; quero vender caro o
Meu patrimônio, nada de velóiros e vidrilhos, nada de moedas
Podres, papéis fracos e desvalorizados; quero valer tanto, ou
Mais que a aveloz, a planta da família das Eufobiáceas e tocar a
Minha avena, minha flauta pastoril; comer a minha aveia e dar
Graças a Deus; e aproveitar a avanaína e o glute e ter a duração
Da aventurina, variedade de quartzo, com inclusões de mica,
Hematita, ou outros minerais que lhe emprestam numerosos
Pontos brilhantes, mesclados com limalhas de cobre. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário